Receita fácil de bolo de chocolate com Jack Daniel’s

 

IMG_1195Eu gosto de bolos de chocolate, mas estão longe de ser meus preferidos. Em geral, gosto de sobremesas que levam cremes, frutas e castanhas. Chocolate gosto mesmo em barra. Mas quando vi a receita desse bolo de chocolate com whiskey, fiquei bem curioso com o resultado (olha aí o encosto de Heleninha Roitmann batendo forte aqui). Pesquisando mais, descobri que você pode usar whiskey americano (como o Jack Daniel’s), bourbon (como Jim Beam) e até irish whiskey (como Jameson). De resto, é uma das receitas mais simples que já fiz – nem precisei usar a batedeira, foi tudo na mão (com um bom fouet). Vamos lá?

Bolo de chocolate com Jack Daniel’s

Ingredientes:
1 xícara de cacau sem açúcar (NÃO é chocolate em pó, é cacau mesmo!), mais 3 colheres de sopa para a forma
1 ½ xícara de café (coado ou expresso) sem açúcar
½ xícara de Jack Daniel’s
225 g de manteiga sem sal em cubos (pouco mais que um pacote)
2 xícaras de açúcar refinado
2 xícaras de farinha peneirada
1 ½ colher de chá de bicarbonato de sódio
½ de colher de chá de sal
¼ de colher de chá de cravo moído (opcional)
¼ de colher de chá de pimenta preta moída na hora (opcional)
2 ovos grandes na temperatura ambiente
2 colheres de chá de essência de baunilha

bolo horizontalModo de fazer:
Pré-aqueça o forno a 200ºC. Unte bem forma com manteiga e polvilhe dentro dela 3 colheres de cacau em pó, batendo para tirar o excesso.
Numa panelinha, aqueça a manteiga, o café, o cacau e o whiskey em fogo médio. Mexa até derreter toda a manteiga, tire do fogo, coloque numa tigela e misture o açúcar até ficar homogêneo. Deixe dar uma esfriada por 5 minutos.
Num recipiente à parte, misture os ingredientes secos: farinha, bicarbonato, sal, cravo e pimenta.
Numa tigelinha à parte, bata com um fouet os ovos e a baunilha. Adicione à mistura de manteiga, cacau e whiskey, batendo à mão.
Vá adicionando a farinha e batendo devagar, para incorporar bem os secos e deixar a mistura bem homogênea. A massa fica bem escura, meio fina e cheia de bolhas (mas não pode ter pelotas de farinha, ok?)
Coloque na forma, dê duas batidinhas na pia (pra tirar bolhas de dentro) e leve ao forno. O bolo deve assar entre 40 e 50 minutos. Como é muito escuro, não dá pra saber se está bom só de olhar – você terá de fazer o teste do palito pra saber se ficou pronto (quando o palito sair seco).
Bolo assou? Tire do forno e deixe esfriar. Em geral cubro com um pano de prato seco por uns 15 minutos, pra não pegar um golpe de ar e murchar, depois descubro e deixo esfriando normalmente.
Depois de um hora, desenforme e está pronto. Você pode servi-lo sem nada (comi quentinho e estava boooom…), ou pode polvilhar açúcar de confeiteiro por cima ou ainda servir com chantilly batido na hora. Como não é um bolo muito doce e tem sabor marcante (whiskey, café), você pode fazer uma calda de chocolate e despejar por cima (testei e ficou uma delícia também).

 

Receita fácil de espaguete com sardinha na manteiga e limão

Captura de Tela 2016-04-26 às 18.57.17Acabaram as férias (que irei contar aqui depois, aguarde essa semana!) e voltamos às atividades normais. E uma delas é… cozinhar! No almoço de hoje eu estava com pressa, mas com aquela fome (pra variar…), então resolvi fazer esse macarrão vapt-vupt que é fácil, gostoso e sem frescura. Essa porção dá pra duas pessoas com fome, ou seja, é generosa. Se tiver uma entradinha, comem três. Bora lá?

Espaguete com sardinha na manteiga e limão

Ingredientes:
250 g de espaguete (usei integral)
2 latas de sardinha
1 cebola média bem picada
3 dentes de alho bem picados
1 colher de chá de gengibre picado (opcional, mas dá um toque fresco)
1/2 limão (pode ser o taiti ou siciliano)
1 colher bem cheia de farinha de rosca
5 colheres de sopa de manteiga sem sal (eu vou meio no olho aqui, pois a manteiga será o molho, então depende de gosto mesmo)
salsinha a gosto
sal e pimenta a gosto

