Novo Tanit: ótima comida, bons drinques e clima mediterrâneo

Croquetas de jamón ibérico (R$ 28), do novo Tanit: peça junto com um Clericot, sente-se na varanda e sinta-se em Ibiza ou Barcelona.

Croquetas de jamón ibérico (R$ 28), do novo Tanit: peça junto com um Clericot, sente-se na varanda e sinta-se em Ibiza ou Barcelona.

Tanit é o nome de uma deusa fenícia, venerada em Cartago e no Mediterrâneo Ocidental por volta do século V. Maior divindade da região, Tanit era associada à fertilidade, inclusive da terra – era ela que os agricultores fenícios invocavam em épocas de seca, pedindo por chuva. Cerca de 2.500 anos depois, parece que o nome continua a invocar prosperidade. Ao menos foi essa a impressão que tive ao visitar o Tanit, novo restaurante de culinária mediterrânea aberto no ínicio da Oscar Freire. Funcionando apenas há duas semanas, o casa já registra filas de espera, principalmente no jantar, e só se ouvem elogios ao restaurante, principalmente à cozinha mediterrânea com forte pegada catalã do chef espanhol Oscar Bosch.

Negroni Jerez: quem diria que eu me apaixonaria asssim?

Negroni Jerez: quem diria que eu me apaixonaria asssim?

Uma das grandes vocações do novo restaurante são as tapas e petiscos, principalmente se consumidos com os bons drinques executados pelo barman Caique Soares – esse moço criou um negroni Jerez (R$ 27) tão bom que até me fez esquecer um pouco da fase dry martini que estou atravessando e da minha habitual ranzinzice com “inovações” da clássica receita do drinque. Mas aqui ele acertou muito: sai o vermute rosso, entra o bianco, e o gim divide o protagonismo com o aromático e avermelhado jerez. Já tomei quatro em dois dias (foi tipo Heleninha Roitmann – The Catalan Tour).

bunuelosVoltando às entradas e tapas, invista sem dó nas frituras sequinhas, pois são pequenos bocados de alegria. Como esses buñuelos (R$ 30), que parecem bolinhos de chuva mas são feitos com bacalhau, agradáveis na mordida e com sabor equilibrado, companhados de alioli cítrico.

bravasOutro clássico espanhol, as batatas bravas (R$ 24) ganham aqui versão crocante, com molho de tomate caseiro e ragu de chorizo. Dica feel good: sente-se na varanda, peça essas tapas com uma jarra de clericot (R$ 72, com espumante à maçã verde, uva verde, gengibre e cachaça) e sinta-se em Barcelona. Ou Ibiza.

tartare tutanoEntre os pratos, há uma opção para compartilhar (ou comer inteira, como prato principal) que me encantou tanto pelo sabor quanto pela apresentação. Trata-se do steak tartare (R$ 47), que vem por cima de um… tutano assado! Sim, um grande osso com tutano assado (e ainda quente) é a base para a carne cortada e bem temperada, guarnecida com cubos crocantes de batata. Tudo sobre uma base rústica de madeira.

fideuaNa seção de arrozes e massas, chamam atenção o suculento fideuá de lulinhas grelhadas (R$ 56, na foto), feita no caldo de camarão e servida com maionese de alho, e um belo arroz negro com polvo grelhado, tinta de lula e alioli (R$ 60)

polvoE por falar em polvo, ainda ressoa na minha boca o sabor do polvo grelhado com panceta ibérica, salsa holandesa e batatas rústicas (R$ 65). O molusco de carne tenra e pele levemente crocante repousa no prato sobre uma generosa fatia crocante e suculenta de barriga de porco, rodeado pelas batatas e finalizado com o molho aveludado. Se eu soubesse falar fenício, faria uma prece de gratidão para Tanit!

porcoUma boa opção pra quem não é chegado em frutos do mar é o leitãozinho crocante cozido em baixa temperatura, cenourinhas, chutney de repolho roxo e maçã (R$ 62). Parece pesado, mas é na verdade bem gostoso na boca e confortável no estômago.

torta santiagoPara finalizar, fui muito feliz com a torta de Santiago (R$ 22, na foto), uma disco macio de massa de amêndoas, com creme inglês e sorvete de nata, obra da  patissière brasileira Bia Bosch (sim, ela é esposa do chef!). Ainda fiquei de provar os churros e a pera cozida em baixa temperatura, mousse de iogurte, crumble de macadâmia e sorbet de pêra (R$ 19). Ficou para uma próxima visita ao novo templo descontraído da deusa fenícia.

