Brevidades com plus-a-mais-adicional

Releitura do bolo da mamma: cupcake de cenoura coberto com chocolate

Um amigo meu, muito do debochado, costuma dizer que um cupcake não passa de uma brevidade com complexo de superioridade. Besteira dele. Claro que tem muita coisa meia-boca com cara de cupcake, só porque é moda. Mas eu adoro quando a guloseima está bem-feita, com massa molhadinha, coberturas e recheios criativos. Como os que você vai vr agora.

Continuar lendo

Anúncios

Dica “vai, gordinho” do dia

Queijinho do céu: rompida a casquinha, vem esse escândalo de ovos cremosos

A pessoa aqui acordou com boas intenções. Café da manhã na boa (frutas, torrada de requeijão light), almoço leve e reunião de pauta a tarde toda, à base de café e água. Mas agora chego na minha mesa e dou de cara com isso. Desaforo? Não, muito amor!

Trata-se da sobremesa portuguesa queijinho do céu. Não, não leva queijo. Tem esse nome pela consistência cremosa. É mais um daqueles doces típicos dos conventos, à base de ovo, amêndoas e muito açúcar. A massa é uma casquinha, que esfarela rapidamente, abrindo para o creme amarelão, com umas 8 mil calorias.

Continuar lendo

Americano inventa manteiga frita no palito

Filminho de terror: o passo-a-passo da manteiga frita no palito!

Já comeu uma barra de manteiga no palito? Que tal frita-la antes? Nojo, né? Pois o americano Larry Fyfe está vendendo essa iguaria super light (NOT!) em sua barraquinha de guloseimas na Feira Estadual de Iowa. Vejam só que comidinha mais natureba e leve! Veja o vídeo completo aqui!

Moleque corajoso! Ele mordeu a bomba de gordura e disse que tem gosto de rolinho de canela.

Um detalhezinho dessa bomba de calorias e colesterol: com a fritura, a manteiga obviamente derrete! O moleque do vídeo experimentou e, assim que deu a primeira mordida, tomou um banho de manteiga derretida. A gosma desceu pela mão, braço e queixo do menino como se fosse lava vulcânica.

Olha só que belezura que fica a mão. Imagine o estado do interior do estômago dessa criatura!

Só um conselho: mesmo que você for mais magro do que o palito da manteiga frita, promete que não vai tentar fazer isso em casa?

A Paraíba logo ali na esquina

Começou bem: queijo coalho empanado com vinagrete de abacaxi e gengibre - e uma caipirinha refrescante

Ontem a noite foi arretada! Jantei no Brasil a Gosto e experimentei os pratos do menu criado pela chef Ana Luiza Trajano para homenagear o estado da Paraíba. Casa lotada, mesa farta e pratos com forte sotaque – segundo Ana Luiza, eles remetem às três regiões do estado. O festival paraibano começa hoje, é servido no almoço e no jantar,  e segue até novembro.

Continuar lendo

O poderoso italianão

Mamma mia! Nhoque com ragu de coelho e mix de cogumelos. Quase raspei o molho com pão!

Ontem finalmente fui conhecer o Santovino. O restaurante italiano abriu há cerca de dois meses, no mesmo imóvel onde ficava a tabacaria Davidoff. “Deixe os charutos, traga os canolli”, parafraseando o capanga de O Poderoso Chefão. Eu diria, esqueça o que você tem pra fazer hoje e vá jantar lá agora!

Continuar lendo

Muito além da cuba libre

As duas versões do rum que mudou minha opinião sobre a bebida: o 23 (com o gelinho) e o XO, com a garrafa que lembra a do conhaque Hennessy

Acabei de comentar no post abaixo que gosto de beber. Vinho, champagne, vodca, uísque, saquê, drinques. Ei, ei, pode parando de me chamar de Santana! Bebida boa é sempre uma experiência interessante – desde que você saiba dosar! Mas rum… taí um destilado que não me desagrada, mas para o qual nunca liguei muito. Há algumas semanas, fui ao lançamento do Zacapa, rum da Guatemala que está chegando ao Brasil. Bem, minha experiência com esta bebida transformou minha opinião. Veja por quê.

Continuar lendo

Brigadeiros aos tragos

Hic! Brigadeiros para o papai em cinco sabores etílicos. O melhor é o de baileys!

Adoro chocolate. Também gosto de tomar uns drinques. Nem sempre as duas coisas – chocolate e álcool – se dão bem juntas. Por isso fiquei muito curioso quando vi o lançamento do ateliê Maria Brigadeiro para o Dia dos Pais. A caixa Botequim traz 25 brigadeiros “etílicos”; ou seja, o docinho mais brasileiro do mundo em cinco sabores: rum, vinho do porto, amaretto, baileys e, claro, a também super brasileira cachaça artesanal.

Continuar lendo