Começa amanhã o Brunch Weekend com menus de R$ 49

Uma das opções de brunch do Camden House (todas as fotos do Mario Rodrigues)

Uma das opções dos menus de brunch do Camden House (foto Mário Rodrigues)

Se liga nessa que é a dica é quentíssima: começa amanhã e vai até dia 29 de maio o primeiro Brunch Weekend em São Paulo. São 20 estabelecimentos da cidade que servirão uma sugestão de brunch a la carte por R$ 49 por pessoa, sempre aos fins de semana de maio. Todo menu incluindo uma taça de espumante Chandon ou um drinque feito com a bebida, como mimosa ou bellini. O menu da Camden House, por exemplo, tem várias opções, como ovos Royale (ovos pochés, salmão defumado, molho hollandaise) ou Full English Breakfast (linguiça suína caseira, cogumelos, tomate rôti, bacon, ovos fritos e pão da casa), ou French Toast (duas fatias grandes de brioches, acompanhadas de mel e compota de frutas vermelhas, na foto), entre outras. Todas acompanhadas de uma taça de Chandon Mimosa.

 

Táboa de charcutaria e outras delícias do Cateto (foto Mário Rodrigues)

Táboa de charcutaria e queijos, salmão e  outras delícias do brunch do Cateto: tudo por R$ 49 (foto Mário Rodrigues)

Outra boa pedida é o menu do Cateto: uma das opções é a Tábua de Charcutaria & Queijos, com copa curada e defumada, jamón serrano, queijo feta de cabra, queijo de vaca do Serro, nozes, damascos, mel, geleia de morango (acompanha cesto de pães de fermentação natural) + Salmão defumado & bagel (sour cream de dill) + Tapas (par): queijo de cabra com geleia de frutas vermelhas; + Aspargo Jamon & Backed egg; + Rustic Apple Pie (torta quebrada de maçã e blueberry). E, claro, Chandon Mimosa ou Chandon Tintoretto.

 

Befresh: opção pra quem gosta de brunch mais clássico (foro Mário Rodrigues)

Befresh: boa pedida pra quem gosta de brunch mais clássico (foro Mário Rodrigues)

Quer brunch com mais cara de brunch ainda? Aposte no menu do Befresh: Scones (pão inglês) + Panqueca com maple syrup ou com mel ou com calda de fruta + Ovo Benedict ou mexido com tomate (servido com pão de cereais) + Mingau BeFresh + Granola caseira BeFresh, com iogurte e salada de frutas + Pão de cereais tostado com salmão marinado e sour cream + Chandon Mimosa, Chandon Bellini ou taça de Chandon. Para saber todos as casas participantes do Brunch Weekend, bem como seus menus, endereços e horários de funcionamento, acesso a página do evento no Facebook. E bom apetite!

 

Vamos almoçar melhor? Comendo com sossego ao lado da Benedito Calixto

Salada Thai no Restrô: lulas, banana da terra e verdes

Salada Thai no Restrô: lulas, banana da terra e verdes

Nem só de muvuca e comida pesadona vive a Praça Benedito Calixto, em SP. Ali do ladinho, na rua Lisboa, o novo Restrô tem atraído um público a fim de um ambiente menos abarrotado e comidas mais leves e rápidas, como a salada Thai (R$ 34), que leva lula ao molho thai de coco e amendoim, banana da terra, folhas e tomate sweet grape. A casa só abre para o almoço, inclusive aos sábados, e tem boas opções de menu executivo, com entrada, prato principal e sobremesa. O cliente escolhe um prato (entre 10 opções) e, somando R$ 9 ao preço, pode escolher a entrada (5 opções) e uma das 5 sobremesas. No fim, o preço do almoço executivo varia entre R$ 38 e R$ 45, o que tem atraído clientes durante a semana, enchendo os 33 lugares do pequeno restaurante.

risoto

Vai ter risoto de caipirinha, sim!

