Tá Broa… e tá gostosa!

broaHoje, ao chegar à agência, um mimo me esperava: um saco com broas, cortesia do colega de profissão Rafael Farias Teixeira. Apaixonado por broas, o jornalista se juntou a outro fã da guloseima, o designer João Koepke, e abriram o Tá Broa. Os meninos não perderam tempo: o serviço já tem sete sabores, da tradicional broa caxambu (à base de fubá), até chocolate e goiabada. Cada uma tem sua particularidade:  a salgada, de parmesão e tomate, vai com orégano, em vez de erva doce; já a de limão leva creme de leite e leite condensado no lugar do leite. #pense
Provei três enquanto tomava meu café e adorei: massa molhadinha, cremosa na boca, com sabores bem definidos (a de paçoca é incrível). Funciona assim: você pede pelo email contatotabroa@gmail.com  no mínimo com um dia de antecedência, pra que chegue fresquinha. Os preços vão de R$ 10 (15 broas, num só sabor) a R$ 60 (120 broas até quatro sabores). E eles entregam em casa (de R$ 5 a R$ 10 de taxa, dependendo do local).

Antiquarius volta a SP com pratos portugueses em ambiente mais leve

Bacalhau com polvo e aspargos, do novo Antiquarius

Bacalhau com polvo e aspargos, do novo Antiquarius

Uma das casas mais tradicionais do cenário gastronômico de SP acaba de reabrir. Trata-se do lendário Antiquarius, restaurante português inaugurado em 1977 no Rio de Janeiro (onde continua, firme e forte), cuja filial paulistana funcionou de 1990 a 2012 nos Jardins (e há também uma filial em Brasília). A nova versão da casa, agora chamada Antiquarius Grill, está sob o comando dos sócios Antonio Perico (da família fundadora do Antiquarius) e Walter Benvenuti e fica na mesma Alameda Lorena, porém em outro número. O menu? Clássicos portugueses, claro, como o cremosíssimo e aromático arroz de pato (R$ 85). Também tem espaço para criações inspiradas, caso desse bacalhau com polvo (R$ 89): a posta do pescado, com crosta de vôngoles e alho, vem acompanhada do molusco bem macio e aspargos.

 

couvertA cozinha, comandada pelo chef Lucivaldo Andrade, que trabalhou do Antiquarius de São Paulo por 17 anos. E no novo Antiquarius ele não decepciona. Começando pelo famoso couvert (R$ 23) continua intenso: bolinhos de bacalhau, croquetes de carne, rissoles e queijo derretido, feito com coalho português por uma cooperativa da cidade de Macuco (RJ).

 

bacalhau do abadeOutro clássico da casa: bacalhau do abade (R$ 67), com o pescado cozido em leite, desfiado e preparado com creme de leite, cenoura e cebola – e gratinado com parmesão. Calorias que valem a pena ingerir.

 

camaroesUma boa sugestão de entrada é o camarão à Zico (R$ 49), em homenagem ao jogador do Flamengo: uma panelinha bem quente, cheia de camarões salteados com pimentões vermelhos e azeite temperado.

 

carpacio bacalhauOutra entrada, esta mais leve: carpaccio de bacalhau (R$ 45), fatias bem finas do pescado, temperadas e cobertas com lascas de queijo parmesão.

 

docesNo setor de sobremesas, o destaque obviamente, vai para os famosos doces conventuais, feitos com gemas de ovos e muito açúcar, como esse toucinho do céu (R$ 23).

 

strogo doceHá uma curiosa variedade, que faz sucesso na matriz carioca mas aqui ainda terá de batalhar para virar hit: strogonoff de nozes (R$ 23), um creme intenso, bem menos doce do que seus companheiros de menu, com nozes picadas. Um interessante choque de texturas, mas ainda sou mais uma boa siricaia ou uma potente encharcada de ovos.

 

tomateO novo salão, com 72 lugares, tem projeto do arquiteto João Mansur, que criou um ambiente com muita iluminação natural, graças à fachada de pé direito duplo com vidraça para a rua. A cor laranja, marca registrada da casa, este presente em alguns detalhes, em meio aos sofás de couro marrom escuro e quadros do acervo da família Perico. E no andar superior, há a adega e uma varanda envidraçada com teto retrátil. Um ambiente, claro, elegante, que respira bem

Em tempo: a carta de vinhos tem 260 rótulos (60% portugueses) e é assinada pelo sommelier Ernesto Arahata (ex-Piselli e Brasserie des Arts), com algumas boas opções de dois dígitos.

