Kinoshita faz 5 anos e comemora com um vídeo

Vieiras maçaricadas com manteiga trufada

Vieiras maçaricadas com manteiga trufada e yuzu

O Kinoshita, um dos meus restaurantes japoneses preferidos de São Paulo, faz 5 anos. Quer dizer, cinco anos de Vila Nova Conceição, onde foi aberto pelo restaurateur Marcelo Fernandes e o chef  Tsuyoshi Murakami.  Antes, funcionou por quase 30 na Liberdade, fundado pelo sogro do Murakami. A casa acabou famosa por ser uma das grandes (e poucas) representantes da kappo cuisine na cidade. Para comemorar a data, o Kinoshita lançou um vídeo lindo, produzido pela Diretta, que você pode ver aqui. Congrats, Mura, Marcelo e equipe!

Kinoshita – R. Jacques Félix, 405, Vila Nova Conceição, tel. (11) 3849-6940, www.restaurantekinoshita.com.br

Cartões postais culinários

Parece arquitetura, mas é um dos polvos mais macios que já comi

Parece arquitetura, mas é o polvo mais macio que ja comi

Como faz duas vezes por ano, o chef Tsuyoshi Murakami acaba de renovar o cardápio do Kinoshita. Dessa vez, ele mudou 80% da carta, incluindo receitas inspiradas em suas ultimas viagens. O que chega ao balcão (e às mesas, claro) são criações delicadas, conceituais, que remetem à América Latina, à Europa e, naturalmente, ao Japão. Uma das que mais me seduziram foi o Tako no Shitimi Yaki, polvo salteado com pimenta shichimi (pronuncia-se shitimi) togarashi: provavelmente um dos moluscos mais macios que já comi, incrementado com delicadeza pelos  “sete sabores” da aromática pimenta vermelha. Veja abaixo algumas outras paradas da viagem gastronômica sugerida por Murakami.
Continuar lendo

Para jantar e para guardar na estante

O livro de Shin e o mix de entradas servido no menu especial do novo Sakagura A1 (foto: divulgação)

Foi lançado ontem o livro A Cor do Sabor: a culinária afetiva de Shin Koike (272 pg., R$ 120, Ed. Melhoramentos), de Jo Takahashi, um belo e colorido registro do processo criativo de um dos mais talentosos chefs da cozinha japonesa. Além de receitas, a obra reúne alguns bate-papos com outros artistas (como o músico Ed Motta, a ceramista Kimi Nii, o hair designer Hideaki Iijima) e fala da interessante expedição gastronômica do chef à Ilha Grande (RJ), em busca da essência dos sabores simples. Para comemorar o lançamento, Shin vai promover menus especiais nos três restaurantes em que atua – o novo Sakagura A1, o premiado Aizomê e o Rangetsu. Quem escolher o menu especial leva pra casa o livro. Dê uma olhada nos pratos! Continuar lendo

Dueto de chefs reúne Japão e Portugal

Camarão e polvo sumissô: a primeira das oito etapas do jantar a quatro mãos do chefs Tsuyoshi Murakami (Kinoshita) e do português Paulo Morais, do Umai (Lisboa)

Ora pois, arigatô! Acontecem hoje e amanhã dois jantares especiais do festival Portugal de Sabores, uma série de eventos gastronômicos que, até junho de 2013, comemoram o Ano de Portugal no Brasil (de do Brasil em Portugal). Dessa vez o Dueto de Chefs reúne o nipo-brasileiro Tsuyoshi Murakami, do prestigiado japonês Kinoshita, e o português Paulo Morais, do restaurante Umai, em Lisboa, onde pratica uma cozinha asiática. Os jantares serão hoje (26) e amanhã (27), às 20h30, no próprio Kinoshita. O preço é R$ 480 por pessoa, inclui todos os pratos do menu e as bebidas servidas. Dá uma olhada no cardápio:

1- Sea food dream (camarão e polvo sumissô), do chef Murakami
2- Otsukuri com sabores de caldeirada, do chef Paulo Morais
3- Sashimi moriawase, do chef Murakami
4- Novilho grelhado com chuthney de abacaxi e nuvem de foie gras, do chef Paulo Morais
5- Kappo tonkatsu (paceta de porco crocante), do chef Murakami
6- Dentô to atarashi sushi, do chef Paulo Morais
7- Yuzu anmitsu (frutas, azuki e sorvete de baunilha com perfume de yuzu), do chef Murakami
8- Chá e pasteis de nata, do chef Paulo Morais

