Receita pra fazer em 15 minutos: arroz frito com camarão e legumes

arrozfritoChegou em casa à noite sem muita ideia pra cozinhar mas com uma baita fome? Chegou gente pra almoçar no fim de semana e pegou você desprevenido? A solução é uma receita SRV (simples, rápida e versátil). Sim, acabei de inventar essa sigla boboca, mas é ela resume bem alguns pratos que salvam sua pele na hora de servir (ou comer sozinho mesmo) alguma coisa legal, sem tempo pra isso. Sábado testei uma dessas: arroz frito com camarão e legumes. Dá uns 15 minutos de fogão e fica sensacional. O legal dessa receita de arroz frito é que 1) você pode mudar os legumes conforme seu gosto ou o que tem na geladeira; 2) é versátil e pode ser a base de várias proteínas, como camarão, iscas de carne bovina ou tiras de filé suíno, por exemplo; 3) nem precisa de acompanhamento (se bem que fiz uma omelete de claras, pra aproveitar as 5 claras que sobraram de uma receita de torta que fiz um pouco mais cedo – esta aqui). Vamos lá?

Arroz frito com camarão e legumes

Ingredientes
2 xícaras de arroz (pode ser amanhecido; aliás, melhor se for)
350 g de camarão limpo
1 xícara de brócolis
1 xícara de pimentão amarelo picado
1 xícara de cebola roxa picada
2 dentes de alho picados
½ xícara de milho
½ xícara de ervilha
1 colher de chá de gengibre picado
2 colheres de sopa de shoyu
1 colheres de sopa de óleo de gergelim
2 colheres de sopa de óleo vegetal
Sal e pimenta a gosto.

Modo de fazer
Antes de tudo, misture bem o shoyu com o óleo de gergelim numa tigelinha e reserve. Numa frigideira larga, aqueça o óleo. Coloque os camarões, tempere com sal e pimenta, e salteie até que fiquem rosados. Retire e reserve.
Na mesma frigideira, refogue a cebola roxa, alho e gengibre, até que cebola comece a dourar (coloque o alho e o gengibre um pouco depois da cebola).
Adicione então o pimentão e os brócolis (eu usei brócolis congelados mesmo, mas antes dei um susto de 3 minutos em água fervendo, seguido de um banho em água gelada). Deixe cozinhar por 5 minutos, até que os vegetais fiquem tenros, mexendo de vez em quando. Coloque um pouco de azeite comum se achar que está muito seco.
Adicione as ervilhas (também usei congeladas) e o milho. Refogue por uns 3 minutos e adicione o arroz e a mistura de shoyu e óleo de gergelim. Misture bem e deixe cozinhar por uns 3 minutos. Adicione o camarão e pronto!

Astor tem novidades no menu de comidas

frutos marE o super tradicional bar Astor – aquele do picadinho incrível e do melhor caju amigo da cidade – colocou novos pratos e petiscos no seu menu. É a primeira vez desde 2008 que o bar muda seu cardápio. Assim, numa segunda-feira (sim, às vezes começo cedo a semana) estive lá pra provar as novidades. E logo de cara me jogam na frente um cone explodindo com frutos do mar empanados. O Frito Misto do Mar (R$ 46) traz camarões e lulas, com uma casquinha dourada, fritura sequinha, acompanhados de palitos de abobrinha. Combina bem com os drinques à base de gim do bar.

 

brisketA melhor novidade, no entanto, é o Astor Brisket Sandwich (R$ 32): o clássico sanduba nova-iorquino é feito com peito bovino assado e bem desfiado, na baguete. Carne gostosa, bem temperada e com textura cremosa. E enorme!

 

bacalhauPara fomes maiores: panelinha de brandade (R$ 42) de bacalhau desfiado, com purê de batata e parmesão. Me acabei de comer esse creme com fatias de pão, enquanto tomava negroni. Combina? Sei lá, mas o drinque estava bem bom, então tá valendo.

 

muffinsEssa é a novidade mais inesperada: Muffin Bristol (R$ 25), uma cestinha de pãezinhos de calabresa com queijo gruyére, bem fofinhos. Gostosos, mas sou muito mais o brisket.

 

verrineA foto saiu péssima, mas a sobremesa é deliciosa: pavê de sonho de valsa (R$ 18), uma taça repleta de delícia em camadas, perfeita pra quem gosta de sobremesas bem doces e poderosas. Se você jantou bem antes, dá pra dois.

