Uma noite dedicada à sobremesa

Tadááá! Foi essa a razão e o porquê da minha visita ao Arola: torrija sobre espuma de chocolate e sorbet de frutas vermelhas

Estou ficando véio! Com toda a loucura do começo de ano, havia me esquecido de contar aqui uma super gordice que cometi no fim de 2011. Mas ainda dá tempo. Uma semana antes do natal, tomei coragem e enfrentei (de metrô) uma av. Paulista lotada de gente, que se espremia pelas calçadas pra ver as decorações natalinas, incluindo uma banda de papais noel. Meu objetivo era outra: ia ao Arola Vintetres, no 23º andar do Tivoli Hotel, para experimentar uma… sobremesa! Loucura? Obesidade? Doença? Não, mas era algo tão diferente que eu tinha de ir. Veja se concorda comigo. Continuar lendo

Anúncios

O cheeseburguer mais gordo do mundo

Olha só o tamanho da criança...

Santo Xenical! Meu amigo Felipe Tchê me citou num post curioso em seu Facebook e tive de dividir isso com vocês. Trata-se do making of de um bacon cheese burger. Ou seja, um hambúrguer bem gordão, recheado com muito queijo cheddar, envolto em fatias de bacon, e depois coberto com molho chili. Não sei as proporções da receita, no site 9GAG só havia as fotos (em tom de deboche), mas os gulosos e corajosos de plantão podem se aventurar. Olha só as três etapas: Continuar lendo

Cachaça com pegada de scotch

Cambraia 5 Anos: gostinho de carvalho

E como as noites desse verão estão mais outonais que qualquer mês de abril, uma boa saída gourmet é um shot de destilado pra dar aquela esquentadinha (aham, senta lá, Heleninha Roitmann!). A dica é a nova Cambraia 5 anos, versão inédita da cachaça artesanal extrapremium da Indústria de Bebidas Pirassununga (que completou 90 anos em 2011).
A bebida dourada passa por envelhecimento de cinco anos em tonéis de carvalho francês de apenas 250 litros e tem um toque aveludado na boca, mesmo com os 40% de graduação alcoólica. O blend varia da baunilha às amêndoas, com um bom amadeirado, que remete a um scotch. Gosto de tomar pura, mas prefiro gelada (sei que os puristas vão me matar, mas gosto é gosto, gente!). A garrafa (bonita, aliás) de 700 ml custa R$ 140. Saúde!

cachacacambraia.com.br

O pior sushi da cidade

De longe até parecia bom. Mas foi tipo vergonha alheia culinária

Semana passada tentei ir ao cinema do Shopping Bourbon Pompéia. Queria ver A Separação, mas a última sessão já havia lotado uma hora antes. Pra não perder a viagem, resolvi comer por ali mesmo. Feriadão, praça de alimentação lotada, eu quis fugir das gorduras fáceis dos sanduíches e das massas rápidas, que têm todas o mesmo sabor de plástico temperado. Japonês era a saída! Infelizmente, o único japa desse shopping é o Gendai, uma rede que, via de regra, me deixa frustrado. Toda vez que como ali, saio reclamando e jurando que foi a última. Dizia minha avó: “errar é humano; insistir no erro é burrice”. Vovó sabia das coisas mas o netinho aqui não aprendeu direito e decidi apostar num novo “executivo” deles. Acho que o resultado não podia ser pior. Continuar lendo

Cosmotea, o primo zen do cosmopolitan

Fresquinho e gostoso, o cosmotea leva chá no lugar do suco de cranberry

Até que enfim é sexta-feira! E nada como um drinque pra esquentar esse fim de semana de verão gelado. A dica é o Comotea, uma releitura do meu coquetel preferido, cosmopolitan, feita pela A Loja do Chá Tee Gschwendner, onde custa R$ 27,50. Olha a ousadia: trocar o suco de cranberry por chá!  Experimentei e… gostei muito. Eu sei que a foto está feia, mas o drinque estava ótimo; e a quiche também era demais, seus maldosos!. O cosmotea é fresquinho e fácil de fazer, mas tem de usar o chá indicado, senão não garanto resultados. Bora! Continuar lendo

Um camarão de lamber os beiços

Cocotte de camarão à provençal: quase dou vexame, pois queria lamber a panelinha antes do garçom levar

