Receita fácil de bolo de chocolate com Jack Daniel’s

 

IMG_1195Eu gosto de bolos de chocolate, mas estão longe de ser meus preferidos. Em geral, gosto de sobremesas que levam cremes, frutas e castanhas. Chocolate gosto mesmo em barra. Mas quando vi a receita desse bolo de chocolate com whiskey, fiquei bem curioso com o resultado (olha aí o encosto de Heleninha Roitmann batendo forte aqui). Pesquisando mais, descobri que você pode usar whiskey americano (como o Jack Daniel’s), bourbon (como Jim Beam) e até irish whiskey (como Jameson). De resto, é uma das receitas mais simples que já fiz – nem precisei usar a batedeira, foi tudo na mão (com um bom fouet). Vamos lá?

Bolo de chocolate com Jack Daniel’s

Ingredientes:
1 xícara de cacau sem açúcar (NÃO é chocolate em pó, é cacau mesmo!), mais 3 colheres de sopa para a forma
1 ½ xícara de café (coado ou expresso) sem açúcar
½ xícara de Jack Daniel’s
225 g de manteiga sem sal em cubos (pouco mais que um pacote)
2 xícaras de açúcar refinado
2 xícaras de farinha peneirada
1 ½ colher de chá de bicarbonato de sódio
½ de colher de chá de sal
¼ de colher de chá de cravo moído (opcional)
¼ de colher de chá de pimenta preta moída na hora (opcional)
2 ovos grandes na temperatura ambiente
2 colheres de chá de essência de baunilha

bolo horizontalModo de fazer:
Pré-aqueça o forno a 200ºC. Unte bem forma com manteiga e polvilhe dentro dela 3 colheres de cacau em pó, batendo para tirar o excesso.
Numa panelinha, aqueça a manteiga, o café, o cacau e o whiskey em fogo médio. Mexa até derreter toda a manteiga, tire do fogo, coloque numa tigela e misture o açúcar até ficar homogêneo. Deixe dar uma esfriada por 5 minutos.
Num recipiente à parte, misture os ingredientes secos: farinha, bicarbonato, sal, cravo e pimenta.
Numa tigelinha à parte, bata com um fouet os ovos e a baunilha. Adicione à mistura de manteiga, cacau e whiskey, batendo à mão.
Vá adicionando a farinha e batendo devagar, para incorporar bem os secos e deixar a mistura bem homogênea. A massa fica bem escura, meio fina e cheia de bolhas (mas não pode ter pelotas de farinha, ok?)
Coloque na forma, dê duas batidinhas na pia (pra tirar bolhas de dentro) e leve ao forno. O bolo deve assar entre 40 e 50 minutos. Como é muito escuro, não dá pra saber se está bom só de olhar – você terá de fazer o teste do palito pra saber se ficou pronto (quando o palito sair seco).
Bolo assou? Tire do forno e deixe esfriar. Em geral cubro com um pano de prato seco por uns 15 minutos, pra não pegar um golpe de ar e murchar, depois descubro e deixo esfriando normalmente.
Depois de um hora, desenforme e está pronto. Você pode servi-lo sem nada (comi quentinho e estava boooom…), ou pode polvilhar açúcar de confeiteiro por cima ou ainda servir com chantilly batido na hora. Como não é um bolo muito doce e tem sabor marcante (whiskey, café), você pode fazer uma calda de chocolate e despejar por cima (testei e ficou uma delícia também).

 

Receita vapt-vupt de bolo de cranberry com laranja

boloMeu irmão é sócio do Sam’s Club. Outro dia me levou lá com ele e obviamente comprei um monte de coisa – alguns itens têm preços tentadores demais. Um deles foi um pacote de 1 kg de cranberry desidratado, que saiu por R$ 29. Adoro misturar na granola ou no iogurte, e além e gostoso faz bem aos rins (coisa de véia, né? Mas é verdade!). Mas… é muito cranberry, então fui atrás de receitas com a fruta e me deparei com esse bolo de cranberry com laranja. A única “dificuldade” era o sour cream (creme azedo), que não se encontra facilmente. Daí fiz a receita caseira do sour cream (1 xícara de creme de leite fresco + 1 limão espremido; bata bem com um fouet até ficar consistente) e resolvido o problema. Outra coisa: preparei uma calda de cranberry pra acompanhar, porque o bolo em si vai pouco açúcar e achei que pedia um toque a mais – e realmente ficou melhor. Mãos à obra?