Modo de fazer:
Prepare a massa à parte. Quando estiver pronto (de preferência al dente), escorra e reserve. Numa panela (ou frigideira grande, tipo wok), aqueça um pouco da manteiga junto com um toque de azeite. Refogue a cebola e, quando estiver transparente, junte o alho e o gengibre. Tempere com sal e pimenta, refogue bem, coloque o resto da manteiga  e deixe derreter e escurecer um pouco.
Aqueça bem frigideira à parte e coloque ali as sardinhas. Eu sou meio fresco com isso, então antes eu abro as sardinhas, tiro a espinha e as tripinhas, daí coloco na frigideira, para aquecer bem, soltar os aromas, dar uma leve tostada.
Na panela da manteiga, junte o macarrão escorrido e misture bem, ajustando se falta manteiga. Não deixe a massa fritar, senão ela fica dura. Coloque a farinha de rosca, misture bem e adicione as sardinhas. Ao misturar, elas vão de despedaçando naturalmente.
Raspe rapidamente a casca do limão por cima do macarrão e depois esprema bem o suco. Junte a salsinha, misture bem e está pronto! Ajuste o sal e pimenta na hora de servir.

Receita vapt-vupt de bolo de cranberry com laranja

boloMeu irmão é sócio do Sam’s Club. Outro dia me levou lá com ele e obviamente comprei um monte de coisa – alguns itens têm preços tentadores demais. Um deles foi um pacote de 1 kg de cranberry desidratado, que saiu por R$ 29. Adoro misturar na granola ou no iogurte, e além e gostoso faz bem aos rins (coisa de véia, né? Mas é verdade!). Mas… é muito cranberry, então fui atrás de receitas com a fruta e me deparei com esse bolo de cranberry com laranja. A única “dificuldade” era o sour cream (creme azedo), que não se encontra facilmente. Daí fiz a receita caseira do sour cream (1 xícara de creme de leite fresco + 1 limão espremido; bata bem com um fouet até ficar consistente) e resolvido o problema. Outra coisa: preparei uma calda de cranberry pra acompanhar, porque o bolo em si vai pouco açúcar e achei que pedia um toque a mais – e realmente ficou melhor. Mãos à obra?

 

formaBolo de cranberry com laranja e calda de cranberry

Ingredientes:
(para o bolo)

1 xícara de cranberry desidratado
½ xícara de suco de laranja natural
1 colher cheia de raspas de laranja
2 ovos grandes
1 ½ xícara de farinha de trigo
1 colher de sopa de açúcar
1 colher de chá bem cheia de fermento
½ colher de bicarbonato de sódio
¼ colher de chá de cravo em pó
¼ colher de chá de sal
½ colher de chá de essência de baunilha (coloquei quase uma!)
½ xícara de creme azedo (veja texto acima)
½ xícara de manteiga sem sal

(para a calda)
2 ½ xícaras de suco de cranberry
1 ½ xícaras de cranberry desidratado
2 colheres de sopa de amido de milho (maisena)
1 ½ colher de sopa de açúcar (podem ser 2, se quiser uma calda mais doce)

Modo de fazer:
(o bolo)

Pré-aqueça o forno a 200ºC. Unte uma forma média redonda ou uma quadrada de uns 20×20 e polvilhe com farinha. A receita não é para bolo grande e a massa é meio pesada, então não coloque em forma muito grande senão fica baixo.
Misture os secos (farinha, cravo moído, fermento, sal e bicarbonato) numa tigela e reserve. Em outra, misture delicadamente os ovos, o suco de laranja, a baunilha e o creme azedo.
Numa batedeira, bata o açúcar com a manteiga por 3 minutos até obter uma mistura uniforme. Adicione as raspas de laranja e a mistura dos ovos, aos poucos. Pare de bater, raspe as laterais da tigela com uma espátula e volta a bater, para ficar bem misturado.
Adicione a mistura de farinha aos poucos, tipo ½ xícara por vez, batendo bem, e continue a raspar as laterais quando preciso.
Depois de colocar toda a farinha, bata em velocidade média por mais 30 segundos e tire da batedeira. Adicione o cranberry e misture com uma espátula. Coloque na forma e leve ao forno. Deixe assando por 35 a 40 min. Faça o teste do palito: se sair sequinho, o bolo está pronto.

calda(a calda)
Coloque numa panela duas xícaras de suco de cranberry, o açúcar e as frutas desidratadas. Deixe em fogo alto até ferver. Daí baixe o fogo e deixe cozinhando por mais uns 5 a 10 minutos, até os cranberrys incharem e o líquido reduzir um pouco.
Numa tigelinha à parte, dissolva a maisena em ½ xícara de suco de cranberry. Adicione a mistura na calda da panela e deixe cozinhar por mais uns 5 minutos, para engrossar. Prove o açúcar, tire do fogo e coloque em um recipiente de vidro. Depois que esfriar, pode servir. Aliás, pode usá-la também para cobrir um cheesecake, por exemplo. #ficadica

Dica do Ferraro para servir o bolo:
Corte uma fatia, sirva com uma generosa porção de chantilly e uma boa colherada de calda de cranberry.
corte

Receitas de smoothies à base de castanha de caju. Vem!