 

pudimNão é uma das novidades do menu, mas o gordinho aqui quis pedir: pudim de pão (R$ 18), servido com sorvete de creme, maçã verde e canudinhos açucarados. Não me julguem, apenas me deixem ser feliz.

 

AstorRua Delfina, 163, Vila Madalena, tel. (11) 3815-1364, www.barastor.com.br

Receita pro Natal: torta maravilha de frutas vermelhas

com acucarSabe aquelas tortas lindas que a gente vê em vitrines e parecem impossíveis de fazer em casa? Pois é, algumas são mesmo – melhor comprar pronta e se jogar no doce. Porém, resolvi meter as caras pra fazer um torta de frutas vermelhas usando uma massa de outra receita (aqui) e o creme pâtissière que uso no recheio do bolo naked de morango (aqui). E não é que deu certinho? Ficou uma belezura, gostosa e leve. Aliás, perfeita para servir no Natal e deixar boquiaberta até aquela sua tia especialista em maionese. Prometo que a receita parece muito mais difícil do que ela é: são três etapas, mas todas simples de fazer. Bora?

Torta de frutas vermelhas

frutasIngredientes:
(massa)
150 g de manteiga sem sal, macia.
150 g de açúcar demerara
1 ovo grande
230 g de farinha de trigo
1 colher de chá de fermento em pó
1 colher de café de essência de baunilha

Modo de fazer
Unte e polvilhe farinha em uma forma redonda ou pirex de 25 cm de diâmetro. Pré-aqueça o forno a 200oC. Bata vigorosamente a manteiga e o açúcar até ficar cremoso. Bata o ovo cuidadosamente, com a essência de baunilha. Misture bem a farinha peneirada e o fermento, mas sem bater, até obter uma massa macia e levemente pegajosa.
Coloque a massa no pirex (ou forma), espalhando com as mãos enfarinhadas, para que as beiradas da forma também sejam revestidas com a massa. Não deixe muito espessa, se sobrar massa tudo bem – melhor do que a torta ficar grossa e pesada. Espete a massa com um garfo algumas vezes e leve à geladeira por meia hora para dar mais firmeza à massa. Depois, leve ao forno e deixe assar. Depois de uns 20 minutos, dê uma olhada: se estiver “inchada”, fure novamente com garfo. Retire do forno quando a massa estiver totalmente cozida (uns 40 minutos) e deixe esfriar.

sem acucar(creme)
500 ml de leite integral
½ fava de baunilha ou 1 colher de chá de essência
5 gemas
125 g de açúcar
25 g de farinha de trigo
25 g de amido de milho
150 ml de creme de leite fresco
2 colheres de açúcar

Modo de fazer
Aqueça o leite com a baunilha até ferver. Tire do fogo (retire a fava) e deixe esfriar um pouco. Numa batedeira, bata as gemas com açúcar até ficarem cremosas. Junte a farinha de trigo e o amido, batendo a mistura. Daí aos poucos adicione o leite à mistura de gemas, batendo cuidadosamente à mão.
Leve esse creme ao fogo baixo e mexa sem parar (usei um fouet). Mexa até a mistura engrossar e ferver – quando as bolhas começam a estourar na superfície do creme. Deixe cozinhar por mais um minuto, mexendo vigorosamente, sem parar. Cuidado para não passar do ponto, senão vira um pudim!
Despeje sobre um refratário raso, alise bem e cubra com um filme plástico, bem rente ao creme (o filme colado à superfície do creme evita a formação de película de nata e não gruda). Leve à geladeira para esfriar.
Quando o creme estiver frio, retire da geladeira. Bata o creme de leite fresco na batedeira, adicionando açúcar aos poucos, até ele ganhar consistência de chantilly. Reserve. Leve o crème gelado à batedeira, bata um pouco, para amaciá-lo. Daí, com uma espátula, misture um pouco do chantilly, até incorporar bem. Cuidado aqui: se colocar muito chantilly, a mistura ficará excessivamente cremosa e quando você cortar a torta ele desaba (acredite, já aconteceu comigo).

cima(cobertura)
300 g de frutas vermelhas (preferencialmente framboesa, amora e alguns blueberries pra completar a cobertura – cogitei até colocar morangos, mas não rolou)
Açúcar de confeiteiro (opcional)

Montagem
Desenforme a massa já assada, com cuidado pra não quebrar. (se perceber que a massa está frágil e quebradiça, monte a torta na forma mesmo e sirva assim mesmo!). Recheie com o creme até a borda, alisando bem para a superfície ficar nivelada. Daí, decore com as frutas vermelhas, colocando uma a uma e afundando de leve, como se grudasse a frutinha ao creme. Quando a torta estiver totalmente coberta pelas frutas, você já pode servir. Se quiser, polvilhe com uma peneira o açúcar de confeiteiro, como se “nevasse” sobre as frutas. Está pronta para servir. Porém, mantenha resfriada o quanto puder, pra não desandar o creme. Feliz Natal!