Antiquarius Grill – Al. Lorena, 1040, Jardins, tel. (11) 2638-0938, www.antiquariusgrill.com.br

Balada promove festa com jantar à luz de velas

Fernando Autran, um dos sócios da Casa 92 e DJ da Terça Cult

Fernando Autran, um dos sócios da Casa 92 e DJ da Terça Cult

Quem disse que gastronomia não combina com balada? Amanhã, dia 5, a produtora Nelba Cardoso promove a primeira Terça Cult na Casa 92, projeto que une arte, música, moda e gastronomia. Esta última estará a cargo do chef Cássio Machado, do restaurante Rex: ele criou um menu especial para a festa que em como entrada creme de mandioca, seguido do prato principal papelote de robalo com camarões, tomates frescos e ervas, acompanhado de farofa de banana, e de sobremesa, torta de maçã com calda de gengibre. O jantar será servido em mesas à luz de velas na Pracinha da Casa 92 e custa R$ 79 por pessoa. A festa ainda terá pocket show da Patrícia Coelho e sua banda, exibição de trailers da produtora Heist Films Entertainment, e set list dos DJs Fernando Autran, Ida Feldman e Taty Takasse. Detalhe: a entrada é franca. A Terça Cult rola dia 5 de agosto, das 21h às 2h na Casa 92 – aliás, estive lá uma vez, adorei o ambiente e contei tudo aqui.

Casa 92 - Rua Cristovão Gonçalves, 92, Pinheiros, tel. (11) 3032-0371, casa92.blogspot.com.br

Casa charmosa serve um dos melhores croissants de SP

 

Bolo de banana com doce de leite logo de manhã: pode?

Bolo de banana com doce de leite logo de manhã: pode?

Hoje tomei o que um amigo chama de “café da manhã dos campeões”. Leia-se, comi à beça – e comi bem. Fui conhecer a Santo Pão, boulangerie que abriu nos Jardins em março e que funciona todos os dias das 7h às 21h (inclusive aos domingos). Sim, há demanda pra toda essa oferta: o simpático espaço, dividido entre terraço e um aconchegante salão, serve uma interessante variedade de pães com fermentação natural, tapiocas, ovos em vários preparos, sucos (inclusive detox), pequenas refeições (saladas com quiches, focaccias e sanduíches) e doces tentadores. Como esse bolo de banana recheado com doce de leite (R$ 6 a fatia, R$ 60 o bolo inteiro).

 

Ovo cremoso mexido com cream cheese e eras (R$ 12)

Ovo cremoso mexido com cream cheese e eras (R$ 12)

A Santo Pão, na verdade, existe desde 2009, quando o padeiro Pedro Calvo e sua mulher abriram a casa no Alto da Lapa. Mas em 2013, resolveram fechar para o público, continuar atendendo encomendas e procurar um ponto com mais movimento. Assim surgiu a nova casa, que tem mais sócios e também fornece pães para seu vizinho, o badalado Bagatelle. Aproveitei a manhã de sol de hoje, sentei numas das cadeiras de ferro do charmoso terraço e mandei ver!

 

sucoComecei com excelente croissant (R$ 5), com manteiga (R$ 2) e geleia artesanal de maracujá (R$ 3). Grande, gordinho, extremamente crocante e saboroso, esse é certamente um dos 5 melhores croissants da cidade. Pra não ficar tão feio o pecado da gula, pedi um suco detox Vogue (R$ 12), com abacaxi, couve, suco de limão batido com capim santo, pedaços de gengibre, mel e morango.

chapa2Para os tradicionalistas, tem pão com manteiga na chapa (R$ 4) e um cremosíssimo pão com requeijão na chapa (R$ 7). Mas eu apostaria também na cestinha de pães variados (R$ 7), como os de azeitona, de nozes e multigrãos. Escolha uma das tapiocas (de R$ 10 a R$ 13), que são grandes e têm diversos recheios.

foccciaComo eu disse antes, o local tem sanduíches como croque monsieur e croque madame (R$ 21), mortadela e brie na focaccia (R$ 23) e milanesa de frango com mussarela de búfala (R$ 23), todos acompanhados de salada de batata doce com mostarda dijon ou chips de batata. Outra pedida é a focaccia bem recheada, como esta da foto, de tomatinho, pesto de rúcula e mussarela de búfala (R$ 6 o pedaço ou R$ 60/kg).

croissantA casa ainda não tem brunch aos finais de semana, mas já estuda a operação. Se quiser, o cliente pode optar por combos de café da manhã, em qualquer dia, como o Petite (R$ 20), com fruta, suco natural, croissant, manteiga, geleia, café; ou o Moyenne (R$ 30), com fruta, suco, cesta de pães variados, manteiga, geleia, 2 fatias de frios, 2 fatias de queijos, bolo ou brioche au chocolate e café. Seja como for, peça sempre um croissant a mais (apaixonei, né?)