 

formaBolo de cranberry com laranja e calda de cranberry

Ingredientes:
(para o bolo)

1 xícara de cranberry desidratado
½ xícara de suco de laranja natural
1 colher cheia de raspas de laranja
2 ovos grandes
1 ½ xícara de farinha de trigo
1 colher de sopa de açúcar
1 colher de chá bem cheia de fermento
½ colher de bicarbonato de sódio
¼ colher de chá de cravo em pó
¼ colher de chá de sal
½ colher de chá de essência de baunilha (coloquei quase uma!)
½ xícara de creme azedo (veja texto acima)
½ xícara de manteiga sem sal

(para a calda)
2 ½ xícaras de suco de cranberry
1 ½ xícaras de cranberry desidratado
2 colheres de sopa de amido de milho (maisena)
1 ½ colher de sopa de açúcar (podem ser 2, se quiser uma calda mais doce)

Modo de fazer:
(o bolo)

Pré-aqueça o forno a 200ºC. Unte uma forma média redonda ou uma quadrada de uns 20×20 e polvilhe com farinha. A receita não é para bolo grande e a massa é meio pesada, então não coloque em forma muito grande senão fica baixo.
Misture os secos (farinha, cravo moído, fermento, sal e bicarbonato) numa tigela e reserve. Em outra, misture delicadamente os ovos, o suco de laranja, a baunilha e o creme azedo.
Numa batedeira, bata o açúcar com a manteiga por 3 minutos até obter uma mistura uniforme. Adicione as raspas de laranja e a mistura dos ovos, aos poucos. Pare de bater, raspe as laterais da tigela com uma espátula e volta a bater, para ficar bem misturado.
Adicione a mistura de farinha aos poucos, tipo ½ xícara por vez, batendo bem, e continue a raspar as laterais quando preciso.
Depois de colocar toda a farinha, bata em velocidade média por mais 30 segundos e tire da batedeira. Adicione o cranberry e misture com uma espátula. Coloque na forma e leve ao forno. Deixe assando por 35 a 40 min. Faça o teste do palito: se sair sequinho, o bolo está pronto.

calda(a calda)
Coloque numa panela duas xícaras de suco de cranberry, o açúcar e as frutas desidratadas. Deixe em fogo alto até ferver. Daí baixe o fogo e deixe cozinhando por mais uns 5 a 10 minutos, até os cranberrys incharem e o líquido reduzir um pouco.
Numa tigelinha à parte, dissolva a maisena em ½ xícara de suco de cranberry. Adicione a mistura na calda da panela e deixe cozinhar por mais uns 5 minutos, para engrossar. Prove o açúcar, tire do fogo e coloque em um recipiente de vidro. Depois que esfriar, pode servir. Aliás, pode usá-la também para cobrir um cheesecake, por exemplo. #ficadica

Dica do Ferraro para servir o bolo:
Corte uma fatia, sirva com uma generosa porção de chantilly e uma boa colherada de calda de cranberry.
corte

Quem quer provar a salsicha do Mohamad?

IMG_2079 (1)Calma, pessoal! É que o jovem cozinheiro, ex-competidor do programa Masterchef, é um dos três participantes de uma ação muito legal na Hot D.O.C., casa especializada em cachorros-quentes de Pinheiros. A partir de sábado, dia 2, a lanchonete lança três hot dogs criados por Mohamad, Mari Moon, ex-VJ da MTV, e Luanda Gazoni, apresentadora do Torrada Torrada. Todo o lucro desses três lanches, vendidos até 30 de abril, será revertido para a Gastromotiva, organização social que há 10 anos capacita pessoas de baixa renda ingressarem no mercado gastronômico.