As reservas devem ser feitas no site www.portugaldossabores.com

Kinoshita – R. Jacques Félix, 405, Vila Nova Conceição, tel. (11) 3849-6940, www.restaurantekinoshita.com.br

Sashimi literário

O chef Tsuyoshi Murakami: talento incrível para a cozinha e um cantor surpreendente! (a foto é de  Jo Takahashi)

Hoje é dia de livro, bebê! Mais que isso: às 19h, na Livraria da Vila dos Jardins rola o lançamento do livro que conta a história de um dos restaurantes mais bacanas da cidade e do homem por trás do balcão. Kinoshita e o Jazz de Murakami (225 pg., R$ 160, Ed. Bei) foi escrito pelo jornalista João Gabriel de Lima (que foi meu chefe na revista Época em 2007), e conta como surgiu o restaurante, um modesto endereço na Liberdade, em 1978, até a atual casa sofisticada e premiada na Vila Nova Conceição. Mais do que isso, traz a história do chef Tsuyoshi Murakami, genro e discípulo do fundador da casa, Toshio Kinoshita (que morreu em 2011, quando a nova unidade completou três anos).

No livro, João Gabriel descreve sua viagem com o chef pelo Japão (acompanhado de seu sócio, o super restaurateur Marcelo Fernandes) e suas conversas sobre a cozinha e a cultura japonesa. Quero só ver se Murakami revelou ao jornalista um de seus talentos surpreendentes – que não tem nada a ver com os sushis e sashimis: Mura canta – e muito bem! Ah, o livro traz receitas de alguns pratos clássicos do menu kappa cuisine do Kinoshita e muitas fotos. O mais bacana é que vem junto um DVD com cenas da viagem, registradas pelo cineasta Marco Aslan (e você pode ver um trailer aqui).


Livraria da Vila
– Alameda Lorena, 1731, Jardins, tel. (11) 3062-1063

Sukiyaki de grife ajuda entidades

Ligia Karazawa e Raul Jimenez, o casal de chefs do Clos de Tapas, participaram da ação beneficente

Atenção! No próximo sábado, dia 2 de junho, será realizado o 6º Sukiyaki do Bem, jantar beneficente e leilão organizados pela ceramista preferida por 11 entre 10 chefs de São Paulo, a talentosa Hideko Honma. Funciona assim: o convite custa R$ 350 e dá direito a participar de um jantar fechado, para 350 pessoas, no hotel Tivoli. Nesse jantar serão servidas releituras do clássico prato japonês, com receitas criadas por Sergi Arola (chef do Arola Vintetres, restaurante que fica no topo do Tivoli) e outros chefs, além de entradas, sobremesas e petit fours. Os chefs convidados são Jun Sakamoto, Janaina Rueda (Bar da Dona Onça), Adriano Kanashiro (Momotaro), Carlos Ribeiro (Na Cozinha), Rodrigo Martins (Vino!), Shin Koike (Aizomê), além dos patissiers Amanda Lopes e Michel Fouer (Tivoli Mofarrej). Os vinhos, inclusos no preço do convite, serão escolhidas pelos sommeliers Benedito Filho (Clos de Tapas) e Jo Barros (Tivoli Mofarrej). Além do jantar, o participante ganha a utsuwa (tigela) feita pela própria Hideko, onde será servido seu sukiyake, e poderá escolher outra tigela feita pelos alunos da ceramista – ou seja, vai pra casa com duas! Depois, haverá o leilão de dez utsuwas customizadas por chefs como Erick Jacquin (La Brasserie), Ligia Karazawa e Raul Jimenez (Clos de Tapas), Alberto Landgraf (Epice) e Tsuyoshi Murakami (Kinoshita). Importante: a grana arrecadada será destinada à Assistência Social Dom José Gaspar e ao Hospital Santa Cruz.