 

Peru especial do Ritz já tem data: reserve pois acaba voando

Ritz - Peru de Natal - Foto Carol Quintanilha-2Já foram definidas as datas para o tradicional almoço antecipado de Natal do Ritz, nesse ano. O evento, que ocorre desde a inauguração do restaurante, em 1981, acontece dia 16 de dezembro nas unidades do Itaim e do Shopping Iguatemi e dia 17 de dezembro no Ritz Jardins, onde tudo começou. A receita é a mesma de sempre: peito de peru fatiado, acompanhado de chutney de cranberry e farofa de castanhas portuguesas. O preço é R$ 59 e é bom reservar o prato por telefone porque acaba muito rápido. Ah, você reserva o prato, não a mesa. Vou todo ano e não canso – aliás, a Maria Helena Guimarães até já nos forneceu a receita uma vez. Dica: coma lá primeiro e depois tente fazer em casa.

 

Ritz Itaim (dia 16) – R. Jerônimo da Veiga, 141, Itaim Bibi, tel. (11) 3079-2725.
Ritz Iguatemi (dia 16) – Shopping Iguatemi, Av. Brigadeiro Faria Lima, 2232, Itaim Bibi, tel. (11) 2769-6752.
Ritz Jardins (dia 17) – Al. Franca, 1088, Jardins, tel. (11) 3062-5830.

Guloseimas com sotaque francês na Rua Augusta

milfolhasCansaram de me ouvir falar em Paris? Pois hoje vou falar de um lugar que me lembrou a capital francesa, mas que fica mesmo em plena Rua Augusta, no coração dos Jardins. Trata-se da Amorim Chérie, um misto de bistrot e pâtisserie aberto em 2011 pela chef Flávia Amorim – e que eu, por uma falha imensa, ainda não conhecia. Acabei indo duas vezes no último mês. A simpática casa tem fortes sotaque francês no menu e no ambiente, criado pela irmã da chef, Juliana Amorim. Me lembrou muito a pâstisserie Waïda et Fils, em Reims, sobre a qual falei aqui.

 

tartelete

Mini tartelete de framboesa e mirtilos

O forte da casa são os doces, com 35 opções entre macarons (R$ 5) e tarteletes (R$ 5) de sabores variados. O destaque é o imponente mil-folhas com calda de frutas vermelhas (R$ 22), montado na hora, com creme levíssimo e massa que derrete na boca. Agora há versão ainda maior desse mil-folhas com calda e recheado com frutas vermelhas (R$ 34) – e obviamente foi o que comi, porque né, o moço aqui é guloso. Humpf!

croqueMas não se engane: o cardápio de salgados não fica nada atrás dos doces. Os itens são preparados pelo chef Valter Roza e incluem quiches (R$ 12), crepes (como o de frango com mostarda dijon, por R$ 30,50) e o arquitetônico croque monsieur (R$ 34): uma pequena edificação com seis andares de pão, queijo gruyere, presunto e molho bechamel, tudo gratinado. Se pedir a versão madame (R$ 36), ainda vem um ovo estalado por cima. Ambos com saladinha. (Sim, eu pedi um desses…)

 

ovos

O melhor item do menu, no entanto, são os ovos ao forno, com torradas e salada (R$ 44,90). Minha companheira de mesa teve a felicidade de pedir os ovos com queijo de cabra e tomatinhos e me deixou experimentar. Na hora me apaixonei pela mistura bem quente e cremosa dos ovos com o queijo derretido. A outra versão traz leva calabresa, molho de tomate de manjericão. Aguei só de lembrar. A casa também oferece almoço executivo por R$ 40, incluindo entrada, prato e sobremesa.