O lançamento rola amanhã, a partir das 14h, com a presença dos criadores dos dogs. Cada lanche custa R$ 18 e entre as receitas criadas para o projeto está o hot dog de salsicha de cordeiro com coalhada seca, picles de cebola roxa e salsinha. Para os vegetarianos, há hot dog de cenoura com mostarda Dijon, cebola caramelizada e relish de pepino. Também serão vendidos lanches da casa e acompanhamentos, como corn dog (R$ 9), batatas rústicas, batatas chips e onion rings (R$ 15)

Serviço HOT D.O.C. – Rua dos Pinheiros, 248B, Pinheiros, tel. (11) 3571-6491, www.hotdoc.com.br

 

 

 

Nova casa serve super café da manhã o dia todo

Rabanada de brioche com calda de laranja e Grand Marnier: provavelmente a melhor que já comi - e por R$ 8

Rabanada de brioche com calda de laranja: provavelmente a melhor que já comi – e por R$ 8

Eu adoro café da manhã. Ok, ultimamente, essa refeição tem se reduzido a um copão de suco verde (querem a receita?), uma crepioca e uma fatia de queijo branco. Mas quando a gente está com tempo, quer coisa mais gostosa do que aquele café da manhã farto, com ovos, pão, croissant, doces, geleias e até um coquetelzinho de espumante? A boa nova é que acaba de abrir um lugarzinho muito fofo que serve essas delícias e não esfola seu bolso. É o Sweet Café, no Jardim Paulista, comandado pelo chef confeiteiro Arnor Porto. Baiano de Ibicaraí, Porto começou como auxiliar de confeitaria na cozinha do hotel Copacabana Palace; anos depois assumiu a confeitaria do hotel Emiliano, em SP, e hoje tem a empresa Sweethings, que fornece doces para restaurantes e ministra cursos, em sociedade com a empresária Ana Gabriela Borges.

Ovo do chef, com queijo de cabra (R$ 16): uma nuvem de macio

Ovo do chef, com queijo de cabra (R$ 16): uma nuvem de macio

Na charmosa casa, Arnor e sua equipe servem café da manhã (a la carte e também combos) e pratos para almoço. Mas atenção a essa notícia: servem café da manhã… o dia inteiro! Se você cismar de comer omelete, suco de laranja e rabanada às 4 da tarde, tudo bem! Aliás, falando em rabanada (R$ 8), essa certamente foi uma das melhores que já comi na vida: a french toast de Arnor é um quadrado alto de brioche, embebido em creme de leite, licor Amaretto, ovos e açúcar, e apenas selado com manteiga numa frigideira bem quente. Ah, e chega à mesa com uma calda de laranja e Grand Marnier. Podia almoçar isso.

Omelete de queijo com bacon crocante (R$ 17)

Omelete de queijo com bacon crocante (R$ 17)

Aliás, comece mesmo pelos ovos. O mais leve é o ovo do chef com queijo de cabra (R$ 16), mas também tive ótimo momentos com a omelete de queijo com bacon (R$ 17), praticamente um pacote gordinho e fofo de ovos, com interior cremoso e úmido. Acompanha pão, mas fiz questão de provar o croissant (R$ 9) da casa e me dei bem: é daqueles beeem crocantes, que fazem até barulhinho quando você dá uma mordida. Dá pra comer sem nada, mas meti manteiga e geleia artesanal da casa, porque eu não fui ali pra brincadeiras.

Croque monsieur com toque cítrico do molho de laranja (R$ 16)

Croque monsieur com toque cítrico do molho de laranja (R$ 16)

Há também opções para almoçar, como quiche com salada (R$ 25), tapioca caprese com salada verde (R$ 20), o prato do dia (R$ 35) e até menu executivo (R$ 48), que inclui uma das maravilhosas sobremesas. Mas o item que me chamou atenção é o croque monsieur (R$ 16), que vem com uma saladinha e redução de molho de laranja (se pedir o croque madame, com ovo, custa R$ 18).

