O primeiro bolo que bati na vida deu certo!

Meu primeiro bebê! Tão lindo e gostoso!

Durante o carnaval, baixou o caboclo das panelas e cozinhei para algumas vítimas. O menu começou com brusquetas, um pequeno orgulho meu. Aprendi com o Bruno Segadilha a fazer brusquetas firmes , mas com tomate bem suculento, molhando um pouco o pão, sem deixá-lo molenga. Sucesso! Em seguida veio o penne à calabresa, que também foi aprovado por todos. Pra sobremesa, peguei carona numa receita que do Comes e Bebes (de novo!), do Marcelo Katsuki. Fiz algumas adaptações e bati o primeiro bolo da minha vida: bolo de limão siciliano. O resultado foi surpreeendente, elogiado até pela mamma Ferraro! Da receita original, troquei o limão tradicional pelo siciliano e o liquidificador pela batedeira. Veja abaixo e manda ver: se até eu fiz, você com certeza consegue! Continuar lendo

Anúncios

E o Oscar vai para… mim!

Minha obra-prima de 50 segundos, na telona do cinema - só que não

Adorei essa brincadeira: você pode fazer com que qualquer vídeo do You Tube fique com o jeitão de O Artista, filme mudo e preto-e-branco que ganhou cinco Oscars no último domingo. Trata-se de um site, The Artistifier: o vídeo fica com aquele cara de filme antigo, com trilha sonora e tudo – e ainda dá pra colocar legendas!. Eu peguei um vídeo que fiz no ano passado, quando participei do Dinner in the Sky (leia post aqui). Aproveite e fiz um brincadeirinha com o amigo Marcelo Katsuki, autor do ótimo Comes e Bebes. Veja e divirta-se com minha obra-prima!

 

Comi sorvete de alho… e adorei!

Carré de cordeiro grelhado com sorvete de alho e ervas, servido com mil-folhas de legumes assados ao tomilho. O melhor dos sorvetes do novo menu do Chef Rouge

Tudo bem que estamos em pleno verão, mas a princípio estranhei o menu especial que a chef Renata Braune criou para o Chef Rouge: entradas e pratos com… sorvetes salgados. Renata conta que provou os sorvetes salgados na Sigep, grande feira de gelateria e pâtisserie em Rimini, na Itália. Era uma competição, com chefs de todo o mundo, onde foram servidos sabores como alice, vinho e camarão. “No princípio, aquilo me causou estranheza. Mas o sorvete no prato é mais uma forma de explorar nuances de paladar e texturas dos alimentos”, diz Renata. Bem, como confio bastante no taco da chef – de quem já provei receitas espetaculares – lá fui eu experimentar o menu La glace dans l’assiette (os sorvetes nos pratos). Continuar lendo

Cerveja com gelo e limão… pode?

Honey Dew: leve toque de orvalho de mel, pra tomar num copo com gelo e limão - ou gelada mesmo!

Pode! Principalmente pra quem quer curtir o carnaval com uma cerveja diferente da habitual “loira da latinha”? Uma das dicas é a Honey Dew, uma pilsen inglesa que pode ser tomada com gelo e limão! A cerveja tem 5% de teor alcoólico e traz mel orgânico em sua composição, mas o toque de doçura é bem suave, pendendo mais pra refrescância. A garrafa de 500 ml sai R$ 19. Outra inglesa com sabor frutado e cítrico é a St. Edmund’s (R$ 22), que possui teor alcoólico de 4.2% e tem leve sabor herbal no paladar. Sem contar o rótulo com design moderno! (Às vezes é bom sair da tradicional imagem de frades, trigos e fazendas, né?) E pra aqueles que gostam de uma cerveja mais alcoólica,cremosa e intensa? Continuar lendo

Alerta gordice! Receita do pavê da vó!

Hummm... e não foi a vovó que fez!

Momento gordice do dia: receita de pavê. Quer coisa mais vovó? E esse é exatamente o nome dessa sobremesa, um hit no restaurante Figo: Pavê da Vó, feito pela jovem chef Luiza Hoffmann. Ali, o doce é servido em taça, numa apresentação muito charmosa. Mas pode ser feito em travessa. Parece fácil, mas se estiver com preguiça de fazer (tipo eu, sempre), vá até o Figo, comece com umas brusquetas de figo e brie ao forno (R$ 18), almoce um robalo na manteiga de sálvia com risoto de banana da terra (R$ 49) e finalize com o pavê (R$ 12). Veja as dessas delícias fotos logo depois da receita! Senão, lave as mãos e bora pra cozinha preparar o pavê! Continuar lendo

