Killa promove festival de ceviches

killaComeçou ontem no peruano Killa a quarta edição do Festival de Ceviches. Fui lá ontem mesmo e me esbaldei. Afinal, ceviche é o ideal pra jantar durante o verão, já que é refrescante e leve. O festival vai até  6 de fevereiro e consite de suas opções de degustação de três ceviches, por R$ 35. Provei o menu Uno, que é composto dos ceviches Dichan (com peixe branco, óleo de gergelim, leche de tigre com pimentas orientais), El 6 (salmão em leche de tigre com chirimoya, fruta peruana que lembra a fruta-do-conde) e o Baile (ceviche de peixe branco, manga, abacaxi, leche de tigre com ají amarillo). Já o menu Dos traz os ceviches Mescla (peixe branco e leche de tigre de laranja e pisco), Mango (peixe branco marinado no leche de tigre de limão tahiti e manga, cebolinha e cebola roxa) e o Por la sierra (salmão marinado no leche de tigre com pasta de ajíes, quinua e pepino). O festival é servido  de terça a sábado durante o jantar. Ah, quem preferir um dos ceviches do menu tradicional da casa ganha um pisco sour ou um chilcano de pisco, por conta da casa – mas só enquanto durar o festival.

Killa – Rua Padre Chico, 324, Perdizes, tel. (11) 985518511, www.killa.com.br

Anúncios

Domingo tem ceviche na calçada do Suri

Ceviche Goa, que será servido na calçado do Suri por R$ 14 no domingo

Ceviche Goa, que será servido na calçado do Suri por R$ 14 no domingo

No próximo dia 12, o chef Dagoberto Torres, do Suri, vai promover uma nova edição do Domingo Cevichero, das 18h às 21h. Torres servirá ceviches, petiscos e drinques a preços bem camaradas, na calçada do seu restaurante. Tem, por exemplo, o Goa (R$ 14), com peixe branco, camarão e lula, curry, leite de coco e coentro, e o ceviche clássico peruano (R$ 12), com peixe branco, cebola roxa e milho com de batata doce. Estou louco pra provar as papitas criollas (R$ 10), batatinhas típicas da Colômbia com vinagrete picante e pedacinhos torresmo, e o pisco sour (R$ 14). E ainda terá trilha sonora com muita salsa e cúmbia. Aí sim!

Suri Ceviche Bar – Rua Mateus Grou, 488, Pinheiros, tel. (11) 3034-1763, www.suri.com.br

Dicas de presentes de Natal pra fãs de gastronomia

chandonSem ideia do que levar na casa da sua tia na ceia de Natal? Surgiu um presentinho de última hora e você não sabe o que dar? Veja aqui algumas dicas que certamente agradarão quem gosta de comidas, bebidas e coisas boas da cozinha – e do bar.
Essa, por exemplo, é uma boa dica tanto pra dar de presente como pra chegar a uma festa arrasando. É nova versão limitada da Chandon Passion (R$ 62), com rótulo psicodélico e super colorido, criado pela empresa de design La Stampa. A bebida? Levemente adocicada, com toques de lichia, rosa, maracujá e pêssego. Ótima pra tomar com duas pedras de gelo (sim!), principalmente à beira da piscina. Natal tropical luxo! (www.chandonpassion.com.br)

panetone brazEsse é um dos meus favoritos, o panetone da pizzaria Bráz (R$ 59). E olha que nem sou fã de chocotone – prefiro mil vezes a receita tradicional, com frutas cristalizadas no recheio. Mas essa delícia da Bráz vem na medida, massa macia, recheada com gotas de chocolate e pedacinhos de laranja, com cobertura docinha de amêndoas. E não é por nada, mas a lata estilo retrô ainda é uma belezura. (www.brazpizzaria.com.br)

Dona DeÙla P„o de NatalA tia Célia e tia Edith vão amar esse pão de Natal  (R$ 34,90/ kg), lançado este ano pela Dona Deôla, feito a partir de fermentação natural e recheado de nozes. Quer ficar no panetone? A rede lançou novidades, com recheio de mousse de chocolate branco e duo de limao, em diferentes tamanhos (desde o mini) e preços de R$ 9,90 a R$ 44,90. (www.donadeola.com.br)

livro cevicheOlha que presente bacana pra quem gosta de gastronomia: o livro Ceviche: do Pacífico para o Mundo (R$ 64,90, Ed. Senac) acaba de ser lançado pelo chef Dagoberto Torres (do restaurante Suri) e sua mulher, a jornalista de gastronomia Patricia Moll. A dupla conta a história desse prato, presente na culinária Andina há quase dois séculos, e dá dicas de preparo, além de receitas e fotos lindas. E olha, tudo BEM fácil de fazer, viu? (www.editorasenacsp.com.br)