Eclair de baunilha com chocolate branco, framboesa e caramelo (R$ 8)

Eclair de baunilha com chocolate branco, framboesa e caramelo (R$ 8)

Nos combos de café da manhã, tem o relax (R$ 30), com frutas fatiadas, croque monsieur ou madame e suco; o enjoy (R$ 50), com tudo acima mais ovo do chef ou omelete e rabanada ou panqueca (ou tapioca de goiaba); e o carp diem (R$ 110), com tudo acima mais muffin, iogurte, granola, croissant, mel, sobremesa surpresa e um drinque (pode ser mimosa, bellini, aperol spritz, blood mary etc.). Este é para fortes e famintos, ou para duas pessoas dividirem tudo.

Detalhe do charmoso café. Ah, também tem mesinhas fora

Detalhe do charmoso café. Ah, também tem mesinhas do lado de fora.

Ah, não deixe de dar uma boa olhada na vitrine de doces (que vão de R$ 8 a R$ 11), com as deliciosas éclairs, cheesecakes e a incrível torta de pera. E também tem opções de vinhos e espumantes. Mas atenção pros horários: o Sweet Café abre de terça a domingo, das 8h às 18h. Agora vá lá, se jogue e seja feliz comendo rabanada!

Swet Café – Rua Cristiano Viana, 72, Jardim Paulistano, tel. (11) 2925-2655, www.sweethings.net.br

 

Bolo-pavê pra arrasar na festa de Réveillon

Nigella_natal02Ok, esse é um doce originalmente de natal. A Nigella Lawson o chama de Italian Christmas Pudding Cake (bolo italiano de pudim de natal, numa tradução tosca). No fundo, é um bolo-pavê de panetone e mascarpone, com pistache e chocolate. Fiz uma adaptação e ficou absolutamente delicioso (o povo que disse!). E você não precisa fazer apenas no natal. Essa pode ser a sua sobremesa arrasadora de ano-novo, por exemplo – aliás, vai até romã na cobertura, veja só que timing! É razoavelmente simples, não vai no forno nem no fogo, e tem de ser feito um dia antes de consumir. Um porém: é caro. São 500g de mascarpone, o que já é uma paulada de uns R$ 50. Pode trocar por cream cheese? Pode, claro. Não sei se fica tão cremoso, mas tá valendo. Mãos à obra!

nigella_natal01Italian Christmas Pudding Cake ou… Bolo-pavê!