Quando estive ali, na quarta-feira, provei um dos itens mais pedidos da casa, o risoto de caipirinha (R$ 30). Estranho? Na verdade, achei gostoso: risoto integral de limão siciliano, com parmesão, linguiça flambada em cachaça e cebolas caramelizadas. Criação do cozinheiro Jardel Turgante, que montou o menu e comanda a cozinha – onde aliás trabalham as cozinheiras Noely Guimarões e Patricia Pereira, formadas no Curso de Capacitação em Cozinha da Gastromotiva, instituição que oferece bolsas gratuitas para de baixa renda.

panna cott

Panna cotta de cumaru e calda de frutas amarelas.

O cardápio também tem outras saladas, como a de quinoa com frango grelhado (R$ 29,90), peixe, nhoque e até cheeseburger com guacamole e fritas (R$ 29). Não deixe, porém de provas as sobremesas, como esta panna cotta de cumaru com calda de frutas amarelas (R$ 13) ou a torta de ricota com goiabada (R$ 12) na foto abaixo. Ah, aos sábados o Restrô também serve sangria com petiscos (como pasteizinhos indianos, brusquetas e até bolovo), pra quem quiser dar um tempo da agitaçãoo da feirinha de artesanato na praça ao lado.

ricota

Sobremesa comfort: torts de ricota com calda de goiabada.

Restrô – Rua Lisboa, 579, Pinheiros.

Pequeno, simpático e gostoso

Nhoque de mandioca gratinado recheado com brie, veluté de vinho branco e parmesão

Nhoque de mandioca gratinado recheado com brie, veluté de vinho branco e parmesão.

Amigos e até conhecidos vira e mexe me pedem uma dica de lugares pra comer – e pra mim não é incômodo algum, claro. Eu adoro dar essas dicas! Mas às vezes até eu me pego sem muita ideia. Daí, sem querer, acabo lembrando de um restaurante bacana, que não vou há tempos, e volto pra ver como anda. Esse é o caso do Las Chicas, uma pequena garagem (36 lugares) na Oscar Freire (do lado de Pinheiros), das “chicas” chefs Carla Pernambuco e Carolina Brandão, atualmente mais à frente da casa. Fui lá há um mês confirmei: que lugar gostoso, aconchegante, com comida boa e serviço dedicado. E à noite, é um bom local para levar uma paquera ou alguém que já esteja rolando firme! Aliás, aproveite e peça um cosmopolitan de uva, pra já entrar no clima, e se jogue no menu, que tem itens já tradicionais e algumas novidades, como o nhoque de mandioca gratinado recheado com brie, veluté de vinho branco e parmesão (R$ 48). Pense na minha cara quando isso chegou à mesa….

 

coxinhasEsqueça a dieta e comece a noite com um belisco especial: as coxinhas cremosas de camarão, roquefort e massa de mandioca (R$ 31).

 

pastel 2Uma das coisas que mais adoro no Las Chicas é outro petisco, ótimo pra acompanhar los drinks: pasteizinhos de siri picante (R$ 29).

 

arroz fritoArroz frito oriental com confit de pato e nirá (R$ 49): novo prato de pegada asiática, aromático, com sabor marcante e bem servido.

 

pave de paçocaNa hora da sobremesa, não tenha vergonha: levante-se e vá até o balcão frio para escolher a sua. Eu sofri, confesso, pois eram muitas opções. Acabei acertando na loteria com esse cremosíssimo pavê de paçoca (R$ 14)

 

torta maçaAinda teve torta de maçã com sorvete de creme (R$ 14). E pode parando de me chamar de gordo: esse era do meu amigo (mas eu bem que dei várias colheradas, humpf!).

