Zena faz 5 anos e amplia o menu

pato

Nhoque com ragu de pato: meu novo prato preferido no Zena

Parece que foi ontem que conheci o chef Carlos Bertolazzi e seu Zena Caffé. Mas esse mês a casa do Bertz comemorou cinco anos! E pra celebrar a data – e também uma premiação popular que elegeu seu nhoque como o melhor e São Paulo – , o chef colocou algumas novidades no menu e hoje fui lá provar. E por falar em nhoque, agora são quatro: além do tradicional, há o Gnocchi all’ anatra, com ragu de pato (que comi e adorei), o Gnocchi Braccioforte, com mexilhão e vôngole, e o Gnocchi alla Bolognese, com ragu de carne (todos por R$ 35/ R$ 47). Quer saber mais?
Continuar lendo

Anúncios

Na Cozinha faz menu temático para celebrar Iemanjá

huaca

Arroz de huaçá: um dos pratos principais do menu em homenagem a Iemanjá

E dá-lhe mais Iemanjá! Dessa vez, a homenagem ao famoso orixá vem do restaurante Na Cozinha. O chef Carlos Ribeiro servirá um menu especial apenas no almoço de sexta (31) e sábado (1º). Nas entradas, tem bobó frito de camarão (R$ 31,50, seis unidades) ou Dupla Baiana (R$ 30), com acarajé e abará com vatapá, camarão seco, vinagrete e pimenta. Entre os principais, tem arroz de huaçá (R$ 43,60), arroz refogado no leite de coco, camarão e carne seca; ou moqueca baiana (R$ 101,74 para duas pessoas), com peixe e camarão. A sobremesa é manjar de coco com calda de ameixa (R$ 10).

Na Cozinha – R. Haddock Lobo, 955, Jardins, tel. (11) 3063-5377, www.restaurantenacozinha.com.br

Trifle de bolo de laranja e frutas vermelhas: fácil e lindo

trifle1Quer impressionar com uma sobremesa linda e fácil de preparar? Essa foi a última receita que fiz em 2013 (dia 31 de dezembro mesmo) e fechei o ano com chave de ouro: trifle de laranja e frutas vermelhas. O nome é difícil, mas a guloseima não é. Peguei no livro da Nigella Lawson (sim, eu continuo explorando Na Cozinha com Nigella bravamente!) e a receita funcionou muito bem. Primeiro você faz um bolo de geléia de laranja – se estiver com preguiça de fazer o resto, pode parar por aí porque o bolo já é uma delícia. Mas sugiro que você não pare aí, pois a parte do trifle em si é muito simples e não demora quase nada. Vamos lá?

trifle2Trifle de de laranja e frutas vermelhas

Ingredientes para o bolo
250 g de manteiga sem sal
75 g de açúcar refinado
75 g de açúcar mascavo
150 g de geléia de laranja
225 g de farinha de trigo
4 ovos
½ colher de chá de bicarbonato de sódio
1 colher de chá de fermento em pó
Casca ralada e suco de 1 laranja (usei a Bahia)

Coloque todos ingredientes da massa em um processador de alimentos e bata. Despeje em um pirex untado de 24 cm (a massa não pode ficar muito alta no pirex, senão demora para assar e acaba queimando).
Se não for usa um processador, barra a manteiga e os dois açúcares à mão ou em uma batedeira. Depois incorpore a geleia de laranja e então os ingredientes  secos. Depois os ovos e, finalmente, a casca e metade do suco de uma laranja. Despeje no pirex.
Coloque no forno pré-aquecido a 180 graus. Asse por 40 minutos, mas verifique depois de meia hora. Faça o teste do palito – quando sair seco, o bolo está pronto. Se quiser parar aqui, faça um glacê para servir. Use a outra metade do suco de laranja e mais 75 g de geleia de laranja. Aqueça ambos numa panela pequena até que os ingredientes tenham derretido e  misturado bem. Passe sobre o bolo com um pincel e pronto. Quer fazer o trifle, em vez disso? Siga abaixo.

Ingredientes para o trifle
50 ml Cointreau (ou outro licor de laranja)
350 ml de creme de leite fresco
300 g de frutas vermelhas (pode ser amora, framboesa e blueberry)
Casca ralada e suco de 1 laranja (aprox.. 100 ml)

Corte o bolo em grandes cubos e arrume sobre um prato largo e raso. Salpique com o licor de laranja. Despeje o suco de laranja sobre os pedaços de bolo embebido em licor e reserve. Bata o creme de leite até engrossar, mas não muito. Eu adicionei um pouco de açúcar (pouco mais de uma colher de sopa), e funcionou bem. Espalhe esse quase-chantilly por cima dos pedaços encharcados de licor e suco. Arrume as frutas vermelhas por cima do creme batido e salpique com a casca de laranja ralada. Sirva e arrase.