Amorim Chéri – Rua Augusta, 2321, Jardins, tel. (11) 3061-3283, www.amorimcheri.com.b

Holy Burger abre hoje, mas já provei e adorei

Saint Gorgon: uma das estrelas do novo Holy Buger

Saint Gorgon: uma das estrelas do novo Holy Buger

Ontem interrompi uma dieta (não riam, eu faço dieta de vez em quando!) por uma nobre razão: provar o hambúrguer do meu querido Gabriel Prieto, companheiro de jornadas gastronômicas há uns bons 7 anos. Explico: Gabriel é sócio de uma nova casa de hambúrguer da cidade, o Holy Burger, que abre hoje em Santa Cecília (na mesma rua do meu querido Tabuleiro do Acarajé). O Holy existe há um ano, surgiu de um projeto social de Gabriel e alguns amigos, ganhou fama em eventos como Feirinha Gastronômica,  agora ganhou endereço próprio e virou hamburgueria.

IMG_7658A pequena casa (26 lugares), com estilo rústico, lembra um pub irlandês, com ambiente simpático e um balcão que segue por quase todo o salão. Os burgers? São seis opções, todos de 160 g, e acompanhamentos variados. Provei o Saint Gorgon (R$ 25), uma feliz combinação de gorgonzola, cebolas caramelizadas e apimentadas, folhas crocantes de agrião e maionese caseira, com pão preto (muito gostoso e macio). A carne (uma mistura de peito, acém e costela) veio no ponto certo, suculenta e saborosa.

 

IMG_7677Aliás, com exceção dos pães, tudo é feito na casa, inclusive a docinha pink lemonade (R$ 8), que repousa em um enorme garrafão atrás do balcão, marinando folhas de hortelã. Provei também as fritas rústicas (R$ 12), com maionese temperada da casa, mas ainda quero experimentar as onion rings (R$ 18). Entre as outras opções de burguer, tem desde o cheese burger (R$ 19), que vem com um pouco de molho de tomate; passando pelo Original (R$ 25), com bacon e cheddar; até o Jelly (R$ 23), com queijo brie e geléia de frutas vermelhas (feita ali). Ah, também tem um vegetariano (R$ 15), de abobrinha, cenoura e cebola roxa, com cogumelos salteados e picles, no pão de grãos.

 

Gabriel e seus hambúrgueres

Gabriel e seus hambúrgueres

O Holy também tem uma carta com 15 rótulos de cervejas nacionais e importadas, e duas sobremesas: pudim de leite condensado na latinha (R$ 12) e cheesecake com calda de frutas vermelhas (R$ 12) – mas infelizmente ontem não estavam servindo. Ou seja… terei de voltar! Oh sacrifício… Ah, durante a semana, o Holy abre só à noite, a partir das 18h, e meio-dia aos sábados.

 

Decór rústico, com toques divinos: afinal, é Holy!

Decór rústico, com toques divinos: afinal, é Holy!

Holy Burger - R. Dr. Césario Mota Jr., 527, Sta. Cecília, tel. (11) 4329-9475

Vinho português promove festival com degustação

Tagliatelle com camarões, lula e polvo, do Sensi: a taça de vinho é cortesia

Tagliatelle com camarões, lula e polvo, do Sensi: a taça de vinho é cortesia

A gente gosta de vinho, certo? Errado, a gente ADORA vinho, ainda mais acompanhado de boa comida. Essa é a ideia do Festival Aveleda, vinho português trazido ao Brasil pela Interfood. Até dia 7 de dezembro, 14 restaurantes de São Paulo, Campinas e São Roque darão uma taça do Aveleda Alvarinho para clientes harmonizarem com os destaques de seus menus, de entradas a pratos principais. Como o Tagliatelle ai frutti di mare (R$ 52), do Sensi (Rua Gabriele D’Annunzio, 1345, Campo Belo, tel. (11) 2478 5099), com camarões, lula, polvo, tomate fresco, ervas, pimenta biquinho e vinho branco; ou a saladinha de feijão fradinho e bacalhau (R$ 25), do Bacalhoeiro (Rua Azevedo Soares, 1.580, Tatuapé, tel.(11) 2293 1010). Mas fique ligado: o festival com a taça cortesia vai só até dia 7!