MartinsCafé_acid_velvet-1Café de presente de Natal? Esse vale a pena – e certamente vai impressionar os aficionados pela bebida. São os dois novos microlotes lançados pela Martins Café, com predominância de ácidos fosfórico e lático, característica rara nos cafés produzidos no Brasil. O Velvet Touch, como o nome diz, tem um toque ácido aveludado, com notas florais, frutas secas e mel. Ótimo pra começar o dia, aliás. Ja o Acid Lover surpreende pela acidez marcante, adocicada, e toques achocolatados. O combo com duas latas de 250 g sai por R$ 79,90 e só pode ser comprado no site – e a torra é feita depois da compra, pra garantir que chegue fresco. Ou seja, corra! (www.martinscafe.com)

fotoEsse foi outro panetone que provei e adorei: o do Fasano (R$ 75/ kg). A receita, dizem, foi trazida pelo próprio Vittorio Fasano em 1902, quando ele saiu de Milão e veio para il Brasile. A receita é tradicional, tem bastante fruta cristalizada, cobertura de amêndoas, massa elástica e saborosa, com aroma bem marcante. Cheirinho de Natal, mesmo. (www.fasano.com.br)

capa livroMais um livro gostoso pra quem curte uma cozinha:  Le Vin Bistro – Histórias & Receitas (R$ 53), escrito pela minha querida colega, a jornalista Elaine Guerini. Em 166 páginas, ela conta os origens do termo bistrô e dos pratos clássicos da culinária francesa, como cassoulet, coq au vin,  steak tartare e tarte tatin. Também narra a trajetória dos 13 anos do Grupo Le Vin e traz 43 receitas. As fotos são do Tadeu Brunelli e as ilustrações, do estúdio Oda. (www.levincom.br)

Dois chefs, menu bacana e preço camarada

Ceviche com maçã verde caramelizada  e espuma de nori, um dos pratos do menu especial de Dagoberto (esq.) e Flávio

Ceviche com maçã verde caramelizada e espuma de nori, um dos pratos do menu especial de Dagoberto Torres (esq.) e Flávio Miyamura

Fique atento a essa dica: amanhã e quinta (dias 30 e 31), o chef Dagoberto Torres, do Suri, recebe Flávio Miyamura, chef do ótimo Miya, para prepararem um menu-degustação a quatro mãos, apenas no jantar. O cardápio especial tem cinco etapas e custa R$ 70. Olha só o menu: sopita de pobre (camarão rosa, vôngole, macarrão cabelo de anjo e queijo); ceviche com maçã verde caramelizada, ovas tobiko e espuma de nori; músculo de peixe grelhado com caldo agridoce de peixe com molho de soja; huesitos de marrano (tradicional prato colombiano de braço de porco, com purê de abacate com chipotle e mandioca; e de sobremesa, creme aerado, aromatizado de chá verde brulèe. Aproveite, pois são dois ótimos chefs, receitas interessantes e preço camarada.

Suri Ceviche Bar – Rua Mateus Grou, 488, Pinheiros, tel. (11) 3034-1763, www.suri.com.br

Fechado Para Jantar: testado, aprovado e recomendado

Arroz de ají amarillo com abóboras e shitake

Arroz de ají amarillo com abóboras e shitake

Ontem participei de um Fechado Para Jantar, sobre o qual já havia falado aqui. E confirmei minhas suspeitas: é uma ótima experiência, com um preço que vale muito a pena. O evento, organizado pelo chef Raphael Despirite, do Marcel, é bem descontraído, parece mesmo uma festa com cerca de 70 convidados. Você mesmo pode se servir à vontade nas geladeiras Brastemp (daquelas vintage), onde há cervejas Murphy’s Irish Stout e Amstel Pulse. Também há vinho branco (Quinta da Herdade) e tinto  (Quinta da Romaneira 2007 Douro) – e pisco sour de entrada! Música ao vivo, exposição de fotos, e começam a vir os pratos. São seis etapas, preparadas a quatro mãos – nessa edição o chef convidado por o Fábio Barbosa, do peruano La Mar –  finalizando com um bolo delicioso.  O preço é R$ 170 e inclui tudo (até água e café). Hoje rola o último jantar, e já está lotado. As pessoas sentam em mesas coletivas e interagem – fiz até amizades ontem! Mas fiquem atentos, porque em abril haverá a terceira edição do Fechado Para Jantar (e você pode reservar lugar pelo site foodpass). Repito: vale muito a pena. Veja abaixo alguns momentos do jantar de ontem. Continuar lendo