Tanit – Rua Oscar Freire, 145, Jardins, tel. (11) 3062-6385.

 

Anúncios

Por que você deve ir na feira espanhola da mansão na Bela Vista

Pulpo a la Gallega (R$ 25), do Como te Gusta: um dos pratos do La Feria

Pulpo a la Gallega (R$ 25), do Como te Gusta: um dos pratos do festival La Feria, dias 17 e 18

Em abril deste ano tirei um domingo para visitar um simpático festival enogastronômico que acontecia numa mansão das Rua dos Franceses. Foi justamente no dia 12, em que rolava uma manifestação anti-governo na Avenida Paulista, a uns 500 metros dali. Após driblar bravamente centenas de manifestantes para atravessar uma entupida Paulista, fui recompensado com um dos eventos mais legais relacionados à cultura e gastronomia espanhola, o La Feria. A situação política só se complicou desde então, mas ao menos tem uma boa nova: nos dias 17 e 18 de outubro, acontece a 5ª edição do festival, na mesma Mansão Hasbaya, e recomendo que você vá (e olha que nem vai ter manifestação para bagunçar sua chegada).

Paella clássica (R$ 25) do La Paella Express. Essa cliquei em abril, mas vai ter na nova edição do festival

Paella clássica (R$ 25) do La Paella Express. Essa cliquei em abril, mas vai ter de novo!

O La Feria organizado pelo chef Fernando Lancho, do Gusta Bar para promover a cultura espanhola, e reúne oito restaurantes e bares em barracas no jardim da casa (entre eles Clos Restaurante, Brado e Paellas Pepe). Vá com fome: entre os itens servidos nas barracas estão paellas (R$ 25), croquetas de galinha caipira (R$ 10, duas unidades), polvo a la Galllega (R$ 25), hambúrguer com queijo, crispy de jamon e alioli (R$ 20), e churros espanhóis acompanhados de chocolate quente ou doce de leite (R$ 8). Além disso, haverá sangrias, cervejas e vinhos, bem como produtos espanhóis para degustação trazidos pela Sabor Mediterrâneo.

Também vão acontecer espetáculos gratuitos de música com gaiteiros galegos, dança flamenca, boleros, teatro, exposição de quadros, esculturas, e workshops de cozinha. A entrada é gratuita e o evento rola dia 17, sábado, das 10h às 22h, e dia 18, domingo, das 12h às 19h.

La Feria Mansão Hasbaya – Rua dos Franceses, 518, esquina com a R. Joaquim Eugênio de Lima, laferia.com.br

Fim de semana à espanhola em SP

image001-2Se você, como eu, é muito fã da cultura e da gastronomia da Espanha, se liga nessa: dias 11 e 12 (sábado e domingo), vai rolar a 4ª edição do La Feria, evento enogastronômico cultural organizado pelo chef Fernando Lancho, do Gusta Bar, na Mansão Hasbaya. O que vai ter? Seis restaurantes e bares da capital montarão barracas no jardim da casa, com paellas e tapas, cervejas, vinhos e sangrias com preços entre R$ 7 a R$ 25. Anote: dia 11, das 10h às 22h; e 12, das 12h às 19h. E a entrada é gratuita.