Las Chicas – Rua Oscar Freire, 1607, Pinheiros, tel. (11) 3063-0533, www.laschicas.net.br

A comida maravilhosa do médico mineiro que virou chef

Papada de porco braseada e assada com mil-folhas de mandioca, molho de laranja e guarnecido por uma folha seca de acelga: a perfeição do chef Leo Paixão

Papada de porco braseada e assada com mil-folhas de mandioca, molho de laranja e guarnecido por uma folha seca de acelga: mais uma perfeição do chef Leo Paixão

O mineiro Leonardo Paixão tem jeitão de médico. Aqueles doutores jovens, bem simpáticos e cuidadosos, que tratam bem dos pacientes, têm a maior paciência com detalhes e são meticulosos nas técnicas de tratamento, sabe? Na verdade, a história quase foi essa: Leo cursou Medicina e chegou a concluir a faculdade. Porém, na hora de fazer residência e escolher sua especialização, resolveu ir atrás de sua verdadeira paixão (ai, não resisti ao trocadilho, pardon) e foi à França estudar gastronomia. Se na época quase todo mundo achou isso uma loucura, hoje qualquer um que come no seu restaurante, o Glouton, pensa exatamente o contrário: que bom que esse moço virou chef.

O chef Leornardo Paixão em sua cozinha do Glouton

O chef Leornardo Paixão em sua cozinha do Glouton

Aberto há três anos no bairro de Lourdes, em Belo Horizonte, o Glouton já amealhou uma série de prêmios e vive cheio. Pudera: desse que você entra na casa de ambiente cinza muito elegante (porque simples) já dá de cara com a cozinha iluminada de um quase dourado no fundo do salão, onde Leo e sua equipe preparam os pedidos com um cuidado quase cirúrgico. Música (jazz e blues) no volume adequado, luz morna (mas que permite ler o menu sem precisar de uma lanterna), grandes janelas que dão para as mesas de fora e algumas fechadas para sempre na parede lateral de tijolos aparentes, serviço cortês e eficiente – tudo no Glouton promete um jantar memorável.

Nabo em fatias finíssimas, com queijo da canastra e castanhas. Praticamente uma renda comestível

Fatias finas de nabo com queijo da canastra e castanhas. Quase  uma renda comestível

E o principal elemento dessa equação – a comida – cumpre seu papel com perfeição. As receitas são bem variadas (tem ave, porco, boi e até pescados), sempre com no mínimo um ingrediente mineiro, um pedacinho da história do chefe. E todas (todas mesmo) que eu comi primavam pela combinação incrível de sabores.

As bombinhas de fígado: petisco surpreendente

As bombinhas de fígado: petisco surpreendente

O menu elaborado por Paixão não é longo, mas às vezes fica até difícil escolher o que comer diante de itens tão bem elencados. Por exemplo, como decidir um petisco entre as delicadas bombinhas recheadas com um cremoso patê de fígado de galinha e picles de maxixe (R$ 29, quatro unidades) ou o crocante funcho baby com uma surpreendente terrine de cabeça de porco e caramelo de beterraba?

lagostimNas entradas, a tarefa da decisão torna-se um pouco mais árdua. O lagostim em papillote crocante, com chutney de manga ubá e pimenta biquinho (R$ 33) é uma diversão para a boca, com as texturas e sabores brincando de pega-pega.

polvoUma opção mais clássica é o tentáculo de polvo (pré-cozido e depois grelhado, que o deixa ao mesmo tempo macio por dentro e firme por fora), com purê de batata doce e picles de cebola roxa (R$ 37).

arraiaJá entre os pratos principais, a coisa fica muito mais séria. Comecei provando a arraia grelhada, com pele crocante, coberta com uma bernaise de manteiga de garrafa (colocada na hora sobre o pescado com um sifão), acompanhada de uma refrescante salada de feijão fradinho, tudo sobre uma folha de taioba (R$ 61). Pensei que já tinha encontrado meu prato preferido, mas Leo me manda uma das receitas mais pedidas da casa, que abalou minhas certezas: papada de porco braseada e assada (sabe aquele história da carne se desfazer no garfo? então…), com mil-folhas de mandioca, tudo sobre um gostoso molho de laranja e guarnecido por uma folha seca e crocante de acelga (R$ 63). Quase uma peça arquitetônica para você comer e ser feliz (veja a foto que abre esse post).

