Hambúrguer sem frescura, com afeto

Stencil (R$ 18): carne suculenta, queijo bem derretidinho, cebola roxa, alface e tomate. Simples e perfeito.

Stencil (R$ 18): carne suculenta, queijo derretido, cebola roxa, alface e tomate. Simples e perfeito

Será o hambúrguer a nova pizza do paulistano? Somente esse mês, visitei três novas hamburguerias, cada uma com uma “proposta gastronômica” diferente. (Não, ainda nem passei perto daquela que faz “homenagem” a um filme de ficção científica). Haja academia pra dar conta disso tudo. Um dos locais que visitei, porém, vale cada caloria ingerida. Trata-se do Bullger, nova hamburgueria comandada pelo chef Thiago Koch (ex-Beato).

Uovo (R$ 18): hambúguer com queijo derretido, ovo e maionese, no pão "carimbado"

Uovo (R$ 18): hambúguer com queijo, ovo e maionese, no pão “carimbado”

O golaço do chef foi justamente não cair na tentação do famigerado raio goumetizador: são apenas seis opções de hambúrgueres, todos muito bem executados, sem firulas gourmetizadas (nada de redução de jambu com tomilho em pó), carne suculenta no ponto exato e com preços razoáveis – de R$ 16 a R$ 18. Sem frescura, com afeto.

O chef Thiago Koch:  sandubas sem frescura, mas com técnica apurada

O chef Thiago Koch: sandubas sem frescura, mas com técnica apurada e execução perfeita

Os pedidos chegam rapidamente à mesa, graças a uma operação bem azeitada. E a montagem também é outro ponto positivo: a carne se agrega perfeitamente aos ingredientes, bem encaixados em um pão macio e quentinho, que leva o “carimbo” da casa, e não desaba enquanto você come. Meu preferido foi o Stencil (R$ 18), com queijo, cebola roxa, tomate e alface. Simples e delicioso.

Bulldog, o dogão da casa.

Bulldog (R$ 16), o dogão da casa

Ah, sim, os hambúrgueres do Bullger são um pouco menores do que a média. Dependendo da fome, é bom se garantir com as gostosas batatas fritas com páprica (R$ 9) ou matar um Bulldog (R$ 16), cachorro-quente com salsicha Frankfurter enrolada em bacon, com coleslaw (dica: peça este acompanhamento à parte, pois ele pode vir em exagero e “matar” a salsicha).

Fritas com páprica, maionese especial e a refrescante berry lemonade

Fritas com páprica (R$ 9), maionese especial e a refrescante berry lemonade (R$ 9)

Sobremesa? Só tem uma: sorvete de creme (R$ 9). Dependendo do dia vem com cookies, ou brownie despedaçado, como o que eu provei e me lambuzei. Para beber, vale provar a refrescante berrie lemonade (R$ 9), feita com limões taiti e siciliano, e amoras maceradas.

No dia em que comi lá, tinha sorvete de creme com brownie despedaçado (R$ 9).

No dia em que comi lá, tinha sorvete de creme com brownie despedaçado (R$ 9)

Bullger – Rua Diogo Jácome, 606, Vila Nova Conceição, tel. (11) 3044-2757, www.bullger.com

Anúncios

Um grego sem crise

Souvlak (R$ 22): espeto com nacos parrudos de frango, com tomate, cebola roxa, creme azedo e pão pita com azeite.

Souvlaki (R$ 22): espeto com nacos parrudos de frango, tomate, cebola roxa, creme azedo e pão pita com azeite. Uma das especialidades da casa, também nas versões com carne, porco e cordeiro.

Aproveitei o domingo do feriadão para conhecer a mais recente “sensação” da cidade, o grego Kouzina. A casa branca com uma enorme bandeira da Grécia na fachada, numa esquina dos Jardins, ficou um bom tempo em reforma, porém mal abriu há três semanas e vive lotado – não é nada difícil ter fila de espera às 15h, por exemplo. Mesmo chegando cedo (antes das 13h) no domingo, tive de aguardar meia hora por uma mesa pra dois. Mas valeu a pena.

 

Lulas empanadas (R$ 21): crocantes e sequinhas, porém um pouco monótonas.

Lulas empanadas (R$ 21): crocantes e sequinhas, mas um tanto monótonas. Talvez um molhinho?

O Kouzina é do mesmo grupo que tem o Myk, outro grego a poucos quarteirões da casa. O cardápio do novo ponto, aliás, foi elaborado pela mesma chef do Myk, Mariana Fonseca. Como a proposta do Kouzina é mais informal (o restaurante fica aberto direto das 12h até a madrugada), a chef optou por um menu com a mesma pegada: um cardápio despretensioso, com pratos típicos da Grécia, receitas mais leves e petiscos para beliscar. Nada, portanto, de itens mais sofisticados como no Myk.