La Maison est Tombée recebe convidados pra celebrar seus 2 anos

imagem_release_324846

Robusto, o delicioso drinque do Marcelo Serrano pra comemorar o aniversário do La Maison est Tombée

Pode beber logo na segunda-feira? Pode sim! Para comemorar seus dois anos de atividade, o bar La Maison est Tombée convidado chefs e bartenders toda segunda no mês de novembro. Na semana passada, por exemplo, além do menu habitual da casa (que tem um maravilhoso pão de queijo recheado com pernil ou com ragu de linguiça), a casa serviu bolinho de mandioca, recheado com requeijão e camarões, da chef Carla Pernambuco (Carlota) e dois drinques do Alex Mesquita, do Paris Gastrô, no Rio. O meu preferido foi o Private, com Tenqueray Ten, Aperol, Suco de grapefruit, suco de limão, gotas de maple.

 

Bolinhos de camarão da Carla Pernambuco

Bolinhos de camarão da Carla Pernambuco

Hoje acontece a última festa, a partir das 19 h. O petisco é o Cuscuz Caipira (R$ 29) do chef Rodrigo Oliveira (Mocotó), um mini cuscus de milho com linguiça, frango e legumes. Já os drinques ficam a cargo de um craque da coquetelaria, o mixologista Marcelo Serrano (Brasserie des Arts e Satay). São dois: Robusto (R$ 26), com Amaretto, licor de apricot, maple syrup, grappa tagliatella, suco de limão siciliano, purê de pêssego; e Wild Wild West (R$ 28), com bourbon wild turkey, suco de laranja, xarope de pomegranate, suco de limão siciliano, zulu orange bitter. Mas é só hoje, ok?

La Maison est Tombée – R. Jerônimo da Veiga, 358, Itaim Bibi, tel. (11) 3071-2926, www.maisontombee.com.br

Obá promove Festival Tailandês das Luzes até dia 30

loi oba costelaE por falar em Festival, já está rolando no Obá a celebração do Loi Krathong, o festival tailandês das luzes, que homenageia a deusa das águas Phra Mae Khongkha. O evento no Obá vai do dia 20 até 30 de novembro, quando, além do menu original, o restaurante serve pratos preparados pelo chef Henrique Benedetti especialmente pro festival. Como a entrada costelinha de porco doce (R$ 29), preparada em uma marinada tradicional adocicada e servida com relish de manga, alho frito e pimenta, como vocês podem ver na foto acima (como todas deste post, tiradas pelo Lucas Terribili)

 

loi oba ostraOutra entrada que me assanhou a gula foram as ostras com curry verde (R$ 32), que vêm levemente aquecidas em pasta de curry e servidas ensopadas em sua concha com coentro, cebolinha roxa e folhas de limão kaffir.

 

loi oba arrozEntre os pratos principais, sugiro o Kao pad gung moo grob (R$ 52), arroz frito na wok com mix de vegetais crocantes, camarão e torresmo – tem também a versão menor (R$ 36,50) e a vegetariana (R$ 45).

Ah, dia 27 vai rola o Obá na Calçada, das 18h às 21h, que terá o chef Maurício Santi como convidado. E tem mais: além da decoração temática com motivos tailandeses preparada pelo sócio e arquiteto Carlos Tavares, os clientes poderão sentir o clima da festa tailandesa mais de perto, deixando suas oferendas com velas no espelho d’água da entrada da casa, atraindo assim boas vibrações para o final de ano.

Obá – Rua Melo Alves, 205, Jardins, tel. (11) 3086-4774, www.obarestaurante.com.br

Aperol Spritz: receita do drinque mais refrescante da vida

aperolOk, eu me rendo ao calor e a esse tempo abafado. Tenho resfriado até cabernet sauvignon pra não parecer vinho quente de quermesse. O que tem rolado muito em casa é Aperol Spritz. Ok, está longe de ser uma novidade, mas estou pra ver drinque mais refrescante, versátil e fácil de preparar. E nem venha com o mimimi “Ah, mas nem sei onde compra Aperol…” Qualquer supermercado (Pão e Açúcar, Carrefour, Walmart, Zaffari, Extra) tem. A garrafa custa uns R$ 30 e rende vários drinques. E só juntar com água gasosa e espumante (eu prefiro brut, mas fiz uma receita com Chandon Riche demi sec ou com Chandon Passion e o toque adocicado foi muito bem-vindo).  Bora fazer?

Aperol Spritz

Ingredientes
3 doses de espumante
2 doses de Aperol
1 dose de água com gás
1 rodela de laranja
gelo

Modo de fazer
Em um copo alto e largo, coloque o espumante, seguido do Aperol e do gelo. Complete com a água gasosa e adicione a rodela de laranja. Nossa, que difícil, hein?