Santo Pão – Rua Padre João Manuel, 968, Jardins, tel. (11) 2309-5594, http://www.santopao.com.br

 

Última chance de conhecer a cozinha de Lourdes Hernández

Hugo Delgado, do Obá, e a cocinera Lourdes Hernández, que volta para o México

Hugo Delgado, do Obá, e a cocinera Lourdes Hernández, que volta para o México

A cocinera mexicana Lourdes Hernández vai embora do Brasil, onde mora há 13 anos. Volta pro México em setembro. Se você pensou “e daí?”, provavelmente nunca comeu a comida de Lourdes. Nem participou de um dos excelentes jantares que ela e o marido, o artista plástico Felipe Ehrenberg, promoviam em sua casa, na Rua dos Cariris, em Pinheiros. Eventos com comida mexicana autêntica, apenas com amigos ou amigos de amigos, em mesas comunitárias, naquele ambiente multicolorido. Uma experiência inesquecível – fui algumas vezes e numa delas cheguei a me apaixonar por alguém que estava na minha mesa, veja só! (não, não deu em nada.)

O festival tem María Sangrienta, bloody mary à mexicana, e 30 rótulos de tequila

O festival tem María Sangrienta, bloody mary à mexicana, além de outros drinques e mais de 30 rótulos de tequila

Bem, Lourdes se vai e está rolando uma série de despedidas pela cidade. Como esse festival Semana de la Gastronomia Mexicana y del Tequila do Obá, que vai até dia 3 de agosto, e tem menu com 18 pratos, baseadas no receituário popular mexicano. Como o Alambre en cubos (R$ 55), espeto de bife ancho, bacon e vegetais grelhado, acompanhado de arroz cremoso com queijo, chile poblano e grãos de milho, ou a Sincronizada con mole (R$ 24), uma quesadilla dupla, de tortilla de trigo, cortada em quatro e recheada de queijo e presunto, servida com mole caseiro, molho a base de chiles, especiarias, nozes e frutos secos Curioso? Hoje rola um jantar-degustação, com 12 receitas, bebidas e drinques pelo valor de R$ 180 por pessoa ou R$ 150 sem bebidas. E para quem gosta de tequila, o festival oferece mais de 30 rótulos de tequila e drinques típicos, como a María Sangrienta, bloody mary à mexicana preparado com clamato, sangrita e temperos, e a Margarita tradicional, servida também em versões de melancia e abacaxi.

Perito caliente, a versão mais picante  de Lourdes para o cachorro-quente

Perrito rabioso, a versão mais picante de Lourdes para o cachorro-quente mexicano

E se você quiser se despedir da Lourdes Hernández de um modo mais informal, amanhã, dia 31 de julho, rola um Obá na Calçada, organizado pelo restauranter Hugo Delgado. Das 18h às 21h, Lourdes servirá o perrito rabioso, cachorro quente bem picante, com picles de jalapeño e salsa de chile de árbol assado. Para aplacar a ardência, drinques como margarita, margarita frozen e micheladas. Um adeus simpático e atrevido da grande dama da culinária mexicana no Brasil.

Obá Rua Dr. Melo Alves, 205, Jardins, tel. (11) 3086-4774, www.obarestaurante.com.br

 

 

Comida latino-americana com capricho e sem pretensão

Taco de cogumelos com feijão refrito, abobrinhas, pimentões assados, creme azedo e  queijo minas fresco (R$ 8,50)

Taco de cogumelos com feijão refrito, abobrinhas, creme azedo e queijo minas fresco (R$ 8,50)

Maíz em portugês quer dizer milho. É também o nome da nova casa do chef colombiano Dagoberto Torres, dono do restaurante andino Suri, onde prepara um dos melhores ceviches de São Paulo. O Maíz, aliás, do lado do Suri, mas não atrapalha nem de longe o irmão mais velho. Ao contrário: enquanto o Suri faz um enorme sucesso com seus ceviches e pratos quentes deliciosos (como o lomo salteado e o arroz cremoso com frutos do mar), o pequeno Maíz se dedica a servir comida de rua latino-americana, em que o milho é protagonista ou inspiração.