 

image001-3Quer mais? O bar de tapas ¡Venga! Vai realizar a Paella Fest todo segundo sábado do mês. Ou seja, amanhã tem! A festa rola das 14h às 20h, com comida, drinques e até apresentação musical. A paella, estrela do evento, será servida na varanda e preparada à frente dos clientes em sua versão tradicional, a paella marinera (R$ 30), com arroz bomba, frutos do mar, páprica e açafrão. Tem também a opção arroz negro (R$ 30), de lulas, colorido por sua própria tinta. Para beber, o premiado barman Jean Ponce (ex-D.O.M.) criou dois drinques: sangria morada (R$ 20), com vinho branco, licor de açaí, fruta do conde e jabuticaba, e a caipiVenga (R$ 20), com cachaça orgânica, limão, açúcar mascavo, gengibre, capim limão e vinagre de Jerez. O evento terá também a apresentação da cantora espanhola Irene Atienza e o duo Coro de Grilo.

La Feria
- Mansão Hasbaya, Rua dos Franceses, 518, esquina com a R. Joaquim Eugênio de Lima, Bela Vista, laferia.com.br

¡Venga! – Rua Delfina, 196, Vila Madalena, tel. (11) 3097-9252, www.venga.com.br

 

 

Tapas na mesa, Foo Fighters na cabeça e Keira Knightley no coração

patatas Quarta-feira passada recebi um convite irrecusável: um jantar no Arola Vintetres especialmente preparado pelo chef espanhol Sergi Arola, em passagem de uma semana pelo Brasil. Sentado à mesa com ele, aprendi três coisas: 1) ele é fã da banda americana Foo Fighters; 2) a atriz que mais o encanta (em todos os sentidos) é a inglesa Keira Knightley; 3) de todos os vegetais do mundo inteiro, o que ele mais ama é o palmito brasileiro. Porém, o mais importante sobre o homem eu já sabia anos antes de conhece-lo ao vivo: seu talento. E nem estou falando dos vários prêmios e das duas estrelas no Guia Michelin, mas da cozinha autoral que ele pratica em seus vários restaurantes, itens criativos e bem executados, mas sem afetação nem “raio gourmetizador.” Enfim, foi uma ótima degustação com vários exemplos das tapas quentes e frias, além dos pratos, que são sucesso nos restaurantes de Sergi e que estão no cardápio do Arola em SP. Como as marcantes patatas bravas e tortillas de batata (na foto) e outras delícias que seguem abaixo.

 

cevicheEsse é pra refrescar: ceviche de pargo com manga e guacamole.

 

salpicao 2Um dos pontos altos do menu: salpicão de centolla (caranguejo gicante). Simples, mas rico em sabores e texturas.

 

kobeCarpaccio de Kobe beef, com fatias tão finas e macias que chegam a ser cremosas na boca.

 

ajoblancoAjoblanco, uma sopa fria típica da Andaluzia: emulsão de amêndoas e alho, gelatina de uva, melão e tosta de pão. Surpreendente.

 

 

polvoVice-campeão da noite: polvo guisado na brasa com batatas bravas. Textura sensacional e ainda um gostinha de brasa no fim. O chef me disse que é um dos itens mais pedidos em seu restaurante em Madri.

 

carneMeu preferido: filé ibérico confitado com abacaxi, endívias e quenelle de batata e pancetta. Carne desfiando, com sabor marcante, perfeitamente combinada com a doçura da fruta e a maciez da batata.

 

ravioliRabo de boi servido em ravioli de massa wonton. Surpreendente.

 

 

arroz lagostaArroz cremoso de lagosta. Bom, mas foi o prato menos interessante da noite.

 

 

chocolateA sobremesa foi Chocolate 1, 2, 3, 4, 5: ou seja, cremoso, sorvete, espuma, gelée, crocante e sopa.

 

 

sergiFoto ruim, mas pra marcar a data: com o chef Sergi Arola e a querida Larissa Januário, do site Sem Medida.

 

vistaE pra fechar: além da ótima comida e da boa companhia, pense num jantar com essa vista

 

Arola Vintetres – Hotel Tivoli, Alameda Santos, 1437, 23º andar, Jardins, tel. (11) 3146-5901, www.arolavintetres.com.br

 

 

Tapas Week vai só até domingo. Corra!