Tropicália: bebida vegetal de castanha, manga e coco. Hmmm

Tropicália: bebida vegetal de castanha, manga e coco ralado. Hmmm

Ontem tomei café da manhã no Dona Vitamina, em Pinheiros. Além do pão de queijo de tapioca (R$ 7), dos ovos mexidos com tomate e parmesão (R$ 14,90), da tapioca com queijo branco, banana e mel (R$ 19,90) e de uma gostosa salada de frutas (R$ 12,90), provei o novo menu especial de bebidas vegetais. São cinco itens, todos feitos à base da bebida vegetal da A Tal da Castanha, sem glúten nem lactose – e segundo a empresa, sem aditivos, conservantes ou adoçantes artificiais. As calorias? De 81 cal. (a original, com água e castanha de caju) a 156 cal. (a Choconuts, com castanha, açúcar demerara orgânico e cacau), por copo de 200 ml.

 

Ovos mexidos com tomate e parmesão.

Ovos mexidos com tomate e parmesão. Assim mesmo, só pra começar.

Eu não sou celíaco nem alérgico à lactose, mas gostei muito do sabor e da textura de algumas misturas, que são praticamente smoothies. Custam de R$ 14,90 a R$ 21,90. Acabei descolando a receita das minhas favoritas, que estão abaixo. É só pegar os ingredientes, bater tudo no liquidificador e ser feliz. Beijo saudável pra vocês!

 

Vermelhinha

Vermelhinha!

Vermelhinha!


Ingredientes:
180 ml de leite de castanha de caju
1 xícara de chá de frutas vermelhas congeladas
1 colher de sobremesa de chia
1 banana pequena

Tropicália
Ingredientes:
200 ml de leite de castanha da caju com coco
½ xícara de chá de manga madura picada
1 colher de sopa de mel
1 colher de sopa de coco fresco ralado
1 folha de capim santo picada

Turbinada (ótima naquele friozinho)

Turbinada: ardidinha, docinha e pra tomar quente

Turbinada: ardidinha, docinha e pra tomar quente

Ingredientes:
180 ml de Choconuts
1 xícara de café expresso
1 pitada de pimenta caiena em pó
1 gota de essência natural de baunilha

Isso não é receita, mas gostei tanto da salada de frutas que resolvi mostrar aqui

Isso não é receita, mas gostei tanto da salada de frutas que resolvi mostrar aqui

Dona Vitamina – Rua Mateus Grou, 152, Pinheiros, tel. (11) 3063-0582, http://www.donavitamina.com.br

Sobremesas pra quem faz dieta? Aqui tem 2 receitas (e de uma salada também)

Bolo de cacau com calda de framboesa: gostoso e levinho!

Bolo de cacau com calda de framboesa: gostoso e levinho!

Se você adoro doces como eu, entende a minha dificuldade com dietas: um formigão sofre longe do açúcar. E tem vezes que não adianta fruta ou nada light: você PRECISA de algo doce mesmo, tipo um quindim ou uma boa barra de chocolate. Porém existe um “truquinho” pra quem está querendo perder peso: na maior parte do tempo, corra do açúcar branco refinado, que é um dos maiores venenos de qualquer regime, e consuma sobremesas feitas com ingredientes funcionais, que matam um pouco essa vontade de doce e não botam pra perder todo seu sacrifício. As receitas abaixo são da nutricionista goiana Carolina Morais, autora do livro Projeto Verão pra Vida Toda. Conheci a Carol na Semana da Culinária no spa Lapinha e fiquei bem animado com suas receitas. “O importante nem é a quantidade de calorias, mas o índice glicêmico dos ingredientes e sua funcionalidade no organismo”, me disse Carol.

A nutricionista Carolina Morais (sim, vai ter receita de salada também!)

A nutricionista Carolina Morais (sim, vai ter receita de salada também!)

E pra não dizerem que só penso em doce, inclui na lista uma salada deliciosa que ela preparou em minutos na nossa frente – e que também ajuda muito a encher a barriguinha sem perder a linha. Só não esqueça de uma coisa muuuuito importante: mastigue muito. Coma com calma. O organismo demora 20 min para entender que está sendo “abastecido” e mandar sinais de saciedade para o cérebro. Ou seja: você come menos e se satisfaz mais. #dicadoFerraro

bolo2Bolo de cacau

Ingredientes
½ copo de farinha de coco (veja no item “leite de castanha” abaixo)
¼ copo de cacau em pó
¼ colher de chá de sal marinho
½ colher de bicarbonato de sódio
4 ovos
½ copo de melado de cana
1 copo de banana prata ou nanica amassada (a nanica adoça mais)