Ingredientes
750g de panetone (o original, com frutas secas, ou o pandoro, sem recheio)
2 ovos grandes (na temperatura ambiente)
750g de açúcar
500g de mascarpone (ou cream cheese, na temperatura ambiente)
250g de nata (ou creme de leite, também na temperatura abiente)
6 colheres de sopa de licor de tuaca (usei licor 43, pode ser também Grand Marnier ou Cointreau)
25ml de vinho marsala (usei vinho do Porto, mas pode ser um Jerez também)
125g de chips de chocolate meio amargo (usei 50%) picados levemente
100g de pistache sem casca e sem sal, também picados levemente.
2 ou 3 colheres de sopa de semente de romã
Modo de fazer:
Com uma faca serrilhada, fatie o panetone discos redondos de 1 cm de altura (eu tirei a camada da base, que sempre vem meio queimadinha). Dá uns 5 ou 6 discos.
Forre uma forma redonda de fundo removível, de 23 cm, com uma parte das fatias de panetone. Sim, vc terá de cortar os discos para encaixar direitinho e fazer uma camada sem buracos. Sobre essa camada, despeje duas colheres do licor (ou um pouco mais), pra deixa-la úmida. Vai parecer um patchwork dourado.
Vamos preparar o creme. Bata os ovos e o açúcar até virar uma mistura quase espumante, de amarelo mais claro. Daí incorpore a essa mistura a nata, usando um fouet e batendo sem exagero. Aos poucos, bata junto o mascarpone. Depois incorpore o vinho, misture delicadamente e separe 250ml desse creme para a cobertura (guarde na geladeira, coberto com um filme plástico).
No creme que ficou, junte os 100 g chips de chocolate e 75 g do pistache (guarde o resto para a cobertura) e misture com cuidado, até ficar homogêneo. Espalhe metade desse creme sobre a primeira camada de panetone molhado com licor que está no fundo da forma.
Daí coloque por cima outra camada de fatias de panetone (sem deixar buracos!) e molhe com 2 ou 3 colheres de sopa de licor. Espalhe a outra metade do creme e novamente cubra com a camada final de panetone, molhe com 2 ou 3 colheres de sopa de licor licor e pronto: você chegou ao topo da forma.
Passe um filme plástico por cima, vedando bem, e leve ao refrigerador por no mínimo 12 horas até 2 dias.
Na hora de servir, o creme já terá pegado consistência e o doce estará firme. Retire o aro da forma, mantenha o bolo sobre a base removível (se tentar tirar de lá, os pedaços de panetone ao fundo podem se desmontar) e coloque sobre um prato de bolo ou alguma outra louça onde você servirá o doce.
Finalizando: tire da geladeira o creme que você reservou e espalhe sobre a superfície do doce (cobrindo inclusive as irregularidades das fatias de panetone). Aí decore com os chips de chocolate, pistaches e sementes de romã, criando um padrão lindo de pontos marrons, verdes e vermelhos sobre o creme claro. Se não for servir imediatamente, deixe o doce na geladeira até o momento de comer. E feliz 2016!

Receita de Pizza de Panetone: será que fica bom?

unnamedEu sei, é um pouco depressivo pensar nisso, mas o Natal está aí. Vários estabelecimentos já estão exibindo decoração natalina e os mercados já vendem panetone, então aceita que dói menos. O que eu não esperava era essa receita bastante inusitada: pizza de penetone. O item foi desenvolvido pelo chef Ronaldo Ayres, criador do CTP- Centro Tecnológico de Desenvolvimento de Pizzas e Massas no Brasil. Será que fica bom? Não sei, mas quem quiser tentar, taí a receita. Ah, a massa de panetone você pode comprar em confeitarias especializadas. E boa sorte na experiência!

Pizza de Panetone
(rende 5 massas de pizza)

Ingredientes
Massa:
1 kg de farinha de trigo
300 g massa de panetone
5 g de fermento biológico seco
50 g açúcar
50 ml de óleo de girassol
690 ml de água gelada

Cobertura de cada pizza:
300 g creme de confeiteiro
1/2 litro de leite
150 g frutas cristalizadas
150 g uvas passas
Cerejas, pêssego e frutas em calda

Modo de preparo:
Em uma batedeira, misture a farinha de trigo com a massa de panetone e o fermento por 1 minuto. Acrescente água gelada e o óleo de girassol e bata por mais 10 minutos. Separe a massa em bolinhas de 350 gramas e coloque em vasilhas untadas com óleo, tampe e deixe descansar por, no mínimo, 30 minutos.
Abra as bolinhas em discos de 35 cm. Pré-asse a massa por aproximadamente 4 minutos em 280°C no forno convencional. Reserve.
Leve ao fogo o leite e o creme de confeiteiro e mexa até engrossar. Acrescente as frutas e cubra a massa com o creme. Leve novamente ao forno por 2 minutos a 280ºC. Decore com frutas em calda.