 

moussakaAinda bem: pra mim a comida do Kouzina é mais acertada que da casa-mãe, e com preços bem mais camaradas. Como a gostosa moussaka (R$ 34), uma das mais clássicas receitas da culinária daquele país. Também chamada de “lasanha grega”, alterna camadas de berinjela com molho de tomate e carne moída bem temperada. No Kouzina, aliás, a chef não economiza na proteína e a moussaka vem com uma dose bem generosa de carne. Falando em berinjela, o menu também tem paputsakai (R$ 38), ou “sapatinho”, com o legume recheado com ragu de carne e purê de batata.

 

saladaUma dica: antes do principal, peça uma das cinco saladas do menu. Eu dividi a Myk (R$ 30) com meu amigo e foi perfeito como entrada: um espesso disco de queijo de cabra, sobre muitas folhas, várias fatias de presunto cru, figos verdes, pinolis e mel orgânico. Na próxima pedirei a que leva o nome da casa, que tem maçã, pistache, damasco e queijo manouri. Só de pensar sinto a brisa mediterrânea.

 

drinqueO menu também contempla cozidos, como cordeiro cozido no limão com batatas (R$ 46), e grelhados, como bife angus (R$ 45), prime rib e porco (R$ 29) e um pescado (R$ 39) com ótima aparência (pele crocante, jeitão de peixe servido à beira-mar). Sim, terei de enfrentar filas pra comer isso – e olha que às 15h horas havia espera de mais de uma hora. O jeito será aguardar no despojado bar do restaurante. Eu queria experimentar uma cerveja grega, Fix (R$ 10), mas havia acabado. Acabei tomando um drinque, o Kouzina (R$ 27), uma super refrescante combinação de ouzo, vodca, melancia e limão siciliano. Na verdade, achei até gostoso ficar ali, naquele canto com forte sotaque grego, sem olhar pro relógio, comendo lulinhas e planejando as próximas férias. Realmente, não é difícil entender o sucesso a casa.

Kouzina – R. Peixoto Gomide, 1.710, Jardins, t
el. (11) 2935-0888

 

 

Um aniversário à beira da Marginal

stinco

Stinco suíno com purê de castanha: novidade no menu que provei em primeira mão. #sorry

Dia 1º resolvi comemorar meu aniversário jantando com três dos meus melhores amigos. E ao contrário do que se poderia pensar, eu, que conheço tanto restaurante na cidade, acabei escolhendo pra essa ocasião importante (pô, era meu aniversário!) uma casa que eu nunca havia ido. Sei lá, achei que ares de novidade combinariam com a data. Acabamos indo ao Sottovento, restaurante localizado na cobertura aberta do Shopping Cidade Jardim, de onde se tem uma bonita vista noturna da Marginal do Pinheiros, com o skyline paulistano ao fundo. Escolhi bem? Vejamos.

 

Amuse bouche: fettuccine de espinafre à cacio e pepe com um toque de carbonara

Amuse bouche: fettuccine de espinafre à cacio e pepe com um toque de carbonara

O restaurante italiano, aberto em 2013, passou por uma importante mudança no começo deste ano: com a saída do chef Marcelo Laskani (que acaba de inaugurar sua nova casa, Più), a cozinha ficou a cargo do chef Felipe Viana (ex-Picchi e Kaá). Desde então, o chef tem introduzido novos pratos no cardápio, como filé de fraldinha grelhado com queijo coalho e legume (R$  72) e risotto com lula, polvo, marisco e camarões (R$ 76), além de um menu executivo nos almoços de dia de semana (entrada, prato e sobremesa por R$ 55).

 

Tagliata de filé mignon, com tagliorini na manteiga

Tagliata de filé mignon, com tagliorini na manteiga

Nessa noite, ainda tive a oportunidade de provar uma nova receita, que o chef acabara de testar e acabou sugerindo como meu prato principal. Me dei bem: tratava-se de um stinco suíno (R$ 82), preparado com cozimento lento preciso. Assim que passei o garfo pela carne, ela se soltou instantaneamente do grande osso, para revelar-se suculenta e macia na minha boca. E bem acompanhada, por um surpreendente purê de castanha e o grosso molho do cozido da carne. Sim, o chef acertou muito no novo prato e fui feliz na escolha.

 

Nhoque de alcachofra com camarões, cogumelos e shitake

Nhoque de alcachofra com camarões, cogumelos e shitake

As massas, porém, são as grandes vedetes da casa, notadamente o plin de linguiça com manteiga trufada, favas e hortelã (R$ 63), que terei de voltar para provar. Naquela noite, experimentamos o nhoque de alcachofra com camarões, cogumelos e shitake (R$ 75) e a tagliata de filé mignon com tagliorini na manteiga e sálvia ao roti de limão (R$ 75).