 

Começa hoje o Festival de Iemanjá no Obá

pulpo a la antigua

Pulpo a la antigua, um dos pratos do Festival de Iemanjá, do Obá

Salve Iemanjá! Dia 2 de fevereiro é o dia de um dos mais queridos orixás africanos. E o restaurante Obá comemora a data novamente com um festival que começa no jantar de hoje e vai até o almoço do dia 2. Além do menu especial, com pratos de outros festivais e novas criações do chef Henrique Benedetti, o Obá terá decoração especial de flores, espelhos e barquinhos. Entre as novidades do chef estão os Peixinhos fritos no fubá (R$ 22), lambaris crocantes, fritos inteiros, em crostinha de fubá de milho com limão caipira e vinagrete; o tailandês Peek gai yadsai (R$ 27)asinhas desossadas de frango fritas, rechedas de carne de siri, pedacinhos de macarrão, servidas com molho agridoce thai (provei uma dessas e adorei).

www.tbfoto.com.brOBÁ - SP/SP - 11/02/2010Foto: Tadeu BrunelliEntre as outras delícias do festival, estão a Moqueca da Jôse De Boipeba (R$ 74), de camarão com banana, acompanhada de arroz e farofa de dendê (prato mais pedido nas oito edições anteriores desse festival), e o pulpo a la antigua  (R$ 78), polvo com ervas aromáticas, tomate, vinho tinto, azeite, tinta de lula, pignolis, amêndoas, nozes, azeitonas e pimentão, servido com arroz branco. Ah, além dos tradicionais Bolinhos de Iemanjá (R$ 24), de vatapá e camarão, com pimentinha e limão, a casa oferecerá o clássico acarajé baiano no dia 30, no evento Obá na Calçada. Das 18h às 21h, as irmãs Miri e Fátima, do Tabuleiro do Acarajé, servirão sua especialidade aos clientes. Pense: acarajé e cerveja no fim de tarde… Estarei lá, é claro!

Obá – Rua Dr. Melo Alves, 205, Jardins, tel. (11) 3086-4774, www.obarestaurante.com.br

 

Vamos fazer wonton de banana com canela e tâmaras?

wonton2Prometi essa receita, que aprendi no curso de cozinha asiática que estou fazendo com o chef Carlos Ribeiro, do restaurante Na Cozinha. São os wontons de banana com canela e tâmaras, uma espécie de pastelzinho cantonês, que preparamos na primeira aula. Na verdade, o nosso ficou mais pra pastel mesmo, pois não fizemos a massa – usamos aquela pronta, de pastel. Eu quis testar em casa sozinhoantes de dar a receita. Meus wontons (ou wantans) ficaram ótimos. E são bem fáceis de fazer, viu? Bora lá:

Wonton de banana com canela e tâmaras

Ingredientes
2 bananas nanicas maduras (ou quase)
8 a 10 tâmaras picadas e sem caroço
50 g de castanha de caju bem picada
1 colher de chá de canela
Massa para pastel em formato redondo
Açúcar e canela para polvilhar

Modo de fazer
Amasse as bananas com um garfo. Adicione a canela e misture. Vá adicionando as tâmaras e as castanhas picadas até formar um recheio homogêneo. Coloque no centro do disco da massa de pastel, passe o dedo umedecido na borda e feche. Cuidado para não colocar recheio demais, senão abre na hora de fritar e estraga tudo. Você pode fechar no formato que quiser – meia-lua, triangular, trouxinha. Numa panela, aqueça uma generosa quantidade de óleo. Quando estiver bem quente, coloque os pasteis pra fritar, de preferência de dois em dois (quanto mais pastéis  você colocar, mais rapidamente cai a temperatura do óleo). Quando estiverem dourados, retire, coloque sobre papel toalha para tirar o excesso de gordura e reserve. Assim que tiver terminado de fritar todos, polvilhe os wontons com uma mistura de açúcar e canela. E está pronto!

Virado à paulista pra festejar o aniversário de SP

image001Sábado é aniversário de São Paulo (sim, o feriado cai de sábado, podem começar a sofrer). Para festejar os 460 anos da minha cidade natal, a chef Ana Luiza Trajano servirá no Brasil a Gosto um prato especial,. Trata-se da Boia Paulista (R$ 61), uma receita inspirada no tradicional virado à paulista. Vem bisteca, linguiça, arroz branco, tutu de feijão, couve, ovo frito e banana grelhada. Já aguou a boca, aqui. Mas atenção: a boia será servida apenas nos dias 25 e 26 de janeiro, no almoço e jantar.