Modo de preparo
Pré-aqueça o forno a 180ºC. Misture os ingredientes secos (farinha de coco, cacau, sal e bicarbonato) . Bata os ovos o melado. Misture com os ingredientes secos e as bananas amassadas. Coloque numa forma untada e polvilhada com cacau. Deixe assar entre 18 e 22 minutos. Se quiser pode fazer essa receita como cupcake; daí é só assar em seis forminhas individuais. Para a calda, coloque uma xícara de frutas vermelhas (framboesa, blueberry e morando, por exemplo) numa panelinha e uma xícara de suco de laranja natural (ou um pouquinho mais, vai do seu olhômetro). Deixe no fogo médio e mexa para não grudar, até o líquido reduzir o suficiente para você ter uma caldinha.

Pavê de abacaxi da Carol

Pavê de abacaxi da Carol

Pavê de abacaxi light

Ingredientes
Biscoito:
½ banana prata ou nanica
½ copo de resíduo de leite de amêndoa ou castanha do pará (veja abaixo)
1 colher de chá de canela em pó
1 colher de sopa de ghee (manteiga clarificada)
1 colher de sobremesa de mel
1 colher de sobremesa de açúcar de coco ou mascavo

Creme branco:
2 copos de leite de amêndoa (ou castanha do pará)
2 colheres de sopa de aveia em flocos
Mel a gosto
Doce de abacaxi:
1 xícara de abacaxi picado
1 copo de suco de laranja natural
1 copo de água filtrada
1 colher de sopa de melado de cana

Modo de preparo
Primeiro o biscoito. Pré-aqueça o forno a 180ºC. Amasse a banana e misture com todos os ingredientes. Coloque no fundo de uma forma grande e prense bem com os dedos. Leve ao forno até ficar dourado. (dica: esse biscoito pode ser servido assim, como um cookie leve – e você pode adicionar passar, chips de cacau, blueberry seco etc)
O creme: leve ao fogo o leite de amêndoas com aveia, mexendo até chegar o ponto de mingau. Desligue o fogo, adicione o mel e reserve (Se quiser mais firme, misture umas gotinhas de limão, cubra e deixe na geladeira).
Agora, o doce de abacaxi. Leve a fruta picada ao fogo com água e suco de laranja. Quando o abacaxi estiver cozido, quase em ponto de calda, adicione o melado de cana e mexa bem. Não deixe secar muito para ficar um caldinho.
Montagem:
Em tacinhas individuais ou numa forma maior, coloque no fundo o biscoito esfarelado grosseiramente. Cubra com o creme branco e, por último, o doce de abacaxi. Cubra com plástico, leve à geladeira (quanto mais tempo melhor) e tire apenas antes de servir. (obs: na aula, acabamos fazendo menos doce do que devíamos, por isso o pavê não ficou bem coberto pela fruta. Capriche no seu doce de abacaxi para cobrir bem a sobremesa!).

Leite de castanha do pará
(ou de amêndoa ou de coco)

Ingredientes
1 xícara de castanha do pará (ou amêndoa sem pele)
2 xícaras de água (para a hidratação)
1 xícara (ou mais) de água filtrada ou água de coco (para receitas doces).

Modo de fazer
Hidrate a castanha. Deixe-a de molho em duas xícaras de água por no mínimo 8 horas. Depois, coe e descarte essa água. No liquidificador, bata a castanha com água filtrada ou água de coco. A proporção para uma xícara de castanha é a seguinte: uma xícara de água se quiser um leite mais grosso e até 3 xícaras de água se quiser um leite mais ralinho. Coloque tudo num pano ou gaze para coar (com uma peneira embaixo e um bowl). Vá torcendo o pano para o leite escorrer pela peneira e chegar ao bowl bem coado. Está pronto! Guarde o resíduo sólido da castanha para fazer doces ou mesmo uma farofa.
No caso do coco, compre a polpa fresca já ralada ou use aquele coco seco, de casca marrom, e tire a casca e pele antes de liquidificar (dica: coloque um pouquinho no forno quente pra soltar mais fácil). Não há necessidade de hidratar o coco, pois ele já vem com água dentro (que você pode, incluive, usar em receitas ou beber). Bata, passe no pano fininho (e peneira) e pronto: você tem leite e farinha de coco.

saladaSalada vietnamita

Ingredientes
1 xícara de manga verde cortada em cubos ou espaguetada
1 xícara de cenoura em lascas ou espaguetada
1 xícara de pepino fatiado em meia-lua
2 colheres de sopa de cebola roxa fatiada em meia-lua
2 colheres de sopa de amendoim torrado sem casca e sem sal
Sal a gosto

Molho:
4 colheres de sopa de água filtrada
Limão tahiti
Mel de açúcar de coco ou mascavo
Molho de peixe (nampla)
Shoyu sem glutamato monossódico

Modo de fazer
Como você viu, não há quantidades exatas no molho. Comece com a água e vá adicionando duas colheres de shoyu e uma de nampla, esprema meio limão e coloque uma colher de sobremesa de mascavo. Misture e experimente. Vá ajustando os ingredientes conforme seu gosto. Quando estiver do jeito que você gosta, com um toque adocicado, um toque cítrico e equilíbrio entre a intensidade do shoyu e do nampla, está pronto. Daí misture os vegetais, regue com esse molho e finalize com o amendoim.