Se houvesse uma espécie de medalha olímpica para o restaurateur mais ativo de São Paulo, o Juscelino Pereira seria um dos favoritos na categoria! Me acompanhem: o simpático paulista de Joanópolis é dono do ótimo Piselli, sócio do Zena Caffè (que fez três anos ontem e vive cheio) do premiado Tre Bicchieri e da nova pizzaria de grife Maremonti Jardins (que comentei aqui). Não é que agora o Juscelino resolveu sair da curva italiana e se aventurar na gastronomia francesa? O nome do novo restaurante é La Cocotte, no mesmo endereço onde funcionava outra casa do empresário, a Ministro 1153. E a guinada à francesa já se mostra campeã: mal abriu e o lugar está bombando (comi lá numa quarta qualquer e não havia mesa livre). Mas o que importa mesmo é a comida – e a do La Cocotte é deliciosa. Continuar lendo

Tamanho não é documento…

Mesa de casamento, não pode faltar bem-casado! Este vem em camadas, coberto com glacê

… ainda mais em confeitaria! E tai um livro novo pra confirmar o ditado. Festas em Miniatura – docinhos para comer com as mãos em qualquer ocasião (R$ 64,90, Ed. Senac) é daqueles livros de receita que dá vontade de sair correndo pra cozinha assim que você começa a folhear. E o que tem nele? São mais de 70 receitas de doces no estilo finger food, para datas comemorativas como dia dos namorados, páscoa, casamento, chá de bebê, festa junina, natal e até Halloween (ou dia do Saci!). Quer saber como são os docinhos? Então vem comigo! Continuar lendo

Uma salada verde-e-rosa com molho de… framboesa!

Adorei as garrafinhas coloridas e os sabores dos molhos da Norma's Gourmet. Agora quero o Tropical Vinagrete, com essa manga decorada na embalagem

Às vezes acho que minha gula não tem limites! Domingo retrasado, bateu aquela vontade insuportável de comer o piggy burger, o hambúrguer coberto com costelinha desfiada do 210 Diner. O desespero foi tamanho que cheguei no restaurante cedo: faltavam ainda uns 15 minutos pra abrir. Morri de vergonha e fui dar uma volta no Pão de Açúcar lá do lado, onde ia ficar a estação de metrô que foi cancelada por causa da tal “gente diferenciada”. E não é que acabei comprando algo de comer no supermercado? Molho de salada à base de… framboesa! E esse era só um dos sabores… Continuar lendo

Entre tapas, um paredão e a cerveja do Ferran Adriá

Paraíso em bocadinhs: croquetes empanados recheados de presunto ibérico envolto num cremoso molho bechamel. Hummmm!

E o paulistano está cada vez mais a fim de tapas. Não, esse não é um post sobre sadomasoquismo – a piada ruim foi só pra falar das tapas, esses pratos típicos da Espanha, pequenas porções que acabam virando uma refeição – ainda mais acompanhadas de uma bebida. A modinha tem ganhado força na cidade e agora ganhou mais um restaurante especializado. É o Alma María, casa espanhola com cardápio assinado pelo chef catalão Tony Botella e um salão amplo (395 m2!), com projeto impressionante do arquiteto Artur Casas. Quer saber mais? Continuar lendo

Quando a França invade a Itália

Batuto di manzo al’albanese: comi essa versão italiana do steake tartare de entrada,. mas é um dos pratos principais. Atento ao charmoso leque de batatas

Quase comi os cotovelos de curiosidade quando eu soube que Francisco Barroso e Nancy Mattos, o casal à frente da rede Le Vin, estavam abrindo um restaurante italiano, o Figurati (atenção aqui, o nome se pronuncia com acento no U, “figúrati”, não no A, “figurÁti”, ok?). Afinal, o casal fez história na cidade com o saudoso Café Antique (um dos melhores franceses que São Paulo já teve, comandado por cinco anos pelo chef Erick Jacquin) e hoje espalha filiais do Le Vin até no Rio e em Brasília. Portanto, em plena segundona, lá fui eu pros Jardins pra ver se a mudança de sotaque havia afetado o time de casas campeãs de Francisco e Nancy. Afinal, a Itália está no meu sangue… Continuar lendo