Toro Loco, o vinho de R$ 25 que surpreendeu o mundo

Toro Loco: bom, barato e facinho de beber

Ontem finalmente provei o famoso Toro Loco Tempranillo 2011. Em maio, o rótulo espanhol barato (custa R$ 11,50 em Londres) surpreendeu o mundo quando ganhou medalha de prata e foi considerado um dos melhores vinhos na degustação às cegas da International Wine & Spirits Competition. O melhor da história é que a loja virtual brasileira Wine havia comprado ANTES toda a produção do vinho e está vendendo cada garrafa por R$ 25 (os lotes se esgotam rapidamente, mas você pode tentar reservar no site). Outra ótima notícia: o restaurante Clos de Tapas, que acaba de ser eleito como o melhor espanhol de São Paulo pela conceituada edição Comer & Beber, da Veja SP, vai servir o vinho em seu salão a partir de 10 de outubro por… R$ 25 a garrafa! Daí fui almoçar lá ontem para experimentar o vinho. E é tudo isso mesmo? Leia aqui, oras! Continuar lendo

Anúncios

Primavera cheia de frescura

Estou bem longe de ter a rotina da Val Marchiori (hello!!), mas também me amarro numa tacinha de champanhe. Pra mim, praticamente qualquer clima ou ocasião combina com essa bebida. A primavera, por exemplo, virou a motivação para uma nova edição de Perrier-Jouët, uma das mais tradicionais marcas de champanhes, com 200 anos de produção do precioso líquido. E bota precioso nisso: a Perrier-Jouët Belle Epoque Florale 2004, uma homenagem à estação das flores, tem uma garrafa decorada por uma pintura desenvolvida pelo artista floral japonês Makoto Azuma. O sabor? Uma elegante mescla floral e frutal, bastante aromática e fresca. A dica é, depois de beber, você usar a garrafa como peça de decoração, pois ela é realmente linda. O Brasil receberá apenas 150 unidades em outubro – e cada uma custará R$ 1.000. Puxado, mas… encantador.

Perrier-Jouët – SAC: 0800-0142011

O paraíso dos bolinhos chega a SP

Humm… Bolinho de grão de bico, recheado de bacalhau com conserva de azeitonas pretas (R$ 26, 6 unidades)

Não sei você, mas eu sou fanático por bolinhos. E isso desde criança – amava tanto os bolinhos de carne ou de couve-flor da minha mãe quanto os bolinhos de chuva da minha avó (aliás, a danada tinha uma versão com laranja que era de flutuar). Assim, a chegada do Aconchego Carioca a São Paulo me deixou muito animado. O bar carioca, inaugurado há 10 anos, ficou famoso pela comida, principalmente pelos bolinhos, executados brilhantemente pela chef Kátia Barbosa. Ela é uma das sócias da filial paulistana, junto com Edu Passarelli e André Clemente, aberta oficialmente hoje. Agora, preste atenção: são OITO tipos de bolinhos no menu. Pense numa pessoa perdida de tanta felicidade diante dessa lista – esse sou eu. Mesmo assim, me contive e provei quatro tipos, afinal tinha de comer outros itens do cardápio. E tem muita coisa boa. Bora ler o resto? Continuar lendo

Mesa branca

Olha só que legal: hoje está rolando em Chicago (nos Estados Unidos) o Recipeace, movimento social cujo objetivo é usar a comida para acabar com conflitos entre pessoas – e ao mesmo celebrar o Dia da Paz. Participam cerca e 60 restaurantes da cidade: ali,  você pode reservar uma mesa e convidar pra jantar uma pessoa com quem você tem um confito, uma briga, um bapho qualquer. Prevejo algumas “tortas de climão”, mas no fim tudo dando certo – afinal comida boa realmente melhora o humor. Mas as pessoas também podem simplesmente entrar no site e reproduzir em casa receitas que interferiram positivamente em conflitos na história da humanidade (veja as receitas e suas histórias aqui). Ou apenas tuitar ideias sobre o assunto. Ano que vem tem mais. Fico pensando, se tivesse esse movimento aqui em SP, quem eu convidaria pra esse “jantar da paz”… Bem, melhor não. Ainda. Ah, em tempo: confira aqui os outros cartazes da campanha publicitária do evento, que também são ótimos.

www.recipeaceday.org

Quem disse que salada não tem graça?

Mediterrânea: camarão flambado com papaia e folhas

Eu tinha ouvido falar do Insalata algumas vezes – amigos e colegas de agência são clientes contumazes, alguns inclusive do serviço de delivery do restaurante (elogiado, aliás). Ontem resolvi conferir pessoalmente, já que bateu uma fominha das fortes e eu não queria chutar o balde. Cheguei cedo, 19h40, peguei mesa fácil, mas em 20 minutos já estava lotado e, um pouco depois, tinha espera. Os motivos? Serviço corretíssimo, ambiente charmoso e um menu bem variado, com saladas inspiradas, quiches, sanduíches, massas e grelhados. Como a salada Mediterrânea (R$ 35,50), um mix de folhas, camarões flambados, fatias de papaia, tomate cereja e molho à base de azeite extra virgem. É grande, mas dá alimenta apenas um ser humano, ainda mais esfomeado como eu. Confira os outros pratos que comemos: Continuar lendo

Faça um drinque com Crealto, novo blend da Nespresso

Espresso Crealto, que pode ser harmonizado na loja com tapioca de coco com leite condensado e especiarias, maçã verde e cacau (R$9)

