Já provou cozinha pantaneira? Faça você mesmo!

macarraofrito2Olha só que dica bacana: o restaurante e escola Na Cozinha (onde estou fazendo curso todas as quartas, lembra?) promoverá uma aula especial sobre cozinha pantaneira! A aula se chama Comitiva de Sabores pelo Pantanal e será ministrada pelo chef Paulo Machado, que é de Campo Grande. Serão ensinados (e degustados!) os pratos chipa, sopa paraguaia, macarrão de comitiva, caribéu e furrudum. Você pode escolher três datas: dias 1 (seg.) e 5 (sex), das 19h30 às 22H30, ou dia 6 (sáb.), das 13h às 16h. A aula custa R$ 150, com reservas no tel. (11) 3063-5374. E o chef Carlos Ribeiro, do Na Cozinha, já me adiantou uma das receitas! Achei fácil!

Macarrão de Comitiva

2 xícaras de chá de carne de sol lampinada (picada em pedaços pequenos)
2 dentes de alho picado
1 colher de sopa de óleo de milho
Suco de uma laranja
1 pacote de macarrão espaguete

Modo de fazer
Pique a carne e lave-a em bastante água. Refogue o alho no óleo quente. Junte a carne de sol e frite. Adicione o suco de laranja e quando estiver dourada acrescente a massa quebrada em quatro partes. Misture bem. Frite o macarrão sem deixar queimar, mas deixe bem corado. Coloque água aos poucos, sem mexer até a massa ficar ao dente. Retire do fogo e deixe descansar por 5 min. Sirva com cheiro verde picado (para o preparo ficar mais tradicional pode-se usar também carne de churrasco defumada).

Na Cozinha – Rua. Haddock Lobo, 955, Jardins, tel. (11) 3063-5374, www.nacozinharestaurante.com.br

Anúncios

500 tons de bacalhau

bacalhau1Ao chegar em casa na sexta-feira, tive uma grata surpresa: um pequeno engradado me aguardava. Tinha vindo da Tasca da Esquina e tratava-se dos ingredientes (já cortados, picados e em alguns casos até semi-prontos) de uma receita de bacalhau ao forno. Junto, veio o livro As Minhas Receitas de Bacalhau, do chef da casa, Vitor Sobral, um pesado volume (quase 600 páginas) com nada menos do que 500 receitas do pescado. Soube da obra há mais de um ano, quando tive uma aula com o chef português (contada aqui), mas só agora o livro chega ao Brasil, editado pela Senac-SP, com preço de R$ 139,90. Além dos preparos clássico (bacalhau com natas, ou à Brás, à Gomes de Sá, desfiado e sete tipos de bolinhos), há criações do chef e ainda há dicas de como dessalgar, aproveitar todas as artes do pescado e suas propriedades. Uma verdadeira bíblia bacalhoeira! Abaixo coloquei uma das receitas do livro, bacalhau a Zé do Pipo. Aproveite a Páscoa para treinar as receitas ou dar o livro de presente para quem gosta de cozinha – e não quer engordar com ovos de chocolate. Ah, sim, fiz o bacalhau direitinho, como mandavam nas instruções, e tive um belo almoço de sábado (vide foto acima).

Continuar lendo

Espanhóis elegantes e intensos

clos6Semana passada, fui ao Clos de Tapas para experimentar vinhos da bodega espanhola Numanthia. A vinícola estava promoveu um almoço harmonizado para divulgar dois de seus rótulos, à venda no Brasil, Numanthia e Termanthia.  Escolheram bem: a chef Lígia Karazawa serviu ótimas receitas que incrementavam a degustação, sem ofuscar a bebida – como o exemplar leitão pururuca. Os vinhos vêm da região de Toro, que possui denominação de origem desde 1987, onde se produz a variedade “tinta de toro”, uva da família tempranillo, de cor escura (chamada de “a mais negra das uvas negras”) e taninos fortes. Bem, ambos os rótulos são excelentes . O Numanthia (cerca de R$ 250) tem taninos marcantes, porém aveludados, toques de chocolate, especiarias e madeira. Ainda mais elegante, o Termanthia é a jóia da casa (custa cerca de R$ 750): com uvas colhidas à mão, individualmente, de vinhas com 120 anos, e depois esmagadas no “pisa a pé”, a bebida abre na boca como um buquê de frutas vermelhas, revelando uma concentração de aromas incrível. Quer saber o que comemos? Veja abaixo e encha sua boca de água!.
Continuar lendo

Me vê uma bola de laranja sanguínea!

