Já tomou Água do Mar antes do sushi?

PearMint: vodca de pera, tangerina e menta, criação do Henrique Medeiros e o melhor drinque da noite

Sempre venho aqui falar dos novos menus e criações incríveis do chef Tsuyoshi Murakami, do restaurante Kinoshita – o homem já fez cardápios japas harmonizados com vodca francesa, uísque escocês, champagne e até rum guatemalteco (lembra? você leu aqui). Hoje, no entanto, vou falar das novidades de outro craque do Kinoshita, que fica no andar de cima do restaurante: o bar chef Henrique Medeiros. O grande barman aumentou a carta de drinques com seis novas – e deliciosas – receitas pro povo relaxar enquanto espera a mesa no andar de baixo. Ou para beber durante a refeição – pois todos casam perfeitamente com a culinária nipônica do mestre Murakami. E eu tomei todos, claro… Quer saber como são?

Continuar lendo

Menu executivo de grife

Risoto de açafrão com ragu de ossobubo e cogumelos: o prato que faz Rogério Fasano lembrar de sua avó

Buon giorno! Essa semana começou bem italiana, com o restaurateur Rogerio Fasano como entrevistado do Roda Viva, na TV Cultura (que você pode ver aqui ). Por coincidência, uma semana antes eu fui ao Gero, um dos restaurantes do Rogério, para provar o Menu Mezzogiorno. É um “executivo premium”, servido no almoço de segunda a sexta. Inclui entrada, prato principal e sobremesa. Custa R$ 80. Sim, não é barato mesmo. Porém, é uma maneira de fazer uma refeição completa num dos italianos mais bacanas da cidade, pelo preço de muitos dos pratos individuais da casa. E eu digo: vale o investimento. Querem saber o que eu comi?

Continuar lendo

Sonhos de verão numa mesa paulistana

A deliciosa versão do filé Oswaldo Aranha feita por sua bisneta, a chef Bel Coelho. Já é o prato mais pedido do menu!

Finalmente conheci alguns pratos do novo menu do Dui. Estava razoavelmente ansioso por isso, pois conheço o trabalho da chef Bel Coelho há uns bons anos e gosto muito do restaurante – ambiente, serviço e, claro, a comida gostosa de Bel, cujas receitas sempre brincam com ingredientes brasileiros. Mais uma vez, ela não me decepcionou: pratos de alma simples, com execução sofisticada, num resultado tão gracioso quanto a chef e sua casa em tons de magenta. Senta aqui que eu te conto!

Continuar lendo

Que tal fazer rabanadas recheadas no Natal e matar sua tia de inveja?

Bolo guirlanda de nozes recheado de quindim, do Lucas Corazza: ainda bem que eu tinha acabado de correr uma hora!

Conheci o chef pâtissier Lucas Corazza, do Bar.bar Gastronomia, no meio do ano, quando fiz uma matéria sobre um dos melhores doces que já comi, criação do grande Corazza: o bolo rocambole “em pé”, uma massa super macia em espiral recheada com goiabada molinha e creme de mascarpone e limão. Sim, salivo só de lembrar. Não é que outro dia, o danado foi até minha academia para me levar duas sobremesas de seu cardápio de ceia de Natal? Uma delas é essa lindeza da foto, um bolo guirlanda de nozes – sem farinha – recheado com quindim e coberto com suspiro.

Continuar lendo

Os aromáticos cafés do robozinho

Não contém robô! É só café mesmo - e do bom

O tempo muda mesmo a gente – e muitas vezes no bom sentido. Por exemplo, quando eu era mais novo, não gostava de comida japonesa. Só as “quentes”. Sushi, sashimi, shoyu… odiava tuso isso. Hoje,gosto tanto que se pudesse passaria a semana jantando só no japa, e seria um homem mais feliz (e mais saudável). Com café foi pior. Nunca gostei, desde moleque. Nem misturado ao leite; tinha de ser Nescau ou Ovomaltine (não era também muito fã de Toddy, sorry, Dani Albuquerque). Não entendia o prazer das pessoas em finalizar uma refeição com aquela tinta de cheiro forte. Eu preferia ficar com o gostinho da sobremesa até a hora de escovar os dentes.

Continuar lendo

Confesso: comi tartaruga… e gostei!

Lombo de tartaruga laminado com emulsão de óleo de castanha do Brasil: a carne veio de fazenda autorizada pelo Ibama! E é uma delícia!

Você já comeu tartaruga? Eu nunca havia provado, mas ontem comi… e gostei. Calma lá! Antes que você me jogue no mármore do inferno ecológico, saiba que o bicho veio de fazenda de cultivo em cativeiro, legalizada pelo Ibama! Nada de pesca predatória nem comércio ilegal. Enfim, o prato faz parte do menu especial do Acre, que começa a ser servido hoje no restaurante Brasil a Gosto.

Continuar lendo