rabadaJá sabe o que vai pedir? Então vou piorar o jogo pra você: quando eu jurava que não haveria mais nada pra me satisfazer ali, o chef Paixão arrematou com um prato que, quando li no cardápio, achei “legal”, mas quando provei senti quase uma epifania: um cubo com a rabada mais macia que já provei na vida, cercada com um molho de tucupi aveludado, com folhas de dente-de-leão. Tava tão bom que nem liguei muito pro entrecôte grelhado lindíssimo, que chegou na mesa ao lado, com molho Dijon e umas batatinhas assadas bem aromáticas. (mentira, reparei e deu água na boca, acredita? #obesiane).

pao pao pao paoSei que já dei esse conselho umas mil vezes aqui, mas agora é importante: guarde. espaço. pra. sobremesa. Por quê? Porque no Glouton comi uma das melhores sobremesas da vida: Pão, pão, pão, pão (pode lembrar de Beethoven que a referência é essa mesma, me disse o chef). O que parece uma explosão caótica de carboidratos é na verdade uma harmoniosa combinação de doces feitos a partir de pão. A ver: uma rabanada de brioche bem fofinha descansa sobre um laguinho de creme de pão de mel. Por cima, uma bola de sorvete artesanal de pão com manteiga (juro que é bom) e, completando a obra, uma fina fatia de pão torrado e caramelizado (R$ 23). Só não chorei porque fiquei com vergonha, mas deu vontade.

cerradoMuito carboidrato pro seu corpinho? Peça o Cerrado Mineiro: coulis de coquinho azedo, sorbet de cagaita e pé de buriti (R$ 23). Uma sobremesa refrescante, criativa e com muito sotaque mineiro.

VINHOFinalmente, preste atenção à carta de vinhos, com supreendentes (e bons) exemplos de rótulos produzidos no sul de Minas, como o espumante Luiz Porto brut e o syrah Primeira Estrada, safra de 2014 (numa degustação cega, esse vinho bateria facilmente em muito argentino ou chileno bem avaliado). Em resumo: se você for de Belo Horizonte ou viajar pra lá, eu sugiro fortemente que vá ao Glouton e entregue-se ao Paixão (ai, eu sei…)

E ainda bem que esse homem largou a Medicina, gente!

Glouton R. Bárbara Heliodora, 59, Lourdes, tel. (31) 3292-4237, www.glouton.com.br

 

 

 

Kombi serve almoço rápido na porta do Brasil a Gosto

Suculento sandubão de linguiça de castanha com vinagrete e maionese de limão no pão de mandioca

Suculento sandubão de linguiça de castanha com vinagrete e maionese de limão no pão de mandioca (R$ 20), opção das quartas-feiras do Brasil na Rua

O Brasil a Gosto foi parar na rua. Não, a chef Ana Luiza Trajano não foi despejada do endereço onde seu restaurante funciona há nove anos. E que até o dia 12 de novembro, a casa promove o Brasil na Rua, uma parceria com a Kombi Versão Brasileira, do chef Lawrence Andreis. Funciona assim: nos almoços de terça a quinta, das 12h às 15h, a Kombi servirá laches e quentinhas do lado de fora do restaurante, receitas inspiradas nas viagens e pesquisas da chef pelo país. O Brasil na Rua também funcionará aos domingos na Feira Gastronômica Panela na Rua, na Praça Benedito Calixto, até dia 15, das 12h às 18h.

O quebra-queixo mais cremoso que já comi. Parece cocada mole!

O quebra-queixo mais cremoso que já comi. Parece cocada mole!

O Brasil na Rua tem uma entrada (R$ 10), lanches (R$ 20), arrozes (R$ 20) e sobremesas (R$ 8). Há também a opção do combinado (R$ 35), que inclui a entrada, um lanche ou um prato e um quebra-queixo (aliás, o mais cremoso que já comi, parece mesmo uma cocada mole). A outra sobremesa é o sacolé (ou gelinho, ou dim dim), nos sabores cajá, groselha e coco queimado.

O povo da kombi em ação.

O povo da kombi em ação.