CTP- Centro Tecnológico de Desenvolvimento de Pizzas e Massas no Brasil – Rua Jaboatão, 127, Casa Verde, tel. (11) 3951-1000

Kombi serve almoço rápido na porta do Brasil a Gosto

Suculento sandubão de linguiça de castanha com vinagrete e maionese de limão no pão de mandioca

Suculento sandubão de linguiça de castanha com vinagrete e maionese de limão no pão de mandioca (R$ 20), opção das quartas-feiras do Brasil na Rua

O Brasil a Gosto foi parar na rua. Não, a chef Ana Luiza Trajano não foi despejada do endereço onde seu restaurante funciona há nove anos. E que até o dia 12 de novembro, a casa promove o Brasil na Rua, uma parceria com a Kombi Versão Brasileira, do chef Lawrence Andreis. Funciona assim: nos almoços de terça a quinta, das 12h às 15h, a Kombi servirá laches e quentinhas do lado de fora do restaurante, receitas inspiradas nas viagens e pesquisas da chef pelo país. O Brasil na Rua também funcionará aos domingos na Feira Gastronômica Panela na Rua, na Praça Benedito Calixto, até dia 15, das 12h às 18h.

O quebra-queixo mais cremoso que já comi. Parece cocada mole!

O quebra-queixo mais cremoso que já comi. Parece cocada mole!

O Brasil na Rua tem uma entrada (R$ 10), lanches (R$ 20), arrozes (R$ 20) e sobremesas (R$ 8). Há também a opção do combinado (R$ 35), que inclui a entrada, um lanche ou um prato e um quebra-queixo (aliás, o mais cremoso que já comi, parece mesmo uma cocada mole). A outra sobremesa é o sacolé (ou gelinho, ou dim dim), nos sabores cajá, groselha e coco queimado.

O povo da kombi em ação.

O povo da kombi em ação.

Eu adorei o sanduíche das quartas-feiras: linguiça de castanha com vinagrete e maionese de limão no pão de mandioca, sanduba grande, suculento e muito saboroso. Há também cachorro quente de moela com farofa de ovo no pão de leite com cacau (terças) e pernil desfiado com molho cítrico de repolho e maionese de ervas no pão de milho (quintas). Já os arrozes são arroz de carreteiro com linguiça Blumenau (terças), arroz de rabada (quartas) e o baião de dois com fraldinha desfiada (quintas). Há também versões vegetarianas, como o arroz cateto com creme de abóbora, couve e semente de abóbora torrada). Ah, a entrada é a clássica maionese de batata com legumes.

Brasil a GostoR. Professor Azevedo Amaral, 70, Jardim Paulistano, tel. (11) 3086-3565, www.brasilagosto.com.br

 

 

Pro Dia das Mães: receita passo a passo de bolo de matchá com chantilly e frutas

bolo todoDia das Mães não pode passar em branco. O meu, por exemplo, vai ser meio verde. Não, minha mãe não é palmeirense (ok, eu já fui, mas hoje ligo mais pro ponto da massa do que pra marca do pênalti). Explico o “verde”: além de um belo almoço num restaurante especial, vou fazer pra mamma esse lindo bolo de matchá com chantilly e frutas, que aprendi numa aula de culinária japonesa com a chef Telma Shimizu Shiraishi, do Aizomê. A aula foi na minha escolha do coração, o Na Cozinha, do chef Carlos Ribeiro, acabamos botando a mão na massa com a grande chef e o resultado foi essa maravilha. Parece difícil, mas é um bolo simples de fazer (basicamente um pão de lá com um toque de chá verde), só um pouco mais trabalhoso para decorar. Mas tenho certeza que sua mãe merece, então mãos à obra!