Pintxo pato ahumado, uma das tapas do Gusta Bar: queijo de cabra curado, jamón de pato da casa, sálvia, nozes caramelizadas com molho de mostarda, gengibre e mel.

Pintxo pato ahumado, uma das tapas do Gusta Bar: queijo de cabra curado, jamón de pato da casa, sálvia, nozes caramelizadas com molho de mostarda, gengibre e mel

Ainda dá tempo de aproveitar a 5ª edição da Tapas Week, que vai até domingo, dia 1º de dezembro. Dessa vez são 13 casas (bares e restaurantes) espanholas, com menus especiais com no mínimo cinco tapas, por R$ 49 nos bares e R$ 79 nos restaurantes. O Clos de Tapas, por exemplo, tem mini gazpacho,  croqueta de jamón, lula a dorê e mini tortilha com palha para compartilhar e lombinho à milanesa e tomate assado como tapa individual – e “arroz con leche” e sorvete de doce de leite de sobremesa (R$ 79). Já o La Madrileña serve tortilha de batatas com pimentão assado, montadito de cogumelo com tomate e ovo de codorna, espetinho de filezinho suíno temperado com batatas, croquetas de jamón e pera ao vinho tinto (R$ 49). Todos os participantes e seus menus estão no site do evento www.tapasweek.com.br

Clos de Tapas: melhor e mais barato

Arroz cremoso com frutos do mar, um dos novos (e ótimos) pratos do Clos de Tapas

Arroz cremoso com frutos do mar, um dos novos (e ótimos) pratos do Clos de Tapas

Hoje almocei num dos restaurantes mais bonitos de São Paulo, o Clos de Tapas. Mas, se o ditado reza que beleza não se põe à mesa, o que chega à mesa do Clos não é só belo, mas delicioso: receitas criativas da chef Ligia Karazawa, executadas com excelência técnica, e apresentação primorosa. E agora melhorou: no menu novo, pratos principais robustos ganharam espaço, com preços mais acessíveis (na média de R$ 55), sem deixar de lado ótimas entradas e tapas, que fizeram a fama do local, e sobremesas perfeitas. Ou seja, dá pra comer muito bem e pagar um preços justo. Um desses novos pratos é o arroz cremoso de frutos do mar e espuma de kabotcha (R$ 58). Dá uma olhada nas comilança de hoje!

Continuar lendo

Receita de fideuá que eu fiz na Páscoa (e se eu fiz…)

fideua1E por falar em comida espanhola, vamos a mais uma receita que aprendi no curso de formação básica do Na Cozinha – e que consegui reproduzir decentemente em casa: fideuá de frutos do mar (é uma paella, mas com macarrão no lugar do arroz). Aliás, não só reproduzi o prato em casa como ele foi o almoço do sábado de Aleluia… para dez pessoas! Pense numa pessoa tensa: este era eu. Na última hora aumentei as quantidades, corri com a receita, mas no fim deu tudo certo e ganhei elogios até do meu irmão (que não tem o mínimo problema em criticar qualquer coisa que ele não goste). Vou dar a receita que aprendi ali, na raça, com o chef Carlos Ribeiro – ou seja, muita coisa vai de olho e depende do seu gosto. Mas no fim dá tudo certo. Bora!
Continuar lendo

Curte comida espanhola? Começa amanhã a Tapas Week

Vieiras gratinadas com ali-oli de açafrão sobre fideuá negra e polvo crocante, um dos itens do restaurante Gracia na Tapas Week

Vieiras gratinadas com ali-oli de açafrão sobre fideuá negra e polvo crocante: um dos itens do menu especial do restaurante Gracia para o Tapas Week em São Paulo