Eu adorei o sanduíche das quartas-feiras: linguiça de castanha com vinagrete e maionese de limão no pão de mandioca, sanduba grande, suculento e muito saboroso. Há também cachorro quente de moela com farofa de ovo no pão de leite com cacau (terças) e pernil desfiado com molho cítrico de repolho e maionese de ervas no pão de milho (quintas). Já os arrozes são arroz de carreteiro com linguiça Blumenau (terças), arroz de rabada (quartas) e o baião de dois com fraldinha desfiada (quintas). Há também versões vegetarianas, como o arroz cateto com creme de abóbora, couve e semente de abóbora torrada). Ah, a entrada é a clássica maionese de batata com legumes.

Brasil a GostoR. Professor Azevedo Amaral, 70, Jardim Paulistano, tel. (11) 3086-3565, www.brasilagosto.com.br

 

 

Festival de mexilhões da Patagônia vai até sábado no Deck484

Brochette de mexilhão a mexicana

Brochette de mexilhão a mexicana

Atenção, fãs de mexilhão! Vai até sábado, dia 30, o Festival de Mexilhões da Patagônia Mussel no Deck484. Para o evento, o chef Eraldo Machado preparou sete de tapas frias e quentes com os moluscos importados do Chile. Entre as frias, estão o mexilhões ao vinagrete e torrada banette (R$ 36), gaspacho de mexilhão (R$ 32) e o mexilhão em geleia, rúcula e champignons (R$ 38). Já entre os itens quentes, tem folhado de mexilhão com aspargos a l’ancienne (R$ 32), mexilhão empanado “kilpatrik” ao molho de alho (R$ 36), brochette de mexilhão a mexicana (R$ 34) e escondidinho de mexilhão com musseline de mandioquinha (R$ 36). Mas eu já disse: aproveite que só tem mais cinco dias pra terminar o festival!

Deck 484 Alameda Santos, 484, Paraíso, tel. (11) 3253-3553.

Sábado com sanduíche de pernil (e vinho!) na calçada

pernil2Paulistano adora pizza, pastel e hambúrguer, mas não vamos esquecer de outro clássico das comidas rápidas de São Paulo: o sanduíche de pernil. A iguaria já teve dias mais gloriosos e mantém firmes defensores, como o premiado sanduba do Estadão Lanches. Bem, esse ícone da gastronomia de buteco ganha uma nova versão no recém-inaugurado 011 Gastronomia. Aqui, o sanduíche de pernil, vem com a carne desfiada bem macia e temperada, folhas e geleia de bacon, no pão ciabata. Comi e gostei muito. O legal é que aos sábados ele é vendido na calçada em frente ao restaurante, em Pinheiros, por R$ 25. Se quiser acompanhar com uma taça de vinho branco ou rosé, o “combo” sai R$ 35, e aí vi mais vantagem ainda.

IMG_3067Aliás, jantei lá no 011 há um mês e fiquei bem surpreso com algumas entradas e pratos da casa. O local fica num despretensioso galpão com um imenso balcão, onde você pode comer de frente pra cozinha. Há também mesas ao fundo. Um dos pratos mais interessantes é o nhoque de tangerina com ragu de costela (R$ 42): o toque cítrico da fruta na massa acaba ressaltando o sabor da carne no molho.

bolovoE por falar em clássicos, o chef Gustavo Goussain cometeu outra ousadia: mexeu com o bolovo. Sua versão para a iguaria, bolovo à moda do chef (R$ 18), traz salmão, siri e ovo de gema mole. Inusitado, mas o resultado é bom, e a porção, generosa.

peixeDurante a semana, o restaurante tem almoço executivo por R$ 36, incluindo entrada, prato principal (como o peixe com purê de banana da terra e picles de cebola roxa) e sobremesa. Dica: às sextas, há uma ótima moqueca thai (na foto abaixo), servida em panela de barro, acompanhada por arroz com castanhas e uma farofa de milho, por R$ 45. Essa eu queria repetir.

camaraoOutra novidade interessante: alguns drinques elaborados pelo barman Fernando Lisboa, em parceria com Jean Ponce, vêm numa graciosa garrafinha, para você servir no copo com gelo. Como esse charmoso rusty nail. Salut!

drinque011 GastronomiaRua Artur de Azevedo, 613, Pinheiros, tel. (11) 3459-4282, www.011gastronomia.com.br

 

Mole que é gostoso!

