Entre tapas, um paredão e a cerveja do Ferran Adriá

Paraíso em bocadinhs: croquetes empanados recheados de presunto ibérico envolto num cremoso molho bechamel. Hummmm!

E o paulistano está cada vez mais a fim de tapas. Não, esse não é um post sobre sadomasoquismo – a piada ruim foi só pra falar das tapas, esses pratos típicos da Espanha, pequenas porções que acabam virando uma refeição – ainda mais acompanhadas de uma bebida. A modinha tem ganhado força na cidade e agora ganhou mais um restaurante especializado. É o Alma María, casa espanhola com cardápio assinado pelo chef catalão Tony Botella e um salão amplo (395 m2!), com projeto impressionante do arquiteto Artur Casas. Quer saber mais?

O colorido "paredão" que impera sobre todo o ambiente, num projeto arrojado do Artur Casas

Olha, vou reforçar a história do ambiente porque o projeto realmente é lindo. Uma altíssima parede lateral “sustenta” os quatro andares (!) vazados. O paredão é na verdade uma imensa reunião de nichos quadrados, decorados com material de armazém (detergentes coloridos, pilhas de sabão em pedra, vidrões de palmito, grandes frascos de mostardas), garrafas de vinhos, caixas de madeira, livros e por aí vai. Lindo, lindo. Ao fundo, fica a adega vertical, também visível das mesas no andar inferior, do balcão de tapas no térreo, das mesas do primeiro piso e do bar turquesa no andar superior.

Tiradito de de creme de queijo azul, cebola confitada e nozes caramelizadas. Duas mordidas e pronto: queria uns dez outros

A comida, como eu já disse, se baseia nas tapas e pinchos, mas há pratos também. Os primeiros astros do menu são os montaditos, bocadinhos com base de pão torrado cobertas com ingredientes frios ou quentes. Entre os primeiros, adorei o de creme de queijo azul, cebola confitada e nozes caramelizadas (R$ 6) e o de guacamole com filé de anchova (R$ 6). Quer montaditos quentes? Prove o de chorizo negro com cebola frita (R$ 7), o de peito de frango cozido com maçã ao curry (R$ 7) ou o de filé mignon com alho frito em azeite e aromatizado ao balsâmico (R$ 7). Pros indecisos (eu) e gulosos (eu 2 vezes) há degustações com quatro opções frias (R$ 22) ou calientes (R$ 24)

O sortido de ibéricos, uma pirâmide cheia de jamón, pepino, azeitonas e o delicioso queijo manchego

O Alma Maria também tem tapas clássicas, como as sensacionais croquetas de jamón ibérico (R$ 21), croquetes empanados recheados de presunto envolto num cremoso  molho bechamel – há uma versão com recheio de bacalhau e bechamel (R$ 14), mas o de jamóm dá de dez em sabor. Outro clássico são as patatas bravas (R$ 12), batatas coradas com molho levemente picante e maionese suave. Entre as tapas frias, esqueça a tortilla española (R$ 12), que achei sem sal e borrachuda. Prefiro o surtido de ibéricos y queso manchego (R$ 45), uma saborosa pirâmide de embutidos, jamón, conservas (como pepino e azeitonas) e o delicioso queijo manchego.

Esqueça a tortilla sem graça: peça um vitelo tonnato, com fatias fininhas e molho de atum

O menu tem uma seção com “especiais da casa”, como salmão marinado (R$ 35), com salada de pepino e vinagre de arroz, costelas de cabrito empanadas com molho de menta (R$ 38) e um dos pratos que mais gosto, o vitelo tonnato (R$ 31), que são  lâminas finas de vitela com molho de atum.

O fideua de setas, com mix de cogumelos, foi o mais saboroso

Tá com fome? Há os fideuas, os “primos” da paella, que levam macarrão no lugar do arroz (e se pronuncia “fideu-á”). Provei dois dos quatro tipos que há no menu: o fideua com lulas em sua tinta (R$ 46), no qual senti falta do molusco; e o fideua de setas (R$ 42), com um mix de cogumelos, que achei mais úmido e com melhor sabor.

Crema catalana: o creme brulée com toque de maracujá

Pra fechar, claro, os postres – ou seja, sobremesas! A mais bonita é o doce de abacate (R$ 15), que vem com fatias de banana assadas no açúcar. Bonita, mas sem muita graça, como tanta gente que vemos por aí (xi, hoje acordei azedinho). Muito melhor é a crema catalana de maracuya (R$ 15), o bom e velho creme brulée com toques de maracujá. Mas se você está de olho nas calorias, melhor apostar mesmo numa especialíssima… cerveja!

Estrella Damm, a cerveja criada pelo chef Adriá. Pelo enquadramento, nota-se que eu ja tinha tomado várias

Sim, o Alma María tem muitos vinhos e cavas ótimas para harmonizar com seu menu, mas eles também tem a Estrella Damm, cerveja elaborada pelo chef catalão Ferran Adrià. Eu achei maravilhosa, encorpada, com toques cítricos de raspas de laranja e limão, com especiarias e um final quase doce. Sem contar a garrafa moderna, que lembra um champanhe e combina tão bem com o decór lindo do Alma María. É essa a ideia: peça muitos tiraditos, um vitelo tonnato, uma Estrella Damn (ou duas… ou três!) e relaxe no ambiente arrojado da casa. Talvez você não se sinta na Espanha – mas não vai estar muito longe disso.

Ar catalão: sente-se no bar superior, peça tiraditos e tome a cerveja do Adriá

 Alma María – R. Oscar Freire, 439, Jardins, tel. (11) 3062-0047

Anúncios

2 respostas em “Entre tapas, um paredão e a cerveja do Ferran Adriá

    • Pois é, mas no fim acho que vale sempre falar de ambos, pois as pessoas conhecem mais o brulèe! Pra mim, os dois estão valendo! Obrigado pela visita e pelo elogios! Bjo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s