Novo sabor do Mil Frutas: marcante! (foto do Fabio Rossi)

Novo sabor do Mil Frutas: marcante! (foto do Fabio Rossi)

Não, esse não é o diálogo bizarro de algum filme de terror ruim, mas algo bom! Laranja sanguínea é um dos novos sabores de sorvete da Mil Frutas, feito com com a fruta importada da França, que tem a polpa e suco vermelho-rubi. Na Europa, a fruta é muito consumida em forma de suco e, segundo pesquisas, ajuda a reduzir colesterol e – e – preste atenção aqui – eliminar gordura. Mas não o sorvete, hein? O suco! Enfim, o sabor é marcante, com um leve amargor, que lembra grapefruit (vulgo toranja). O projeto de paquiderme aqui resolveu inovar: coloquei um bola sobre uma fatia gordinha de bolo de chocolate, com recheio de ganache. Não parei por aí: adicionei outra bola de sorvete de chocolate amargo do Mil Frutas, que é muito cremoso. Criou um interessante contraste de sabores e texturas. Se quiser apenas o sorvete, a bola sai por R$ 10 (2 bolas, R$ 19; 3 bolas, R$ 26). Outros sabores lançados recentemente são suco verde, (com couve, aipo, maçã, gengibre e pepino), pepino com hortelã (pepino, limão e hortelã) e celeiro (cenoura, maçã, limão e gengibre).

Mil Frutas – Shopping Cidade Jardim, loja gazebo nº 3/ 1º piso, tel. (11) 3552-5900; Shopping Iguatemi, piso térreo, praça de alimentação, Av. Brigadeiro Faria Lima 2.232, tel. (11) 3034-5879

Aprendi a fazer essa sopa de cebola no curso de cozinheiro

cebola1aOk, sei que está calor e a última coisa que você quer é uma sopa bem quente. Mas essa semana vem uma frente fria e você pode aproveitar pra testar essas receitas de sopa de cebola parisiense (na foto ao lado) e a sopa creme de mandioquinha com mel, ambos muito caprichados e com jeitão de coisa feita em restaurante. Aprendi no curso de cozinheiro que estou fazendo no restaurante Na Cozinha, com o chef Carlos Ribeiro. (veja aqui) O segredo? São os fundos, ou seja os caldos de frango, carne ou legumes que você prepara antes e guarda para usar em várias receitas – sopas, risotos, molhos etc. É mais fácil do que parece, então prepare as panelas e vem comigo (e quem quiser fazer o curso, tem turma nova começando dia 21, quinta que vem. Detalhes aqui.
Continuar lendo

Bacalhau com natas… e mais seis dicas pra SP Restaurant Week

Bacalhau com natas, da Tasca da Esquina

Bacalhau com natas, da Tasca da Esquina

Vamos falar de coisa boa e barata? Continuo na minha saga São Paulo Restaurant Week, comendo e pesquisando (nossa, que sacrifício, né?) para dar dicas aqui no blog – final, essa 12ª edição tem mais de 200 restaurantes participando e não é fácil escolher, assim, com tantas opções. Lembrando que o almoço sai por R$ 34,90 e o jantar, R$ 47,90 (sem esquecer de dar mais R$ 1 de doação opcional para Instituto Ayrton Senna!). Isso não inclui bebidas, serviço e estacionamento. E é melhor telefonar e antes pra ver se é necessário fazer reserva – em muitas casas quem não reservou o menu especial do SPRW não come! Não é o caso da Tasca da Esquina (Al. Itu, 225, Jardins, tel. (11) 3262-0033), ótimo português onde almocei hoje. A casa atende por ordem de chegada e só tem a promoção no almoço. Comecei no patê de aves, folhas verdes e purê de maçã com coentro em grão (a outra opção era mousse de bacalhau, emulsão de tomate assado e folhas verdes), me joguei no bacalhau com natas (quem não curte fica com o filé de frango caipira, batata bolinha, cogumelos e farinheira) e arrematei com creme queimado (o brulée portuga, com a opção de mousse de chocolate com nozes carameladas). Comida boa (mas não farta), serviço azeitadíssimo, bom custo/benefício. Recomendo fortemente. Seguem mais cinco sugestões (e veja a lista completa de restaurantes e seus menus no site oficial da SPRW aqui)
Continuar lendo

Um nhoque pra fazer minha noite feliz

Nhoque del capo. Fala sério!

Nhoque del capo. Fala sério!