empanadaO ambiente é pequeno e descontraído, com algumas mesas, muitos lugares no balcão (pra mim o melhor lugar) e até uns bancos fora.  Não há garçons – o cliente faz o pedido no caixa, paga, aguarda em seu lugar e vai buscar o pedido no balcão quando estiver pronto. Essa simplicidade ajuda a manter o clima despojado e os preços mais camadas. Antes de começar, já peça logo de cara uma empanada de carne (R$ 6). No Maíz, elas são feitas com massa de milho e fritas (não assadas), servidas com aji de abacate. Babei só de lembrar.

arepafrangoUm dos petiscos mais procurados são as arepas, macios discos de massa de milho que levam diferentes recheios. Provei duas: de frango com queijo branco e salsa de aji amarillo (R$ 13,50, na foto) e a mais deliciosa de todas, carne louca com Chile chipotle e cebolas com cerveja (R$ 14,40). O chef também serve mandioca rosti recheadas com lingüiça acebolada e queijo minas fresco (R$ 14), entre outros sabores. Esta ainda não comi, mas já quero provar.

papitas2Outra especialidade da casa são as papitas criollas com alho frito, salsinha e maionese de sriracha (R$ 5). Essas batatas são especiais, do tipo andina amarela, cultivada em Piedade, têm uma textura muito particular e ficam bem sequinhas. Outra boa pedida são os Chicharrones (cubos de barriga de porco fritos) com batatinhas salgadas e salsa verde (R$ 14,50).

fachadaO Maíz tem só duas sobremesas, a mousse de limão com bolachas de coco (R$ 5) e o salpicão de frutas (R$ 5), mas ainda não comi nenhuma. Além de refrigerantes e água, a casa tem cervejas especiais, como a belga Vedetti (R$ 15), a alemã Bitburger (R$ 9,50) e a brasileira Júpiter American Pale Ale (R$ 12). Ou, para quem quer algo bem diferente, uma Magners Berry, uma cidra irlandesa de pêra e frutas vermelhas (R$ 14,50).

No primeiro mês de funcionamento, o Maíz abria só para o jantar, mas agora está previsto para abrir também no almoço, com cardápio ampliado. Chegou em boa hora esse Hermano caçula.

Maíz – Rua Mateus Grou,472, Pinheiros, tel. (11) 3034-1451

Linguado meunière: 15 minutos e você fez um clássico francês

sole01Hoje baixou o espírito de Julia Child em mim (quem me dera!) e resolvi fazer um clássico da cozinha francesa, sole meunière – ou seja, linguado com molho de manteiga e limão. Receita ridícula de fácil e deliciosa, viu? Bora?

Sole menunière

Ingredientes
4 filés de linguado, limpos e sem ossos
10 colheres de manteiga
1/2 limão siciliano em rodelas finas
2 colheres de sopa de suco de limão siciliano
1/4 xícara de farinha de trigo
3 colheres de sopa de salsinha bem picada
sal e pimenta a gosto

Modo de preparo
Lave bem os filés de linguado – eu costumo deixar uns 15 minutos em água fria com um limão espremido, para tirar o odor mais forte do peixe, depois lavo e seco bem, com papel toalha.
Tempere cada filé com sal e pimenta. Passe cada um na farinha de trigo, dos dois lados, balance para tirar o excesso de farinha e reserve num prato.
Aqueça uma frigideira larga com 2 colheres de manteiga em foto médio-alto. Coloque dois filés na frigideira e deixe por três minutos, até dourar. Vire o peixe cuidadosamente e doure o outro lado por mais três minutos. Retire e reserve. Aqueça mais duas colheres de manteiga e repita a operação com os outros dois filés. Reserve os peixes fritos num prato aquecido.
Limpe a frigideira com papel toalha e aqueça 6 colheres de manteiga. Quando ela começar a ficar dourada pro marrom, coloque as fatias finas de limão e o suco. Misture bem, jogue a salsinha, mexa e retire do fogo.
Despeje o molho pro cima dos filés de linguado e sirva imediatamente. Pode acompanhar com arroz branco, purê de batatas ou aproveite apenas o peixe, com a casquinha crocante e o molho levemente cítrico. Voilá!

Minha experiência com duas libanesas gostosas

961Daqui a pouco faço aniversário e passei as últimas horas desse meu ano acompanhado de uma gostosa libanesa. Calma, esse blog pode até ter um pouco de food porn, mas o “porn” fica por aí. Estou falando da 961 Beer, a primeira (e única, que eu saiba) cerveja artesanal do Líbano. A partir de junho, o Brasil passou a ser o 15o país a vender essa cerveja, criada em 2006 por Mazer Hajjar. Depois de ler o livro Beer School, de Steve Hindy, da Brooklyn Brewery, Hajjar interessou-se em fazer cerveja em seu apartamento. Isso foi possível quando conheceu o executivo dinamarquês Henrik Haagen, que lhe enviava os ingredientes. Hajjar foi aprimorando sua bebida, que logo ganhou um galpão para se produzido um um pub em Beirute. Em 2009, pararam o negócio para reformular tudo e a partir de 2011 a cervejaria 961 voltou com força total e hoje produz 2 milhões de litros/ano – o nome, aliás, é o código de área do Líbano. Outro charme da cerveja é seu rótulo, que virou hit entre designers e hipsters.