 

tartareAtenção também a essa entrada: tartare crocante de salmão e sour cream (R$ 34,50, na foto acima), na verdade canudinhos receados com o peixe cru picado e temperado, uma combinação quase inusitada, porém feliz. A outra entrada que provei também intriga: bolinhos de bacalhau envoltos em tempurá negro e aioli (R$ 44). O que parecem pequenas bolas de carvão revelam o interior cremoso na primeira mordida, mas o sabor do bacalhau é pouco marcante e o resultado é levemente monótono.

 

tiramisuAniversário que é aniversário tem bolo e parabéns. No meu, a simpática velinha veio espetada na sobremesa mais famosa do chef Viana: uma deliciosa versão de tiramisù com Nutella e banana (R$ 19), com sorvete de chocolate. Até eu que não sou muito fã da pasta de avelã fui totalmente conquistado pelo combinação equilibrado dos ingredientes e pela ousadia de colocar banana num clássico italiano. Quase comi a vela junto.

 

Mil-folhas com toques de geleia de frutas vermelhas (ei, não me julguem, era meu aniversário, poxa!)

Mil-folhas com toques de geleia de frutas vermelhas (ei, não me julguem por ter comido outra sobremesa, era meu aniversário, poxa!)

Sim, escolhi bem o lugar para comemorar meu aniversário. Comida bem feita e farta (as porções dos pratos são beeem generosas), serviço atencioso, ótimas opções de vinho (como o francês Flying Solo Grenach Syrah, fresco, frutado e divertido), projeto bonito e uma cozinha que demonstra identidade, mas não se esquece do principal: a expectativa do cliente. Ah, sem contar a vista: sim, de noite e de longe a Marginal é uma coisa linda de se ver.

Sottovento – Shopping Cidade Jardim, 3º andar, Av. Magalhães de Castro, 12.000, Morumbi, tel. (11) 3552-2811, www.sottovento.com.br

 

Éramos seis

Melhor prato do Ici no Balcão: codorna recheada com ameixa e foie gras (RÁ!), coberta com um demi-glace robusto. Perfeição.

Melhor prato do Ici no Balcão: codorna recheada com ameixa e foie gras (RÁ!), coberta com um demi-glace robusto. Perfeição.

Ontem participei de uma das degustações mais legais desse ano. Trata-se do Ici no Balcão, um jantar de 6 etapas realizado no balcão que se debruça sobre a cozinha do Ici Brasserie Jardins, em que o chef executivo do grupo, Marcelo Tanus, serve e apresenta os pratos. O mais bacana: você pode interagir com o chef, tirar dúvidas ali na hora e conhecer mais das receitas e da culinária francesa.

Um boa surpresa com essa entrada fria: salmão curado com vodca e beterraba, acompanhado de laminas de rabanete e molho gribiche (gema de ovos com alcaparra).

Um boa surpresa com essa entrada fria: salmão curado com vodca e beterraba, acompanhado de laminas de rabanete e molho gribiche (gema de ovos com alcaparra).

Pra ficar ainda mais legal, ontem o próprio chef Benny Novak, um dos sócios da casa, comandou a degustação, enquanto a somelière da casa, Caroline Oda, harmonizava cada etapa com cervejas. Luxo puro, que irá se repetir no dia 14 de julho (com Benny e Marcelo servindo esses pratos), às 20h. Depois, acontecerá a cada 15 dias, com menus diferentes em cada edição.

Primeira entrada quente: pissaladière: massa folhada com alcaparra, azeitona preta, anchova e cebola caramelizada.

Primeira entrada quente: pissaladière: massa folhada com alcaparra, azeitona preta, anchova e cebola caramelizada.

O jantar fechado custa R$ 187, incluindo a bebida. Um porém: são apenas seis lugares, então o Ici no Balcão se esgota em menos de duas horas. Você tem de ficar de olho no Foodpass.com.br pra garantir sua vaga.

Clássico da casa e da culinária francesa: rã à provençal, harmonizada com cerveja Ici 00.

Clássico da casa e da culinária francesa: rã à provençal, harmonizada com cerveja Ici 00.

Acelga recheada com pescoço de cordeiro, desmanchando, purê de batata e mini-cenoura.

Acelga recheada com pescoço de cordeiro, desmanchando, purê de batata e mini-cenoura.

Vieira salteada com bacon e molho de cogumelos.

Vieira salteada com bacon e molho de cogumelos.

Clafoutis de cereja e pistache fechando o Ici no Balcão

Clafoutis de cereja e pistache fechando o Ici no Balcão

Os chefs atrás do balcão: Marcelo Tanus (à esq.) e Benny Novak.

Os chefs atrás do balcão: Marcelo Tanus (à esq.) e Benny Novak.

Ici Brasserie Jardins – Rua Bela Cintra, 2203, Jardins, tel. (11) 2883-5063 / 2883-5064, www.icibrasserie.com.br