bibimbapQuer coisa mais gostosa do que aquela gema de ovo molinha, escorrendo pelo pão e deixando um rastro amarelo-dourado pelo caminho? Bem, eu adoro e fico feliz que vários restaurantes de São Paulo estejam combinando a gema mole (e até crua) em receitas variadas. Vamos conhecer 6 melhores exemplos dessas maravilhas em SP?
1. A casa é japonesa, mas uma das estrelas do almoço é coreana: trata-se do ishiyaki bibimbap do Bueno (Al. Santos, 835, Jardins, tel. 11-2386-8035), que leva legumes variados (cenoura, abobrinha, broto de samambaia) e carne desfiada, com arroz e molho de pimenta. A receita chega à mesa em um bowl de pedra fervente, com o ovo cru, boiando lindo na pimenta vermelho-escura, cremosa e provocativa (você pode escolher o nível de picância; sugiro começar pelo médio). O próprio garçom mistura tudo pra você – o calor cozinha automaticamente o ovo. Pegue um pouco numa cumbuca e deixe o arroz ali no bowl, criando uma casquinha deliciosa. Ah, tem a versão vegetariana.

 

carbonara2. Muitos consideram o espaguete à carbonara do Tappo (Rua da Consolação, 2967, Jardins, tel. 11-3063-4864) o melhor de São Paulo. Sou um deles. A massa al dente chega à mesa fumegante, envolvida pela mistura perfeita e aveludada de ovos, queijo percorno e cubos de pancetta, com pimenta salpicada. Por cima de tudo, reina uma gema crua inteira, para você mesmo misturar à massa (ela cozinha no calor da pasta) e finalizar esse clássico.

 

pao de queijo3. Já nasceu clássico  o incrível pão de queijo recheado com pernil e ovo, da chef Talitha Barros, no seu delicioso (e despretensioso) Conceição Discos (R. Imaculada Conceição, 151, Santa Cecília, tel. 11-3477-4642). O item pode servir como entrada ou como lanche mesmo. O pão de queijo gordinho, com massa elástica, é bem recheado com o pernil suíno desfiado (de tempero marcante) – por cima de tudo, um ovo frito com a gema mole. Morda, deixe escorrer e morra de felicidade.

 

sushi ovas4. Parece uma pequena jóia, mas é uma das etapas do menu degustação de 12 sushis de um dos melhores japoneses da cidade, o Kan. Via de regra, o chef Keisuke Egashira capricha tanto no sabor quanto no visual de seus pratos – mas nesse ele se supera: no fundo de um pequeno bowl dourado e brilhante, repousa um sushi de ikura (ovas de salmão), sobre uma gema de ovo. Praticamente um bordado cuidadoso de sabores e texturas no pequeno balcão do Egashira.

 

arroz moela5. Taí uma receita de respeito: arroz de moela a cavalo, do restaurante Bravin (R. Mato Grosso, 154, Higienópolis, tel. 11-2659-2525). Moela? Sim, moela, macia deliciosa, intensa, misturada ao arroz cremoso, com molho de tomate e, por cima, o ovão frito com a gema molinha. Grande pedida para o almoço (inclusive no ótimo executivo do restaurante) e jantar, e só melhora se acompanhado de um vinho sugerido pela super sommelière (e dona da casa), Daniela Bravin.

 

shot ostra6. É um aperitivo? É uma sobremesa? É um dry martini extre dirty? Nada disso: é o Oister Shot, entrada pra lá de energética proposta pelo chef Tsuyoshi Murakami no Kinoshita (R. Jaques Félix, 405. V. Nova Conceição, tel. 11-3846-7327). A transparência da taça revela a delicada montagem elaborada por Mura: uma ostra banhando-se em molho ponzu (shoyu, saquê e limão), acompanhada de ovas de salmão, pequenas rodelas de quiabo e, arrematando a potente mistura, uma gema crua de ovo de codorna. Sim, o shot é poderoso. Um breve momento que deixa um rastro de vigor e sabor. Arigatô, chef.