Aqui são vendidas três variedades da 961, trazidas pela Brave Company, das quais acabei de provar duas: a Lager, com aromas bem maltados, um toque de panificação, sabor levemente tostado e corpo médio; e a Witbier, com aroma bem cítrico, acidez marcante, bos presença de laranja libanesa mesclado ao trigo.  Há ainda a Porter, cerveja escura, que, segundo leio, puxa para aromas achocolatados e café. Os preços sugeridos são de R$ 15 a R$ 20 para garrafas long neck. E parabéns pra mim!

961 Beer – SAC (11) 3168-6961, www.961beer.com.br

Receita: macarrão da Copa

macarraoOntem queria preparar algo rápido antes do jogo, sem precisar sair pra comprar nada. Aproveitei uma receita e alguns itens que vieram numa caixa da Quitanda, que foi reformulada e agora vende vinhos selecionados pela sommelière Daniela Bravin, pães de fermentação natural e kits prontos para sucos e saladas. A receita é um macarrão com aspargos e molho de manteiga, limão, alho-poró e hortelã – que resolvi chamar de Macarrão da Copa. É bem simples de preparar, fica gostoso e até dá pra trocar alguns ingredientes, se você não tiver tudo à mão em casa (eu mesmo não tinha hortelã e usei manjericão do meu jardim). Bora fazer a massa?

 

Macarrão da Copa
(para duas pessoas)

Ingredientes
250g de espaguete
6 aspargos frescos
200 g de tomate cereja
1 xícara de alho-poró finamente fatiado
½ xícara de hortelã picada (eu não tinha e substituí por manjericão)
150 g de manteiga
Suco de 1 limão siciliano (eu coloquei um pouco mais, 1 limão e meio)
1 pimenta dedo-de-moça picada, sem as sementes
Mix de ervas picadas (tomilho, manjericão, alecrim, orégano)
Queijo parmesão
Sal e pimenta do reino a gosto

quitandaModo de preparar
Corte os tomates ao meio e tempere com azeite, sal, pimenta, o mix de ervas, a pimenta dedo-de-moça, um fio de aceto balsâmico e uma pitada de açúcar. Faça um papillote com uma folha de papel alumínio, coloque os tomates temperados ali dentro e leve ao forno pré-aquecido a 180o por 15 minutos. Depois retire e reserve, com o papillote fechado.
Numa panela, aqueça água com uma boa quantidade de sal. Quanto ferver, coloque os aspargos e deixe fervendo por 5 minutos. Depois, apague o fogo e deixe os aspargos na água por 10 minutos. Escoe, corte os aspargos em rodelas , tempere com sal e pimenta e reserve.
Aqueça a manteiga até começar a derreter. Junte o alho-poró, a
hortelã (ou manjericão), o suco de limão siciliano, tempere com sal e pimenta. Misture bem até começar a fazer borbulhas, daí tire do fogo.
Prepare o espaguete conforme as instruções da embalagem (em geral, cozimento de 8 minutos em água fervente com sal). Para servir, divida a massa cozida em dois pratos, cubra com o molho de manteiga, coloque os aspargos picados e os tomatinhos. Salpique com algumas lascas de queijo parmesão, abra um bom vinho tinto e pronto!
Quitanda – Rua Mateus Grou, 159, Pinheiros, tel. (11) 3081-7901 , www.quitanda.com

Copa 2014: Brasil a Gosto cria mais dois menus de petiscos

espeto carne solLembram do menu de petiscos Cardápio da Torcida do Brasil a Gosto, que eu falei aqui? Então, o Segundo Tempo dessas delícias está rolando desde o fim de maio e termina esse fim de semana. Dessa vez, o menu da chef Ana Luiza Trajano faz homenagem às capitais Belo Horizonte, Manaus, Porto Alegre e Natal – esta última, por exemplo, está representada por uma deliciosa tapioca com espetinho de carne de sol e queijo coalho, acompanhado de paçoca com feijão verde e molho de nata com queijo (R$ 29). Quer saber mais dessa partida? Vem comigo. Continuar lendo