Cozinha sem pretensão faz a alegria do povo

Comecei bem no Ruaa com os bhajis, empanados indianos de cebola, com casquinha crocante, acompanhados de molho verde à base de coentro e hortelã

Depois da avalanche de preços-pedradas – entradas que beiram os R$ 30, pratos que passam dos R$ 50 e sobremesas na base dos R$ 25 – a boa notícia é que alguns novos restaurantes têm menus que, se não são baratos, ao menos não detonam o bolso do pobre cliente. A matemática é simples: se o cara come bem e paga um pouco menos, ele se anima a voltar ali. É o casodno novo Ruaa, casa simpática na Vila Madalena, cujos pratos custam na média R$ 35 e as entradas, R$ 15. A proposta é oferecer “comida de rua” com uma pegada mais gourmet. Bem, não vi tanta comida de rua assim no cardápio – tirando um fish and chips (R$ 35) aqui e um yakissoba (R$ 33) ali, por exemplo. Mas não importa: gostei muito do que comi e da vibe do lugar. Bora ler o resto. Continuar lendo

Espuma de gengibre muda tudo!

Johnnie & Ginger: whisky sour com espuma de gengibre!

Descobri um novo drinque fetiche na semana passada: Johnnie & Ginger. Repara só: uísque Johnny Walker Black Label, limão siciliano e espuma de gengibre. Ou seja, um uísque sour cremoso e com toque ardido. O drinque (R$ 35) é uma  criação do mixologista Marcelo Serrano para a Casa 92, bar e balada de Pinheiros. Serrano ainda elaborou mais dois drinques pro bar: o elegante Room 92 (R$ 35), que leva gin Tanqueray, Chambord (licor de amoras pretas), abacaxi e limão siciliano, servido na taça de Martini; e o Nectar Jewels (R$ 45), feito com vodka Cîroc Berry (flavorizada com morango e framboesa), Limoncello, maracujá e suco de maçã verde – sim, é quase uma tarde na piscina mergulhada num copo longo. Continuar lendo

Só quero uma fita amarela

Frescurite, mas muito charmosa: fita de aço amarela para servir sua Veuve Clicquot, sem esquentar a garrafa com a mão

U-la-lá! Achei bacana essa Ribbon da Veuve Clicquot. É o seguinte: o champagne vem com uma alça de aço amarela (cor símbolo da marca) para ser servida. Basta encaixar a parte superior da alça no pescoço da garrafa e posicionar a parte inferior na base. A vantagem, além da estética, é que isso mantém a temperatura ideal – a mão não “esquenta” o champagne. Custa R$ 250 (a Ribbon mais uma garrafa de 750 ml da Veuve Clicquot). Frescura? Pode ser, mas eu achei um chame, oras!

LVMH – SAC (11) 3062-8388

Colorido, saboroso e com bom preço!

Salmão selado com esferas de shoyu sobre guacamole, com salada de tubérculos crocantes

Na semana passada, estava fazendo uma matéria para a UOL sobre menus executivos bacanas, abaixo de R$ 50 (que você pode ler aqui), e acabei indo ao Bra.do para provar o de lá – que custa R$ 32 (couvert, entrada, prato, sobremesa e água incluídos). No fim, pedi o cardápio e fiz uma lambança de executivo com a la carte, pra provar um pouco mais do menu dessa nova casa em Pinheiros. O chef Pedro Vita comanda a cozinha do restaurante, que tem cardápio enxuto e com preços camaradas – entradas na faixa dos R$ 17, pratos principais na média dos R$ 34 e sobremesas, R$ 14. Já gostei de cara do projeto, que deixou a casa florida e arejada, com muita luz natural e espaços ao ar livre. E o menu? Continuar lendo

Última chance de provar um menu caprichadíssimo

Vou começar pelo fim: o poderoso mil-folhas de laranja bahia, que sairá do cardápio pra sempre a partir de amanhã. Entendeu a urgência de ir ao Clos de Tapas?

Essa é meio urgente: a 2ª Tapas Week termina amanhã, mas só hoje conheci o menu do Clos de Tapas e tenho a obrigação de dizer: corra lá e não perca. O menu sai R$ 85 – e se lhe parece salgado, eu garanto que o custo-benefício vale a pena. São sete tapas (incluindo duas sobremesas), além de uma taça de vinho Jerez ou uma cerveja Estrella-Galícia. E nada de fatia queijo manchego com verdes ou batatas bravas: o menu criado pelo casal de chefs Ligia Karazawa e Raúl Jiménez tem receitas elaboradas, surpreendentes e, decididamente, deliciosas. Veja as fotos abaixo, lamba com os beiços e corra, pois é só até o jantar de amanhã (dia 10/2). Continuar lendo