Bolo-pavê pra arrasar na festa de Réveillon

Nigella_natal02Ok, esse é um doce originalmente de natal. A Nigella Lawson o chama de Italian Christmas Pudding Cake (bolo italiano de pudim de natal, numa tradução tosca). No fundo, é um bolo-pavê de panetone e mascarpone, com pistache e chocolate. Fiz uma adaptação e ficou absolutamente delicioso (o povo que disse!). E você não precisa fazer apenas no natal. Essa pode ser a sua sobremesa arrasadora de ano-novo, por exemplo – aliás, vai até romã na cobertura, veja só que timing! É razoavelmente simples, não vai no forno nem no fogo, e tem de ser feito um dia antes de consumir. Um porém: é caro. São 500g de mascarpone, o que já é uma paulada de uns R$ 50. Pode trocar por cream cheese? Pode, claro. Não sei se fica tão cremoso, mas tá valendo. Mãos à obra!

nigella_natal01Italian Christmas Pudding Cake ou… Bolo-pavê!

Ingredientes
750g de panetone (o original, com frutas secas, ou o pandoro, sem recheio)
2 ovos grandes (na temperatura ambiente)
750g de açúcar
500g de mascarpone (ou cream cheese, na temperatura ambiente)
250g de nata (ou creme de leite, também na temperatura abiente)
6 colheres de sopa de licor de tuaca (usei licor 43, pode ser também Grand Marnier ou Cointreau)
25ml de vinho marsala (usei vinho do Porto, mas pode ser um Jerez também)
125g de chips de chocolate meio amargo (usei 50%) picados levemente
100g de pistache sem casca e sem sal, também picados levemente.
2 ou 3 colheres de sopa de semente de romã
Modo de fazer:
Com uma faca serrilhada, fatie o panetone discos redondos de 1 cm de altura (eu tirei a camada da base, que sempre vem meio queimadinha). Dá uns 5 ou 6 discos.
Forre uma forma redonda de fundo removível, de 23 cm, com uma parte das fatias de panetone. Sim, vc terá de cortar os discos para encaixar direitinho e fazer uma camada sem buracos. Sobre essa camada, despeje duas colheres do licor (ou um pouco mais), pra deixa-la úmida. Vai parecer um patchwork dourado.
Vamos preparar o creme. Bata os ovos e o açúcar até virar uma mistura quase espumante, de amarelo mais claro. Daí incorpore a essa mistura a nata, usando um fouet e batendo sem exagero. Aos poucos, bata junto o mascarpone. Depois incorpore o vinho, misture delicadamente e separe 250ml desse creme para a cobertura (guarde na geladeira, coberto com um filme plástico).
No creme que ficou, junte os 100 g chips de chocolate e 75 g do pistache (guarde o resto para a cobertura) e misture com cuidado, até ficar homogêneo. Espalhe metade desse creme sobre a primeira camada de panetone molhado com licor que está no fundo da forma.
Daí coloque por cima outra camada de fatias de panetone (sem deixar buracos!) e molhe com 2 ou 3 colheres de sopa de licor. Espalhe a outra metade do creme e novamente cubra com a camada final de panetone, molhe com 2 ou 3 colheres de sopa de licor licor e pronto: você chegou ao topo da forma.
Passe um filme plástico por cima, vedando bem, e leve ao refrigerador por no mínimo 12 horas até 2 dias.
Na hora de servir, o creme já terá pegado consistência e o doce estará firme. Retire o aro da forma, mantenha o bolo sobre a base removível (se tentar tirar de lá, os pedaços de panetone ao fundo podem se desmontar) e coloque sobre um prato de bolo ou alguma outra louça onde você servirá o doce.
Finalizando: tire da geladeira o creme que você reservou e espalhe sobre a superfície do doce (cobrindo inclusive as irregularidades das fatias de panetone). Aí decore com os chips de chocolate, pistaches e sementes de romã, criando um padrão lindo de pontos marrons, verdes e vermelhos sobre o creme claro. Se não for servir imediatamente, deixe o doce na geladeira até o momento de comer. E feliz 2016!