A cada seis meses, mais ou menos, a Nespresso lança uma limited edition (edição limitada) de um blend, vendido em capsulas pro cliente fazer seu café em casa ou pra ser bebido nas boutiques – alguns até em forma de drinques não alcóolicos. Bem, a bola da vez é o Crealto, blend de grãos Arábicas da Indonésia e Américas Central e do Sul. Provei semana passada e olha… adorei. Bem intenso, mas nada agressivo, ele vai suavizando a cada gole. Tipo dry martini, sabe? (Alá a Heleninha tentando tomar posse deste corpo!). O blend, aliás, foi desenvolvido por uma dupla de notáveis: o colombiano Alexis Rodriguez, especialista em café verde da Nespresso, e Mauro Colagreco, chef ítalo-argentino com casa estrelada pelo Michelin. Ou seja, o Crealto faz “homenagem” à alta gastronomia. Já está à venda nas boutiques Nespressao, a caixa com dez capsulas custa R$ 25. Abaixo, confira a receita de um drinque do espresso com laranja, criado por Colegreco e servido na Nespresso (ali custa R$ 12). Bora fazer em casa? Continuar lendo

Menu italiano em clima de Provence

O 3º prato: um camarão jumbo envolto em finas fatias de pupunha crocante sobre um bisque de lagostins

Ontem comemorei o fim de uma enxaqueca (que durou quase três dias!)… jantando! E muito bem! Fui provar o novo menu degustação do La Tambouille, um dos restaurantes mais clássicos da cidade (incluindo aí o serviço primoroso e o ambiente “terraço em Provence”). O restaurateur Giancarlo Bolla e o chef Augusto Piras criaram um menu em seis tempos, servido apenas nos jantares e para a mesa toda (não vale um pedir o menu-degustação e outro querer o a la carte). O preço é de R$ 200 por pessoa, e inclui o couvert (mas não inclui bebidas, café e serviço). Quer saber o que vem, além do camarão em “traje de gala” acima? Bora ler abaixo! Continuar lendo

Polvo na brasa e lulas macias brilham no novo menu do La Mar

Pulpo al mar: polvo na brasa, quase crocante por fora e macio por dentro, com creme de batatas e molho chimichurri. Apaixonei por esse novo prato

Semana passada foi mesmo de comilança. Terça, jantei no La Mar e provei novos pratos que o chef Fabio Barbosa colocou no menu de um dos mais criativos restaurantes peruanos de São Paulo (sem contar o ambiente lindão, todo trabalhado no turquesa). São dez receitas novas, das quais provei metade. A melhor, de longe, é o pulpo la mar (R$ 57), ou seja, polvo na brasa em salsa de aji panca, creme de batatas e molho chimichurri. O polvo chega com a superfície firme, braseada e levemente picante, e o interior macio, combinado com o purê cremoso: pense numa pessoa feliz – era eu. Veja abaixo as outras novidades do chef Fabio Barbosa. Continuar lendo

Ovo pochê passo a passo!

Vamos perder o medo e aprender a fazer essa maravilha pro cafê da manhã? Acabei de preparar estes – e se eu consegui, você vai ver como é fácil!

Minha nova mania é fazer ovo pochê. pra dar um enriquecida no café da manhã. Não, não sou especialista de nada na cozinha, mas há cerca de um mês vi a chef americana Anne Burrell ensinando alguns truques culinários no Discovery Home & Health e e resolvi me arriscar – com ela parecia tão fácil! Bem, mais de uma dúzia de ovos depois, alguns amigos e seguidores no Instagram (onde posto muitas fotos de comida, quem quiser é só adicionar jrferraro) me pediram pra fazer um tutorial aqui no blog. O lance é não ter medo do pochê – afinal, se você errar o prejuízo nem é grande, é só um ovo! E se eu consegui, você faz com o pé nas costas! Bora no passo a passo! Continuar lendo

Dica “vai, gordinho!” de hoje

Presente: caixa de madeira com 6 bem-casados sai R$ 64

Atenção! Gordice master essa aqui: abriu em São Paulo a primeira “bem-casaderia” da cidade. Acuma?!? Explico: a Fina Nata é uma casa especializada em… bem-casados! Sim, aquelas delícias servidas em casamentos (que o povo passa a mão e enche os bolsos), feitas com macias rodelas de pão-de-ló recheadas com doce de leite molinho. Pois bem, a casa (uma loja toda branca, numa pegada Provence) vende oito versões do clássico doce, em unidades médias que custam R$ 4,70. Você pode comer ali mesmo, tomando café ou tomando champanhe, ou levar pra casa, dar de presente (em caixas de 4, 8, até 25 unidades). Os sabores que provei? O tradicional (claro!), capim santo com limão ( mais vendido), gengibre com canela (para paladares mais fortes) e pistache (pra mim, o melhor, depois do tradicional). A loja também vende docinhos, bolo bem-casado em fatias e embalagens especiais para presentear, como caixas de madeira ou madrepérola e até porta-joia de cristal (aí sai bem mais caro, de R$ 64 a R$ 189, com seis bem-casados).

A loja tem mesinhas fofas, pra saborear os doces tomando café ou uma taça de champanhe (claro que eu escolhi a segunda, né?)

Fina Nata – Al. Tietê, 43, Jardins, tel. (11) 3061-1605 , www.finanata.com.br