Vamos almoçar melhor? Hoje, o Menu Meio-Dia do Clos

Screen Shot 2015-05-20 at 7.26.34 PMOlha só essa dica pra um almoço mais feliz em pleno dia de semana: o charmoso Clos acaba de lançar um novo menu executivo gostoso, bem executado e com preço justo. Trata-se do Menu Meio-Dia, de segunda a sexta, em que o chef Juca Duarte oferece diariamente duas opções de entrada, prato principal e sobremesa, por R$ 49 – e ainda inclui o couvert de pães com a deliciosa manteiga de amburana com castanha do pará. O cardápio muda a cada dia; na quarta, por exemplo, as opções de principal eram ossobuco com legumes ou peixe tailandês (na foto), uma tilápia extremamente macia, cozida em leite de coco e pimentões. Foi minha escolha e eu amei.

Screen Shot 2015-05-20 at 7.26.54 PMMinha entrada: creme de cogumelos com creme azedo, speck e amêndoas (a opção era salada grega, com queijo feta).

Screen Shot 2015-05-20 at 7.27.23 PMNas sombresas, uma detalhe: todo dia, uma das opções são os churros com doce de leite e chocolate cremoso. Ruim, né? Mas hoje também tinha torta de banana diet (foto abaixo), com amendoim em várias texturas (paçoca, em pó, picado) e chantilly de chocolate – tudo sem açúcar, segundo o chef. Comi ambas porque, né?

Screen Shot 2015-05-20 at 7.27.08 PMAmanhã, quinta, o cardápio será de kafta, coalhada e hommus ou brandade de peixe branco na entrada; curry de carne com arroz basmati ou espaguete ao vôngole no principal; churros ou delice de chocolate (ou fruta da estação) de sobremesa. Ah! Se nenhuma opção do Menu Meio-Dia agradar ao cliente, ele ainda pode pedir qualquer prato do menu à la carte e adicionar R$ 18 para ter direito à uma entrada e uma sobremesa. Bom, né?

Clos – Rua Domingos Fernandes, 548, Vila Nova Conceição, tel. (11) 3045-2220.Vamos

É caro comer no Eataly?

internaHoje finalmente abre em São Paulo a primeira filial brasileira do Eataly, complexo gastronômico que já tem outras 28 unidades pelo mundo. Os números impressionam: investimento de R$ 40 milhões, 4,5 mil m2 de área, 19 pontos de alimentação (sendo 8 restaurantes), cervejaria, sala de aula, 5 laboratórios e quase 8 mil produtos à venda, de carré de cordeiro a conserva de cebolinha italiana, de focaccia assada na hora a atemoia, de vinhos e cervejas a bules e livros de receita. É tanta coisa que hoje passei 4 horas lá dentro, saí meio aturdido e certamente não provei nem vi metade. Mas vi algo que até então não havia aparecido: os preços.

Tagliatelle com ragu de carne cozido por 8h: a massa é meio pesada, mas o ragu vale a bocada

Tagliatelle com ragu de carne (R$ 42), cozido por 8h: massa pesada, mas o ragu valeu.

Quer dizer, parte deles. Praticamente todos os produtos nas gôndolas e prateleiras trazem as plaquinhas com os preços. Já nos pontos de alimentação, ontem à noite os menus ainda eram um mistério. Havia degustações de pratos e porções para os convidados, mas nenhum funcionário sabia (ou podia) informar quanto custaria de verdade a partir de hoje, quando abre para o público. (UPDATE: agora já temos os menus todos aqui, com preços)

Pizza Verace TSG, com mozzarella de búfala: massa exemplar

Pizza Verace TSG, com mozzarella de búfala: massa exemplar

Ainda assim, consegui apurar que uma pizza (que dá folgadamente pra duas pessoas) custará entre R$ 25 e R$ 42, assim como as massas individuais (a mais cara custa R$ 46). Deu pra sentir que comer no Eataly não será barato, mas também está longe de ser caro. Já fazer compras é outra história.

massasO que vale a pena comprar no enorme mercado? Antes de tudo, massas. Há uma imensa variedade de massas secas italianas, de formatos insuspeitos, com preço médio de R$13. As massas frescas são muito boas e mais baratas do que muito supermercado da cidade.

