Fondue à japonesa

Mesa cheia: os ingredientes do shabu shabu, o cozidão nipônico

Ando com paladares muito nipônicos ultimamente. Ontem, por exemplo, fui conhecer o Rangestu of Tokyo. Mas se você pensa que fui lá encher a cara de sushi e sashimi, está muito enganado. Até teve sushi, um quarteto delicioso (atum, salmão,  sardinha e camarão), com shoyu importado do Japão (encorpado, uma beleza!) e gengibre. Mas o prato principal era quente e foi uma ótima surpresa. Trata-se do shabu shabu (R$ 80), prato cujo princípio me lembrou uma fondue, porém com resultado mais leve. E como funciona essa fondue japa?

Começo clássico: quarteto de sushis, com corte exato

A execução é parecida: uma panela de cobre (que parece uma forma de fazer pudim) vai à mesa, em cima de uma fogareiro e cheia do caldo dashi (à base de alga kombu e peixe). Ali são colocados vegetais, como acelga, cogumelos, alface, nirá, e tofu. Conforme o caldo esquenta, os aromas vão surgindo. Dá água na boca de lembrar!

Festival de aromas: vegetais e tofu que vão no caldo fervente e os molhos pra mergulhar a carne já cozida. Intenso.

Aí começa a diversão. Num prato ao lado, há 200 g de kuro gue buta (vulgo porco negro), carne fatiada bem fininha, parecendo um capaccio cor-de-rosa. Você pega a fatia com o hashi, mergulha no caldo fervente, mexe um pouco e segundos depois ela sai cozida, branquinha. Daí é só coloca-la num dos dois molhos, o goma dare, à base de gergelim, amendoim e alho negro, ou o ponzu, à base de shoyu com notas cítricas, e… comer! O porco, cozido delicadamente, já está macio e saboroso. Só tome cuidado: quando sai do caldo, a carne está muito quente – o mergulho no molho “regula” a temperatura pra não queimar a boca. Fiz isso, botar diretamente na boca, com um pedaço de tofu e quase mifu. Ah, sim, você pode (e deve) comer também os vegetais que estão no caldo.

Pra finalizar, uma porção de lámen quentinho, com o caldo do shabu shabu

Para finalizar, o chef mandou uma tigelinha de lámen (R$ 8) preparado com trigo especial. Ele recebe, com uma conchinha, o caldo que cozinhou todos aqueles ingredientes por quase meia hora. Imagine o resultado de sabores e aromas que essa mistura traz! Nem lembrei de sashimis e similares.

Nem precisava, mas o abacaxi assado com canela deu um toque querido à comilança

O prato dá pra dois com fome média. Eu, claro, quase comi um sozinho. Ainda teve espaço pra uma sobremesinha interessante, abacaxi assado com canela. Tudo regado a caipisakê de frutas vermelhas. Eu sei, eu sei, bebida engorda e tal, mas ontem eu queria apenas ser feliz. E fui. Muito.

Rangestu of Tokyo – Av. Rebouças, 1.394, Pinheiros, tel. (11) 3085-6915

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s