 

A chef Telma Shiraishi dando seu doce recado

A chef Telma Shiraishi dando seu doce recado

Bolo de matchá com chantilly e frutas, da chef Telma Shiraishi
(Rendimento: de 8 a 10 porções)

Ingredientes:
4 gemas
4 claras
2 xícaras de farinha de trigo
2 xícaras de açúcar
1 colher de sopa de fermento em pó
1 pitada de sal
1 xícara de chá de água fervente (200 ml)
1 colher de sopa de pó de matchá
500 ml de creme de leite fresco
4 colheres de sopa de açúcar
1 colher de sopa de conhaque
1 colher de chá de extrato de baunilha
Seleção de frutas: morangos, kiwis, pêssegos em calda, blueberries (ou a gosto)

 

Modo de fazer:
Bata as claras em neve com uma pitada de sal e reserve. Bata as gemas com a xícara de água fervente até espumar bem (esse é um bom truque para obter uma massa fofinha). Vá acrescentando o açúcar aos poucos, sem deixar de bater. Acrescente a farinha aos poucos e continue a bater até ficar uma mistura homogênea. Retire da batedeira.
Dissolva o matchá em um pouco de água quente, até ficar uma pasta molinha (passe numa peneirinha pra tirar caroços). Misture delicadamente na massa, que logo ganhará uma coloração esverdeada, linda.
massaAcrescente o fermento em pó e as claras em neve, misturando delicadamente com a espátula, sempre debaixo pra cima – nao coloque toda a clara de uma vez, faça isso em duas etapas. Despeje em assadeira redonda, forrada com papel manteiga, e leve para assar em forno pré-aquecido a 180ºC. Prefira uma daquelas assadeiras com fundo removível, mais fácil pra desenformar.
Enquanto o bolo assa, misture o creme de leite, o açúcar, o conhaque e a baunilha e bata até o ponto de chantilly firme. Quando o bolo começar a cheirar, ele já está pronto ou quase (de 30 a 40 minutos). Fique de olho pra não queimar, faça o este do palito seco, retire do forno e deixe esfriar.

 

topoLimpe as frutas. Separe uma parte menor (cerca de um terço do total de frutas) e fatie bem fininho os morangos, kiwis e pêssegos. Esses quase”sashimis” de frutas vão na parte de cima do bolo, decorando o doce, como a foto ao lado.  Pique em bubinhos os outros dois terços de frutas variadas, misturando um pouco da calda do pêssego e um toquinho de conhaque (você também pode usar rum ou cachaça, mas lembre-se de não exagerar!)
Depois de desenformado, corte o bolo para que fique com três camadas (ok, pode ser só duas, mas com três fica mais bonito!).

 

Na camada de baixo, cubra com as frutas picadas, uma camada bem espalhada de chantilly e cubra com outra camada de bolo (veja abaixo). Faça o mesmo e cubra com a camada-tampa do bolo.

coberturaNa hora de “tampar” o bolo, será o contrário: primeiro uma generosa camada de chantilly, que servirá de base “colante” para as fatias de frutas que você reservou pra decorar o bolo. Complete com os blueberries, se quiser algumas folhas de hortelã, e leve à geladeira até a hora de servir. E feliz Dia das Mães!

Duas bolas sobre duas rodas

Bicicleta_F&M_03Se você não vai até o sorvete, o sorvete vai até você. A sorveteria Frida & Mina, de Pinheiros, lançou uma serviço itinerante: três vezes por semana, uma bicicleta visita alguns lugares da cidade para vender sorvetes no potinho, com uma “lasca” de casquinha. Achei fofo, achei meio hipster, achei prático. A bike gelada leva sempre quatro sabores, que variam – mas um deles é o de crocante de macadâmia, pois é o mais pedido. O preço é o mesmo da loja: 1 bola R$ 8; 2 bolas R$ 12; 3 bolas R$ 16. Abaixo segue a agenda de abril da bike do F&M:
Quartas (dias 8, 15, 22 e 29): loja da A Bela do dia (Rua Mourato Coelho, 1003), das 12h30 às 18h.
Quintas (dias 16, 23 e 30): bar e restaurante Pitico (Rua Guacui, 61 perto do Largo da Batata), das 12h30 às 18h.
Sextas (dias 10, 17 e 24 e 1º de maio): Cine Caixa Belas Artes, (Rua da Consolação, 2423), das 14h00 às 20h.