Receita de torta de cerejas frescas da Vovó Donalda (ou quase)

IMG_3845 Essa torta nasceu no Facebook. Explico: essa semana a Lavinia Carvalho postou umas fotos maravilhosas de uma torta de cereja frescas que havia feito. Morri de elogiar e no dia seguinte ganhei um pedaço na agência – que devorei escondido, feito moleque do ginásio que é esganado e não quer dividir a guloseima com ninguém. #humpf
Claro que pedi a receita, que ela gentilmente cedeu, e aqui está o resultado. É relativamente simples e o resultado, excelente. Uma torta gordinha, bem recheada, daquelas que lembram as tortas que a Vovó Donalda assava quando Donald e seus sobrinhos iam visita-la no sítio.

 

assadaAlgumas considerações: escolha as cereja mais maduras possíveis (tipo mais escuras), pois são mais doces. Caso estejam mais azedinhas coloque uma xícara inteira de açúcar e um tiquinho a mais de essência de baunilha. Ah, o melhor “segredo” dessa receita é usar tapioca granulada no lugar de maisena no recheio, pois cria uma geleia leve onde as cerejas se firmam. Qualquer supermercado tem, inclusive da Yoki.

 
Torta de cerejas frescas

Ingredientes
Massa:
2 ½ xícaras de farinha peneirada
200 g de manteiga sem sal gelada (isso é importante), cortada em cubinhos
2 colheres de sopa de açúcar
1 colher de chá de sal
1/3 a ½ xícara de água gelada

Recheio:
1 kg de cerejas frescas
suco de 1/2 limão
3/4 a 1 xícara de chá de açúcar (dependendo de quão doce está a fruta)
4 colheres de sopa de tapioca granulada
½ colher de chá de essência e baunilha (opcional)
(se quiser, pode acrescentar 1 cálice de licor de cereja ou de cassis)

Finalização:
1 gema
2 colheres de sopa de açúcar (usei o demerara, mas pode ser o cristal)

prefornoModo de preparar
Corte as cerejas pela metade e retire os caroços das cerejas (isso REALMENTE é chato, mas tem de fazer). Numa vasilha grande, misture as cerejas com o limão, o açúcar, a baunilha e 3 colheres de sopa tapioca granulada. Reserve.
Em um processador, misture rapidamente os ingredientes secos (farinha, açúcar e sal). Adicione os cubos de manteiga e pulse a mistura aos poucos (nada de bater em velocidade!). Aos poucos, a mistura vai se tornando uma farofa, com alguns pedaços de manteiga. Não tem problema. Mais dois pulsos e pronto.
Adicione a água gelada aos poucos, uma colher de sopa por vez e dê um pulso. Repita a operação até que a massa se forme. É bem rápido, na terceira ou quarta dose de água a massa já está pronta.
Coloque sobre uma superfície lisa e junte tudo delicadamente, até formar uma bola de massa que não grude. Divida em dois (uma parte um pouquinho maior que outra), enrole separadamente em um filme plástico e leve à geladeira por meia hora e vá fazer o recheio.
Já deu o tempo? Tire da geladeira a porção de massa maior. Sobre uma superfície lisa e enfarinhada, abra a massa com um rolo (também enfarinhado), sempre do centro para as pontas. Abra um pouco e gire a massa no sentido horário, tentando fazer um círculo de uns 30 cm. Tome cuidado pra não ficar muito fina, nem muito grossa, mas bem lisa e uniforme.
Pegue uma forma redonda de 23 cm de diâmetro, untada, e coloque a massa por cima (um truque bom é enrolar bem folgadamente a massa no rolo e desenrolar por cima da forma). Ajeite a massa na forma, cobrindo bem o fundo e as laterais, deixando as sobras de massa pra fora. Cubra com filme plástico e leve de volta ao refrigerador.
Agora abra a outra porção da massa do mesmo jeito, formando um círculo um pouco menor, que será a “tampa” da torta. Coloque em uma assadeira reta, sobre papel manteiga, cubra com plástico e de volta à geladeira por uns 15 minutos. A massa está pronta!
Tire a tampa da torta da geladeira uns 10 minutos antes de montar a torta. Depois, pegue a parte de baixo, recheie com as cerejas e espalhe uniformemente.
Agora faça o mesmo método do rolo: enrole a massa da tampa folgadamente e desenrola sobre a parte de baixo recheada. Vá tirando as sobras de massa e formando a beirada mais grossa, com os dedos.
Pincele a torta com uma gema e espalhe o açúcar demerara uniformemente por cima da superfície. Com uma faca afiada, corte pequenas aberturas perto do centro, para pode liberar os vapores na hora em que a torta assar.
Leve ao forno pré-aquecido a 220ºC e deixe assar por uns 40 minutos. Quando ela estiver dourada, faça o teste, enfiando a faca delicadamente em uma das aberturas da tampa: você tem de sentir as cerejas macias, não deixando que percam sua forma ou virem um purê.
Retire a torta do forno e deixe esfriar por uma hora e meia. Pode cortar na forma ou desenformar (com cuidado!). Sirva pura ou com sorvete de creme ou com chantilly.