Brasil a Gosto R. Professor Azevedo do Amaral, 70,  Jardim Paulistano, tel. (11) 3086-3565, www.brasilagosto.com.br

Killa promove festival de ceviches

killaComeçou ontem no peruano Killa a quarta edição do Festival de Ceviches. Fui lá ontem mesmo e me esbaldei. Afinal, ceviche é o ideal pra jantar durante o verão, já que é refrescante e leve. O festival vai até  6 de fevereiro e consite de suas opções de degustação de três ceviches, por R$ 35. Provei o menu Uno, que é composto dos ceviches Dichan (com peixe branco, óleo de gergelim, leche de tigre com pimentas orientais), El 6 (salmão em leche de tigre com chirimoya, fruta peruana que lembra a fruta-do-conde) e o Baile (ceviche de peixe branco, manga, abacaxi, leche de tigre com ají amarillo). Já o menu Dos traz os ceviches Mescla (peixe branco e leche de tigre de laranja e pisco), Mango (peixe branco marinado no leche de tigre de limão tahiti e manga, cebolinha e cebola roxa) e o Por la sierra (salmão marinado no leche de tigre com pasta de ajíes, quinua e pepino). O festival é servido  de terça a sábado durante o jantar. Ah, quem preferir um dos ceviches do menu tradicional da casa ganha um pisco sour ou um chilcano de pisco, por conta da casa – mas só enquanto durar o festival.

Killa – Rua Padre Chico, 324, Perdizes, tel. (11) 985518511, www.killa.com.br

Novo italiano na velha esquina

raguA esquina das rua Melo Alves e alameda Tietê já abrigou vários restaurantes – de pronto lembro do Farofa Paulista (onde uma vez me serviram um pudim de leite que havia azedado – e o Tutto Italiano, última “encarnação” do endereço, que começou muito bem em 2011 e foi se perdendo até fechar de vez no ano passado. Há três meses, abriu ali mais um italiano, o Positano – nome de um balneário de luxo na costa Amalfitana, na Itália. Entre os sócios do novo ristorante, estão o maitre Fernando Matos e o sommelier Sergio Santos, ambos ex-funcionários de outra casa italiana, o ótimo Piselli. A cozinha é comandada pelo chef italiano Boris Melon, que também passou pelo Piselli. O enxuto menu (30 itens no total) traz receitas clássicas, com preços até razoáveis: as massas frescas custam em média R$ 37 e são as “estrelas” do cardápio. A da foto, que comi, foi um gostoso tagliolini com ragu de vitelo (R$ 38), massa fresca al dente mergulhada em molho de tempero marcante, com cubinhos de carne macia. Vem que eu conto mais. Continuar lendo

Domingo tem ceviche na calçada do Suri

Ceviche Goa, que será servido na calçado do Suri por R$ 14 no domingo

Ceviche Goa, que será servido na calçado do Suri por R$ 14 no domingo

No próximo dia 12, o chef Dagoberto Torres, do Suri, vai promover uma nova edição do Domingo Cevichero, das 18h às 21h. Torres servirá ceviches, petiscos e drinques a preços bem camaradas, na calçada do seu restaurante. Tem, por exemplo, o Goa (R$ 14), com peixe branco, camarão e lula, curry, leite de coco e coentro, e o ceviche clássico peruano (R$ 12), com peixe branco, cebola roxa e milho com de batata doce. Estou louco pra provar as papitas criollas (R$ 10), batatinhas típicas da Colômbia com vinagrete picante e pedacinhos torresmo, e o pisco sour (R$ 14). E ainda terá trilha sonora com muita salsa e cúmbia. Aí sim!

Suri Ceviche Bar – Rua Mateus Grou, 488, Pinheiros, tel. (11) 3034-1763, www.suri.com.br

Muffin de banana e chocolate em meia hora!

muffinsSe teve um presente de Natal que tenho aproveitado muito foi o livro Na Cozinha com Nigella, da Nigella Lawson. Ontem testei o muffin de banana e chocolate. Receita muito prática: leva poucos ingredientes, é fácil de preparar e fica pronta rapidinho (cerca de 30 min). Fiz alguns ajustes e farei mais na próxima vez, mas já ficou bom – até trouxe pra agência e fiz a alegria do povo. Bora?

Muffin de banana e chocolate

Ingredientes
3 bananas médias bem maduras
225 g de farinha de trigo
100 g de açúcar mascavo claro
2 ovos
120 ml de óleo vegetal
3 colheres de sopa bem cheias de cacau em pó peneirado (se quiser um pouco mais doce, use chocolate em pó)
1 colher de chá de bicarbonato
1 colher de chá de fermento (não estava no original)
1 colher de chá de canela (outra intervenção minha)

esfriando2Pré-aqueça o forno a 200ºC. Amasse bem as bananas na mão ou numa batedeira. Continue batendo e adicione o óleo, seguido dos ovos e do açúcar. Numa tigela à parte, misture os ingredientes secos (farinha, cacau/chocolate, bicarbonato, canela e fermento), até ficarem homogêneos. Daí adicione esse mistura à massa de banana, batendo gentilmente. Para assar, use uma forma de muffins com forminhas de papel (daí não precisa untar). Coloque a massa delicadamente com uma colher em cada forminha, até quase a beirada. Essa mistura deve dar para 12 muffins (para mim deu ainda mais, aproveitei em outras formas de silicone). Leve ao forno pré-aquecido e deixe assando de 15 a 20 minutos ou até os muffins crescerem e saírem das forminhas. Teste com o palito – quando sair seco, está pronto. Tire do forno, cubra com um pano e deixe esfriar um pouco antes de tirar da forma. Daí, divirta-se!