Tecnologia a serviço dos drinques

Laercio Silva, o Zulu, finalizando cosmopolitans no balcão do Noh: criatividade e tecnologia

Laercio Silva, o Zulu, finalizando cosmopolitans no balcão do Noh: criatividade e tecnologia no preparo dos drinques

Ando tomando muito vinho – o que não quer dizer que abandonei meu apreço pela coquetelaria. Ao contrário: acredito mais do que nunca que uma boa carta de coquetéis tem importância proporcional a um bom menu assinado por um chef renomado. Assim, me diverti muito provando os drinques da grande carta do Noh (são cerca de 40!). Eu havia conhecido o bar um pouco antes de abrir, numa degustação fechada promovida pela Grey Goose. De lá pra cá, o Noh “nasceu” de vez e cresceu – e pelo visto amadureceu. Tomei drinques variados (leia-se um monte!). E achei todos bem executados, criativos (nas receitas e na apresentação), feitos pelo simpático bartender Laércio Silva, o Zulu. Um dos trunfos do mixologista é preparar várias infusões e bitters e usar técnicas (injeção a vácuo, defumação etc) na execução dos drinques. Ah, s sem contar  que o bar também tem petiscos bem gostosos. Veja abaixo alguns dos coquetéis que provei (acredite, foram mais que isso) e as comidinhas do Noh.
mojito noh

Mojito Noh (R$ 23): não é feitiçaria, é tecnologia. Explico: usando uma técnica de prepara a vácuo, o mojito é injetado nos cubos de melancia, substituindo o suco da fruta pelo coquetel. Ou seja, os cubos de polpa estão encharcados de mojito! O suco que sai  misturado com a bebida é servido num copo ao lado, com hortelã. Eu apenas amei.

dolceamaroO Dolce Amaro (R$ 22) leve orancello feito na própria casa, vermouth, licor de cacau e Orange bitter (também feito ali). E vem numa garrafinha à parte: você vai servindo o coquetel no copo com uma pedrona de gelo. Assim, a bebida não fica diluída nem perde sua sutiliza de odores e sabores.

last wordEsse copo lindo traz o Last Word (R$ 32), uma mistura equilibrada de gin Hendricks, Green Chartreuse (licor francês produzido desde 1737, que leva 130 tipos de ervas, folhas e flores), licor de maraschino e limao. Foi um dos meus preferidos: poderia beber isso a noite toda.

raidenEssa é uma brincadeira divertida: o Raiden (R$ 6 cada dose). O drinque vêm pequenas garrafinhas (uma releitura do shot) e reúne rum de maçã, vermouth com especiarias e uma infusão de ingredientes amazônicos, como a folha de jambu. Resultado: sabor intenso, aumento de salivação e um súbito amortecimento no interior da boca. Ok, falando assim parece até uma coisa ruim, mas é surpreendente! Eu ja queria outro logo em seguida.

amico2Curte um toque “mexicano” no seu coquetel? Vá de Amico (R$ 28), uma interessante mistura de tequila, campari (ou Aperol), sucos de limão e de grapefruit e xarope de agave (planta mexicana de onde se extrai o tequila e cujo xarope é doce).

amarulaDicona pros fãs de drinques mais docinhos: esse “menu degustação” de Amarula (R$ 42), com o licor em cinco versões. As melhores, pra mim, são o Amarula Martini e o Amarula Coffee. O legal é que dá fácil pra duas pessoas.

dadinho1Claro que não dá pra beber tudo isso sem comer. E nada combina melhor com esses drinques do que friturinhas, molhos picantes e que tais. Adorei o combo Boteco 1 (R$ 24, a pequena, ou R$ 36, a grande), que traz cubinhos de queijo coalho e tapioca, com molho de mel e pimenta, pasteis de queijo e de carne e bolinhos de milho. Pense em alguém atacando isso com fúria. Pensou em mim.

fotoOutra ótima pedida são os mini hambúrgueres, em porções de 3 ou 5 unidades, e nas opções carne (R$ 26/34), picanha (R$ 29/38) ou salmão (R$ 29/38). Todos chegam à mesa com batatas chips da casa. Ah, no menu também há pratos, como bife de chorizo com batatas rústicas (R$ 49) e risoto de camarão (R$ 36), mas não provei nenhum pois mergulhei nos petiscos.

foto[2]Sim, houve espaço para a sobremesa. Aliás, no plural. A primeira na verdade era um drinque, o Amarula Foam Storm 2 (R$ 30), que é praticamente um doce cremoso (vem até com colher!). A taça de Martini, com Amarula, Cherry Brandy, chantilly e redução de balsâmico com chocolate, chega debaixo de uma cúpula, onde ganha uma “defumação de canela”. Ja pode morrer com isso?

churrosA outra sobremesa foi bem mais tradicional: mini churros (R$ 12), servidos com doce de leite, caldas de chocolate e de frutas vermelhas. Sim, voltei para casa de táxi e sugiro você fazer o mesmo caso vá ao Noh. Assim você aproveita bem as criações do bar sem se preocupar com nada. Do jeitinho que tem de ser.

Noh – Rua Bela Cintra, 1709, Jardins, tel. (11) 2609-3673, www.facebook.com/nohbar

Anúncios

Uma resposta em “Tecnologia a serviço dos drinques

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s