Barulhinho bom: receita fácil de croquete crocante de milho

croquetes fritos Quando comemorei meu aniversário em casa, em julho, fiz um jantarzinho com algumas receitas que adoro (fideuá e frango spicy com laranja, por exemplo) e um bolo de gengibre. Minha cunhada Patrícia Cardoso se incumbiu de preparar as entradas, que acabaram fazendo tanto (ou mais) sucesso quanto os pratos principais: esfihas folhadas de carne e coquetes crocantes de milho. A primeira é meio complicada, mas em breve postarei a receita. Já os croquetes são bem simples de fazer – sábado meti a mão na massa e ficaram ótimos. Então, manda ver!

Croquetes Crocantes de Milho

croquete recheioIngredientes
2 latas de milho verde, lavado e escorrido
2 xícaras de leite integral
2 colheres de sopa de margarina
1 cebola bem picada
2 dentes de alho bem picados
1 pimenta dedo de moça, sem sementes, cortada em tiras fininhas (eu coloquei duas, mas esse sou eu, né?)
4 xícaras de farinha de trigo
200 g de mussarela (compre em pedaço grande e corte em palitos de uns 4 cm de comprimento para rechear os croquetes)
1 clara
Macarrão cabelo de anjo (aletria) todo quebradinho (para empanar)

croquetes montadosModo de fazer
No liquidificador, bata o milho e o leite até ficar homogêneo. Numa panela média pra grande, aqueça a margarina e refogue a cebola até murchar. Daí junte o alho e a pimenta dedo de moça, tempere com sal e pimenta do reino a gosto, e refogue um pouco mais.
Despeje na panela o milho batido com leite e deixe ferver. Quando começar a levantar bolhas, vá adicionando a farinha aos poucos, mexendo até a massa desprender da panela. Provavelmente você não vai usar toda a farinha aqui – reserve o restante para a próxima etapa.
Assim que desprender, tire do fogo (pois a mistura queima fácil) e coloque sobre uma superfície fria (e bem limpa!). Espere esfriar e comece a sovar a massa, adicionando farinha de trigo se a massa ainda estiver grudando muito. Assim que você conseguir formar bolinhas com a massa, já está ok.
Forme as bolinhas, amasse com um dedo, formando uma “caminha” onde você coloca o palito de mussarela. Feche cuidadosamente, no formato de croquete.
Passe um por um brevemente na clara de ovo levemente batida, apenas para “colar” o macarrão quebradinho em seguida. Reserve todos os croquetes empanados em um recipiente grande e deixe descansar na geladeira por uma hora.
Frite aos poucos em óleo bem quente, escorra bem em papel toalha e sirva. A casquinha fica bem crocante (por causa do macarrão), a massa de milho, bem macia e o recheio derrete na primeira mordida – fazendo aquele barulhinho bom (veja o vídeo aqui)!

 

Receita de Pizza de Panetone: será que fica bom?

unnamedEu sei, é um pouco depressivo pensar nisso, mas o Natal está aí. Vários estabelecimentos já estão exibindo decoração natalina e os mercados já vendem panetone, então aceita que dói menos. O que eu não esperava era essa receita bastante inusitada: pizza de penetone. O item foi desenvolvido pelo chef Ronaldo Ayres, criador do CTP- Centro Tecnológico de Desenvolvimento de Pizzas e Massas no Brasil. Será que fica bom? Não sei, mas quem quiser tentar, taí a receita. Ah, a massa de panetone você pode comprar em confeitarias especializadas. E boa sorte na experiência!

Pizza de Panetone
(rende 5 massas de pizza)

Ingredientes
Massa:
1 kg de farinha de trigo
300 g massa de panetone
5 g de fermento biológico seco
50 g açúcar
50 ml de óleo de girassol
690 ml de água gelada

Cobertura de cada pizza:
300 g creme de confeiteiro
1/2 litro de leite
150 g frutas cristalizadas
150 g uvas passas
Cerejas, pêssego e frutas em calda

Modo de preparo:
Em uma batedeira, misture a farinha de trigo com a massa de panetone e o fermento por 1 minuto. Acrescente água gelada e o óleo de girassol e bata por mais 10 minutos. Separe a massa em bolinhas de 350 gramas e coloque em vasilhas untadas com óleo, tampe e deixe descansar por, no mínimo, 30 minutos.
Abra as bolinhas em discos de 35 cm. Pré-asse a massa por aproximadamente 4 minutos em 280°C no forno convencional. Reserve.
Leve ao fogo o leite e o creme de confeiteiro e mexa até engrossar. Acrescente as frutas e cubra a massa com o creme. Leve novamente ao forno por 2 minutos a 280ºC. Decore com frutas em calda.