Terça jantei no simpático Per Paolo, franquia de restaurantes italianos criada pelo restaurateur Paulo Baroni. Conheci uma das casas há anos, quando as receitas ainda eram do chef canadense Jérôme Ferrer. Desde setembro de 2012, o chef Carlos Bertolazzi tormou-se sócio e assumiu o cardápio da rede. Criou, inclusive, a linha Per Paolo In Casa, na qual o cliente pode levar alguns pratos de sucesso da casa com os ingredientes congelados ou a refeição já pronta (e ainda tem delivery). Atrasadíssimo na jogada, fui à unidade de Perdizes na terça para jantar com o próprio Bertolazzi e amigos. Pra mim, o ponto alto do repasto (ando usando muito essa palavra, eu sei, mas gosto tanto!) foi o nhoque del capo (R$ 40), com ragu de fraldinha e fonduta de emmenthal. Pense em algo cremoso e muito saboroso… é isso que vem no prato – e alegrou a minha noite. Mas outras coisas gostosas passaram pela mesa, como brusquetas, croquetes, churros… Veja abaixo!
Continuar lendo

Meia dúzia de dicas para comer na SP Restaurant Week

Costelinha desfiada com canjiquinha e requeijão do Norte

Costelinha desfiada com canjiquinha e requeijão do Norte

Começou ontem e vai até dia 17 de março mais uma edição do São Paulo Restaurant Week. São mais de 200 participantes, servindo almoço por R$ 34, 90 e o jantar por R$ 47, 90 (sem esquecer de dar mais R$ 1 de doação opcional para Instituto Ayrton Senna!). Hoje fui almoçar no Capim Santo, cujos menus de almoço e jantar são quase iguais (no jantar há uma opção a mais de principal, nhoque de banana-da-terra com carne-seca, com molho de ervas). Comi gostosos bolinhos de aipim com queijo da Serra da Canastra de entrada e uma sensacional costela desfiada sobre canjiquinha com requeijão do Norte (porção boa, cremosa). A outra opção era Saint Pierre com molho de limão-cravo acompanhado de ratatouille brasileiro. A sobremesa foi a única nota destoante: uma galette de tapioca, meio sem graça, com coco e sorvete de cupuaçu. Peça o brigadeiro de capim santo que é melhor. O restaurante fica na Al. Ministro Rocha Azevedo , 471, Jardins, tel. (11) 3068-8486. Confira abaixo mais cinco dicas (e veja todos os menus no site oficial da SPRW).
Continuar lendo

Novidades em duas mesas portuguesas

Cena de 20 mil Léguas Submarinas? Não! É o robusto polvo à lagareiro do Trindade

Cena de 20 mil Léguas Submarinas? Não! É o robusto polvo à lagareiro do Trindade

Novidades da culinária da Terrinha! A chef portuguesa Ilda Vinagre deu uma incrementada no jantar do restaurante Trindade. São as chamadas “sugestões da chef”, pratos novos com preços um pouco abaixo da média do menu, que mudam semanalmente. Como esse robusto polvo à lagareiro (R$ 75), com o molusco cozido à perfeição, acompanhado de brócolis, azeitonas e muito azeite. Olha só outras sugestões no dia que visitei o Trindade. Continuar lendo

Fechado Para Jantar: testado, aprovado e recomendado

Arroz de ají amarillo com abóboras e shitake

Arroz de ají amarillo com abóboras e shitake

Ontem participei de um Fechado Para Jantar, sobre o qual já havia falado aqui. E confirmei minhas suspeitas: é uma ótima experiência, com um preço que vale muito a pena. O evento, organizado pelo chef Raphael Despirite, do Marcel, é bem descontraído, parece mesmo uma festa com cerca de 70 convidados. Você mesmo pode se servir à vontade nas geladeiras Brastemp (daquelas vintage), onde há cervejas Murphy’s Irish Stout e Amstel Pulse. Também há vinho branco (Quinta da Herdade) e tinto  (Quinta da Romaneira 2007 Douro) – e pisco sour de entrada! Música ao vivo, exposição de fotos, e começam a vir os pratos. São seis etapas, preparadas a quatro mãos – nessa edição o chef convidado por o Fábio Barbosa, do peruano La Mar –  finalizando com um bolo delicioso.  O preço é R$ 170 e inclui tudo (até água e café). Hoje rola o último jantar, e já está lotado. As pessoas sentam em mesas coletivas e interagem – fiz até amizades ontem! Mas fiquem atentos, porque em abril haverá a terceira edição do Fechado Para Jantar (e você pode reservar lugar pelo site foodpass). Repito: vale muito a pena. Veja abaixo alguns momentos do jantar de ontem. Continuar lendo