 

pasta1Comprei um saboroso plin de carne e verdura (sim, provei ele cru mesmo e quase repeti…) por R$ 38 o quilo (ou R$ 3,80/100g).

focacciasOutra compra certeira ali são os pães e focaccias, feitos na padaria local. Provei um pão de figo matador e uma focaccia doce surpreendentemente fofa e aerada. Fiquei babando nas focaccias de linguiça e de abobrinha, mas, né? Já havia consumido carboidrato pro resto do mês de maio e deixei pra outra visita. Ah, ontem todas focaccias custavam R$ 21,90/kg, mas hoje deve haver variação de preço por sabor.

Produtos da tradicional Il Cioccolato Venchi, de 1878. O quilo dos bombons vai de R$ 29 a R$ 39.

Produtos da tradicional Il Cioccolato Venchi, de 1878. O quilo dos bombons vai de R$ 29 a R$ 39.

pimentasOutros itens, em contrapartida, ameaçam mais sua carteira. A peixaria exibe vistosos frutos do mar, mas a plaquinha desencoraja: polvo por R$ 82/kg, lulas por R$ 56/kg e assim por diante. A área de horti frutis é exuberante: legumes, verduras e frutas que parecem artificiais de tão bonitos, numa variedade impressionante, como a já citada atemoia (uma “prima” da fruta do conde, tão docinha que quase desisti de tomar um gelato de chocolate Venchi; ok, mentira minha). Tem até cerejas frescas em maio, gordinhas e suculentas! (Sim, custam R$ 99/kg, mas, ei, estamos looonge da época de cerejas, né?).

Área de queijos e embutidos, onde eu quase aluguei um quartinho

Área de queijos e embutidos, onde eu quase aluguei um quartinho

carneA vitrine do açougue também é caprichada, com preços que podem variar de R$ 29,90/kg do lombo suíno a R$ 99/kg o carré de cordeiro. Pra um jantar especial vale o investimento. Pro dia a dia, nem pensar. Apenas fuja de alguns exageros, como um pote de chips de mandioquinha por R$ 22, ou 250 g de castanha de caju por R$ 40,40. Gaste com queijos (a burrata cremosa é de morrer devagarinho) ou no setor de frios e salumeria – onde, aliás, eu poderia alugar um quartinho e morar.

Alô, fãs de Nutella: aqui tem um balcao exclusivo, que serve brioches, crepes e outras guloseimas com essa iguaria

Alô, fãs de Nutella: aqui tem um balcao exclusivo, que serve brioches, crepes e outras guloseimas com essa iguaria

fachadaÉ muito diferente do Eataly de Nova York, onde 11 em cada 10 brasileiros batem ponto quando viajam, inclusive eu? Sim e não. A versão paulistana é mais verticalizada e blocada, mais “shopping center”, do que aquela série de “puxadinhos” colados (e charmosíssimos) que formam o Eataly de NY. Os americanos também tem maior variedade de alguns itens, como queijos, indiscutivelmente. Mas o preço está próximo, ainda mais depois da alta do dólar – em setembro, comprei um vidro de creme de pistache em NY por US$ 12 (na época dava uns R$ 25, com o dólar a R$ 2,40). Ontem vi o mesmo produto no nosso Eataly por R$ 40; ou seja, com preço equivalente.

queijosVocê deve ir ao Eataly? Mas é claro que sim. E várias vezes, com tempo pra passear por toda aquela maravilha de produtos e comidas, com muita curiosidade, com fome e com dinheiro. E, pela muvuca que se formou ontem apenas com convidados, vá munido também de muita paciência, pois hoje aquilo vai entupir.

Eataly Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 1.489, Vila Nova Conceição, tel. (11) 3279-3300. Horários: a loja funciona de segunda a segunda, das 8h às 23h; os restaurantes abrem de segunda a quinta, das 11h30 às 15h e das 18h30 às 23h; sextas das 11h30 às 15h e das 18h30 às 24h; sábados das 12h às 24h, domingos e feriados, das 12h às 23h.