CTP- Centro Tecnológico de Desenvolvimento de Pizzas e Massas no Brasil – Rua Jaboatão, 127, Casa Verde, tel. (11) 3951-1000

Receita de pumpkin pie, a torta de abóbora para o Halloween

IMG_1453O Halloween chegou mais cedo em casa! Esse fim de semana testei uma receita de torta de abóbora, a famosa pumpkin pie americana). Lá, eles servem esse doce principalmente no Dia de Ação de Graças, no Natal e no Halloween. Daí que na semana passada meu amigo Carlos Casagrande comentou que estava morrendo de vontade de comer a torta e fui atrás de uma receita. Achei várias e acabei seguindo (com algumas adaptações) a do site Joy of Baking, da super craque Stephanie Jaworski. Simples e gostosa, a torta é bem fácil de preparar – a parte mais trabalhosa é fazer um purê da moranga (sim, tem de ser de moranga), que nos EUA já vem pronto em lata. Mesmo assim, é tudo bem prático de fazer o resultado fica uma delícia. Vamos lá?

Torta de abóbora

Massa
1 ¼ xícara de farinha peneirada
1 colher de sopa de açúcar
½ xícara de manteiga sem sal, fria, cortada em cubos pequenos
½ colher de chá de sal
¼ de xícara de água gelada

Num processador, misture a farinha, o açúcar e o sal. Depois, coloque a manteiga e processe por 15 segundos, até ficar bem misturada. Adicione aí a água bem aos poucos, até obter a consistência ideal da massa.
Espalhe um pouco de farinha numa superfície lisa, faça uma bola com a massa a abra um pouco, até forma um disco grosso. Ensaque e leve à geladeira por 30 minutos (enquanto isso você pode fazer o purê de moranga).
Passado esse tempo, abra a massa em um disco maior, de uns 30 cm de largura e 0,5 cm (mais ou menos) de espessura. Coloque esse disco sobre uma forma redonda de 23 cm de diâmetro, untada, e ajuste a massa para ficar bem certinha, tirando os excessos da borda e decorando como quiser (usei os nós dos dedos mesmo).
Cubra com um plástico e leve à geladeira por mais 20 minutos.

IMG_1444Recheio
3 ovos grandes
2 xícaras (450g) de purê de moranga (veja como fazer abaixo)
½ xícara de nata (se não tiver tente com creme de leite da caixinha sem soro; quanto mais gordura, melhor)
½ xícara de açúcar mascavo (coloquei um pouquinho mais, quase ¾)
1 colher de chá de canela em pó
½ colher de chá de gengibre em pó
¼ colher de chá de cravo em pó
1 ou 2 pitadas de sal
1 colher de café de maisena

Para o purê de moranga: descasque e tire as sementes de meia moranga média (cerca de 1 kg). Corte em cubos grandes. Espalhe numa assadeira, cobra tudo com papel alumínio e leve ao forno médio por uns 30 minutos, ou até que os cubos estejam macios. Espere esfriar um pouco e amasse tudo, ou passe no processador. Atenção: a abóbora solta muita água, então sugiro fazer esse purê bem antes e colocar num escorredor, para deixar o líquido sair. Eu ainda dei uma boa espremida numa peneira antes de usar no recheio (1 kg de abóbora acabou resultando em menos de 500 g de purê, que era o que precisava). Agora vamos ao recheio.
Numa tigela grande, bata os ovos brevemente. Adicione os ingredientes secos e misture bem, sem bater (não se deve bater essa recheio, apenas misturar bem).
Adicione a abóbora, e depois a nata, até obter uma mistura homogênea. Dilua a maisena com um pouquinho de água fria e misture tudo (não exagere na maisena, senão o recheio ganhará uma textura errada de pudim, e não queremos isso!).

Montagem

Aqui tem um “pulo do gato” interessante. Como a abóbora tende a soltar água, você pode criar uma camada de “proteção” entre o recheio e a massa. É fácil: toste no forno rapidamente (uns 8 min) cerca de 25 gramas de pecan, ou castanhas (misturei de caju e do pará). Moa num processador. Adicione 25 gramas (cerca de 3) cookies de gengibre, coco ou castanha mesmo (nada de chocolate nem frutas cítricas!). Espalhe essa farinha por cima da massa, no fundo da torta, e aperte bem, sedimentando a camada.
Agora sim, despeja o recheio cuidadosamente e iguale a superfície com uma espátula. Leve ao forno pré-aquecido a 200ºC por cerca de 45-55 minutos.
A torta estará pronta quando a borda da massa estiver dourada e quando você espetar uma faca no recheio e ela sair quase seca (o meio da torta sempre parece mais úmido, e tudo bem, é assim mesmo).
Retire do forno e deixe esfriar antes de comer. Você pode servir a torta pura ou com chantilly. Feliz Halloween!