Sukiyaki do Bem –  02 de junho, a partir das 19h30 no Hotel Tivoli São Paulo Mofarrej – Al. Santos, 1437, tel. (11) 3146-5900, convites de R$ 350 por pessoa à venda no Atelier Hideko Honma (rua Pintassilgo, 429, Moema, tel. 5042 4459) e na Associação Dom Jose Gaspar – Ikoi no Sono (rua São Joaquim, 381, sala 42, Liberdade, tel.: 3209-0215), www.sukiyakidobem.com.br

Novo japa tem pratos criativos e ambiente elegante

Entre as boas surpresas do chef Kanashiro, está o Shake Marinade: salmão marinado, ovas de peixe voador com creme de tofu (R$ 29)

Era uma vez um menino japonês que nasceu dentro de um pêssego. Essa lenda japonesa se chama Momotaro, também o nome de um tipo de tomate nipônico que lembra um caqui. É mais neste último significado que o chef Adriano Kanashiro se inspirou para batizar sua nova casa, o Momotaro, misto de restaurante e izakaya (bar japa de saquê e petiscos). A proposta é mesmo essa: menu variado, com muitos itens pra compartilhar, tomando saquê ou drinques da casa, e alguns pratos maiores para quem quer almoçar ou jantar ali. Fiz uma super degustação (12 pratos!) e o “veredicto” foi: mais uma vez, o chef Kanashiro surpreende pela criatividade das receitas e dá um show de bola na execução dos pratos. Olha só as delícias. Continuar lendo

Passei o Dia das Meninas comendo na Liberdade

Adoro comida japonesa depois da academia. É um jeito de comer algo de que realmente gosto e sem culpa após o sacrifício de correr em esteira e puxar ferro como se fosse algo natural e prazeroso. Enfim, sábado (sim, a situação está grave e estou malhando também aos sábados, antes de ser chamado de Shamu pelas ruas) liguei para meu amigo Marcelo Katsuki e em 10 minutos o convenci a bater perna na Liberdade e almoçar por ali. Acabamos indo ao Ban, restaurante aberto em setembro pelo casal que é dono do Izakaya Issa – um dá fundos para o outro. Como eles têm menu de almoço, com teishokus de vários tipos, lá fomos eu e Kats nos entupir de proteínas do bem. Continuar lendo

Sonhos num balcão de comida japonesa

Meu preferido do novo menu do Kinoshita: tataki de wagyu com gema de codorna e cebolinha

Estou no balcão de um restaurante japonês, que tem uma enorme janela de vidro, conferindo ao salão uma gostosa claridade natural. À minha frente, numa linda louça branca com detalhes azuis, repousam mexilhões fresquíssimos, nadando num intenso molho de misso, com alga wakame (R$ 26). Logo surge outra vasilha colorida, que chega tampada como um presente. Seu interior guarda uma espécie de steak tartare de wagyu, chamado no Japão de tataki (R$ 62), com uma delicada gema de codorna que se derrama sobre a carne perfeitamente picada e temperada com talento. Parece sonho, né? Mas foi bem real: esses são dois dos vários pratos que o chef Murakami criou para renovar, mais uma vez, o cardápio do Kinoshita. E devo dizer que, dos vários menus que já comi no restaurante, esse foi um dos mais incríveis. Quer saber mais? Continuar lendo

O pior sushi da cidade

De longe até parecia bom. Mas foi tipo vergonha alheia culinária

Semana passada tentei ir ao cinema do Shopping Bourbon Pompéia. Queria ver A Separação, mas a última sessão já havia lotado uma hora antes. Pra não perder a viagem, resolvi comer por ali mesmo. Feriadão, praça de alimentação lotada, eu quis fugir das gorduras fáceis dos sanduíches e das massas rápidas, que têm todas o mesmo sabor de plástico temperado. Japonês era a saída! Infelizmente, o único japa desse shopping é o Gendai, uma rede que, via de regra, me deixa frustrado. Toda vez que como ali, saio reclamando e jurando que foi a última. Dizia minha avó: “errar é humano; insistir no erro é burrice”. Vovó sabia das coisas mas o netinho aqui não aprendeu direito e decidi apostar num novo “executivo” deles. Acho que o resultado não podia ser pior. Continuar lendo