Fechado Para Jantar reúne comida, música e fotos

fechadoOba! Hoje foram revelados loca, menu e data do próximo Fechado Para Jantar, que reúne comida, música e conversa em locais inusitados e só para quem comprou convite antecipado. O povo se reúne, conversa, troca histórias… É mais uma experiência do que um jantar formal. A iniciativa é do chef Raphael Despirite, do Marcel, que elabora o menu com convidados. O próximo FPJ será nos dias 27 e 28 de fevereiro e 1º de março, às 21h, no Centro Internacional de Teatro Ecum (Rua da Consolação, 1623). São apenas 38 vagas por dia. O convidado dessa vez é chef Fábio Barbosa, do La Mar. O menu terá forte sotaque peruano, desde cebiche clássico e tiradito de de salmão chifa até burger de pato, maionese de fumaça, chips de raízes, e arroz de ají amarillo com abóboras e shitake. A sobremesa será um “misterioso” Bolo Fechado para Jantar, por Andrea Schwarz. O preço é R$ 170 por pessoa e inclui os vinhos, cervejas especiais e pisco sour (Jesus, me dê a mão e chama um táxi!). Ah, haverá também uma exposição de fotografias por Três08Studio e música do Projeto 3, de Sérgio Carvalho.As reservas podem ser feitas no foodpass, mas corre que o preço está camarada e são poucas vagas!

Esses sanduíches são do Peru!

Meu preferid, o chicharrón buenazo: costelinha de porco, batata doce e cebola roxa

Meu preferido, o chicharrón buenazo: costelinha de porco, batata doce e cebola roxa

Comida de rua está na moda (ainda bem!). Inclusive do Peru – é essa a proposta do novo La Sanguchería, que abriu há uma semana: servir num restaurante algumas receitas que se comem nas ruas peruanas, com preços mais camaradas. Objetivo atingido: jantei ali ontem e saí muito satisfeito. Entradas saborosas, sanduíches gostosos e despretensiosos e sobremesas tentadoras e… baratas! Dos sanduíches, meu favorito foi o chicharrón buenazo (R$ 15), feito com costelinha de porco, batata doce e cebola roxa. Mas há outras sete opções. Vem comigo que eu conto. Continuar lendo

Polvo na brasa e lulas macias brilham no novo menu do La Mar

Pulpo al mar: polvo na brasa, quase crocante por fora e macio por dentro, com creme de batatas e molho chimichurri. Apaixonei por esse novo prato

Semana passada foi mesmo de comilança. Terça, jantei no La Mar e provei novos pratos que o chef Fabio Barbosa colocou no menu de um dos mais criativos restaurantes peruanos de São Paulo (sem contar o ambiente lindão, todo trabalhado no turquesa). São dez receitas novas, das quais provei metade. A melhor, de longe, é o pulpo la mar (R$ 57), ou seja, polvo na brasa em salsa de aji panca, creme de batatas e molho chimichurri. O polvo chega com a superfície firme, braseada e levemente picante, e o interior macio, combinado com o purê cremoso: pense numa pessoa feliz – era eu. Veja abaixo as outras novidades do chef Fabio Barbosa. Continuar lendo

Quando o Peru encontra o Pará

O colorido anticucho nikei, mais conhecido como espetinho de atum com purê de batata roxa, e molho de mel e gergelim. Colorido e gostoso, diga-se

Você já comeu cebiche quente? Olha, mesmo eu, um fã da iguaria andina, nunca havia provado essa versão, um dos 15 novos pratos que o chef Fábio Barbosa colocou no menu do La Mar na semana passada. Estive lá num almoço que durou – não estou brincando – três horas e meia (não me julgue, era uma mesa com dez pessoas!) e experimentei algumas das criações, frias e quentes. Vem comigo!

Continuar lendo