Esses são meus 5 pudins de leite preferidos de SP. Qual é o seu?

rivieraUma das sobremesas mais tradicionais do Brasil, o pudim de leite é um doce democrático. Tem pra todo mundo – com furinho, sem furinho, mais firme, mais cremoso, calda espessa, calda rala… Aqui vão meus 5 top em São Paulo servidos em restaurantes e lanchonetes.  E como somos um blog democrático, quero saber de você, leitor: qual é o seu pudim de leite favorito? Poste nos comentários, mande foto e vou aumentando o post com sua colaboração. E já começo com o ótimo pudim de leite do Riviera (R$ 14). Doce na medida certa (não suporto sobremesa açucarada), o pudim do clássico bar/restaurante ainda vem com uma generosa colherada de doce de leite argentino por cima. Larica pouca é bobagem.
(Riviera Bar – Av. Paulista, 2584, Jardins, tel. (11) 3258-1268, www.rivierabar.com.br)

 

holyEssa foi minha mais recente experiência pudinzística: o pudim de leite condensado de latinha do Holy Burger (R$ 12). A casa, aberta em dezembro de 2014, é um sucesso, vive lotada e server um dos melhores hambúrgueres da cidade. Mate um burgão e não deixe de pedir o pudim, que chega à mesa “enlatado”. Você tira devagarinho e… tchã-raaam! Eis um pudim tubular e dourado, lindo, com a calda caramelizada escorrendo por cima. É super cremoso e mata a vontade de duas pessoas (a não ser que seja eu, daí me deixe em paz com minha latinha).
(Holy Burger – R. Dr. Césario Mota Jr., 527, Sta. Cecília, tel. (11) 4329-9475)

 

conceiçãoA chef Talitha Barros tem causado uma boa repercussão com seu Conceição Discos. Fama justificada: comida saborosa, bem executada e com preços camaradas (morri com o delicioso arroz de bacalhau e o já famoso pão de queijo recheado de pernil desfiado e ovo de gema mole). Além disso, tem o maravilhoso pudim de leite (R$ 8) com jeitão caseiro, de avó mesmo. Mas não se engane a cremosidade entrega que o preparo da receite é muito profissional. E é o mais barato da minha lista, ou seja, ótimo custo/benefício etc. Se jogue.
(Conceição Discos – Rua  Imaculada Conceição, 151, Santa Cecília, tel. (11) 3477-4642)

 

attimo05Desde que abriu, o Attimo me chamo atenção pela cozinha primorosa do chef Jefferson Rueda, o ambiente clean elegante e por esse pequeno tesouro no fim da refeição: pudim de leite (R$ 34) com chantilly de caramelo e algodão doce – um toque familiar, já que o avô do chef vendia essa guloseima no interior. Parece tudo muito doce? Mas não é: receita da chef Saiko Izawa é equilibrada e absurdamente confortável (apesar do preço bem salgado).
(Attimo – Rua Diogo Jácome, 341, Vila Nova Conceição, tel. (11) 5054-9999)

 

PJClarkes-4Ok, a sobremesa-fetiche do P.J. Clarke’s é o cheesecake com calda de frutas vermelhas e não se discute isso. Porém uma vez me arrisquei no pudim de leite com baunilha (R$ 17) e fiquei seriamente abalado. Pequeno, porém intenso, o doce é cremoso ao extremo, super equilibrado e com apenas um pouco de calda. Lembra a receita do aclamado Forma de Pudim, mas é feito no P.J. mesmo. Pena que acaba logo. (ah essa é a única foto de divulgação do post; as outras são do gordinho aqui!)
(P.J.Clarke’s – R. Dr. Mario Ferraz, 568, Itaim, tel. (11) 3078-2965 ou R. Oscar Freire, 497, Jardins, tel. (11) 2579-2765, www.pjclarkes.com.br)

E você? Qual é seu pudim de leite preferido da cidade? Mande seu comentário, foto e tudo que quiser. A gente depois posta tudo. Bons pudins!