Começa amanhã a 4a edição da Tapas Week em São Paulo. Esse ano, participam são 17 restaurantes e bares de cozinha espanhola. Os menus são fechados mas, diferente da Restaurante Week, cada casa faz seu preço – há menus de R$ 36 (Sacho Bar) e R$ 49,90 (Torero Valese) a cardápios de R$ 81 (Clos de Tapas) e R$ 90 (Arola Vintetres). Vale a pena dar uma boa olhada no site, já que algumas casas fazem harmonização com vinho ou incluem uma taça no menu Tapas Week. Vi a lista de menus fiquei curioso com alguns pratos, como o mini-hambúrguer de atum, do Porto; as vieiras gratinadas com ali-oli de açafrão sobre fideuá negra e polvo crocante, do Gracia; o bombom de queijo de cabra empanado e geléia de tomate com alecrim, do Clos de Tapas; e a barriga suína ao mel de Sherry e paella vegetariana, do Donostia. Já nas sobremesas, faltou criatvidade: oito dos 17 participantes servirão crema catalana (ou brulée, como diriam os franceses). Uma das poucas opções a isso são os churros com chocolate e doce de leite, do Almodóvar. Não que churros sejam criativos, mas são gostosos à beça, né?

churros
Ah, uma dica: quem fizer reserva pelo site Restorando concorre a uma noite de hospedagem com acompanhante no hotel Tivoli, com um jantar no restaurante Arola Vintetres. E quem postar fotos no Instagram de um dos pratos dos menus com a hashtag #tapasweek concorre a uma cesta de produtos espanhóis  no valor aproximado de R$ 500. Portanto, celulares à mão e muitas tapas à mesa.

www.tapasweek.com.br

Entre tapas & quesos

Paleta de cordeiro desfiada, com legumes grelhados: parece comida da abuela!

Paleta de cordeiro desfiada e macia, com legumes grelhados: parece comida da abuelita!

Com a correria de fim de ano – um clichê, mas uma grande verdade também – acabei nem comentando minha visita ao Donostia, simpático restaurante espanhol de Pinheiros. À primeira vista, a casa tem pegada de bar de tapas – o que também não deixa de ser verdade. Mas o cardápio do chef Bruno Cabral capricha tanto nos tapas e pintxos (petiscos) quanto em pratos mais encorpados. Como a deliciosa paleta de cordeiro com molho de jamón (R$ 44), com uma gostosa carne desfiada e bem temperada, acompanhada de legumes grelhados. E tem novidades no Donostia: o restaurante passou a servir menu executivo no almoço de terça a sexta, por R$ 24.90. Isso inclui uma salada ou pintxo do dia, o prato principal (como mignon suíno ao molho de mostarda escura e batata rústica) e fruta ou sorvete de sobremesa. Veja abaixo outras delicias que provei na noite em que visitei a casa. Continuar lendo

Receita de uma entrada de tomate à base de azeite espanhol

Potinhos de tomate com azeite espanhol, criados por Heloísa Bacellar. A foto é do Romulo Fialdini

Gosta de azeite? Eu amo. Mesmo. Já tomei até de colher – ok, era degustação e os azeites eram de primeira, não me julguem! Enfim, o Plano Setorial do Azeite de Oliva Espanhol está realizando uma campanha no Brasil para divulgar o produto – a Espanha é o maior produtor mundial de azeite de oliva e tem 260 variedades de azeitona. Já viu, né? Uma das ações da campanha é o café da manhã espanhol no hotel Meliá Jardim Europa (R. João Cachoeira, 107, Itaim). Além do bufê tradicional do hotel, os hóspedes podem provar, quatro tipos de azeites do país, alho cru, sal grosso, pães torrados e molhos de tomates frescos. Visitantes também podem apreciar o bufê com azeites, pelo reço de R$ 32 por pessoa. A ação vai até 31 de dezembro. Outra ação bem legal da campanha é um e-book com receitas criadas por chefs como Rodrigo Oliveira, do Mocotó, e Heloísa Bacellar, do Lá da Venda. Você pode baixar aqui. Mas o blogueiro que vos fala conseguiu uma das receitas, uma entrada bem diferente, criada pela Heloísa Bacellar (aliás, o primeiro post desse blog, em abril de 2011, era sobre o Lá da Venda, da Helô…). São os potinhos de tomate, fáceis de fazer, lindos e gostosos. Veja a receita abaixo. Continuar lendo