Receita pra fazer em 15 minutos: arroz frito com camarão e legumes

arrozfritoChegou em casa à noite sem muita ideia pra cozinhar mas com uma baita fome? Chegou gente pra almoçar no fim de semana e pegou você desprevenido? A solução é uma receita SRV (simples, rápida e versátil). Sim, acabei de inventar essa sigla boboca, mas é ela resume bem alguns pratos que salvam sua pele na hora de servir (ou comer sozinho mesmo) alguma coisa legal, sem tempo pra isso. Sábado testei uma dessas: arroz frito com camarão e legumes. Dá uns 15 minutos de fogão e fica sensacional. O legal dessa receita de arroz frito é que 1) você pode mudar os legumes conforme seu gosto ou o que tem na geladeira; 2) é versátil e pode ser a base de várias proteínas, como camarão, iscas de carne bovina ou tiras de filé suíno, por exemplo; 3) nem precisa de acompanhamento (se bem que fiz uma omelete de claras, pra aproveitar as 5 claras que sobraram de uma receita de torta que fiz um pouco mais cedo – esta aqui). Vamos lá?

Arroz frito com camarão e legumes

Ingredientes
2 xícaras de arroz (pode ser amanhecido; aliás, melhor se for)
350 g de camarão limpo
1 xícara de brócolis
1 xícara de pimentão amarelo picado
1 xícara de cebola roxa picada
2 dentes de alho picados
½ xícara de milho
½ xícara de ervilha
1 colher de chá de gengibre picado
2 colheres de sopa de shoyu
1 colheres de sopa de óleo de gergelim
2 colheres de sopa de óleo vegetal
Sal e pimenta a gosto.

Modo de fazer
Antes de tudo, misture bem o shoyu com o óleo de gergelim numa tigelinha e reserve. Numa frigideira larga, aqueça o óleo. Coloque os camarões, tempere com sal e pimenta, e salteie até que fiquem rosados. Retire e reserve.
Na mesma frigideira, refogue a cebola roxa, alho e gengibre, até que cebola comece a dourar (coloque o alho e o gengibre um pouco depois da cebola).
Adicione então o pimentão e os brócolis (eu usei brócolis congelados mesmo, mas antes dei um susto de 3 minutos em água fervendo, seguido de um banho em água gelada). Deixe cozinhar por 5 minutos, até que os vegetais fiquem tenros, mexendo de vez em quando. Coloque um pouco de azeite comum se achar que está muito seco.
Adicione as ervilhas (também usei congeladas) e o milho. Refogue por uns 3 minutos e adicione o arroz e a mistura de shoyu e óleo de gergelim. Misture bem e deixe cozinhar por uns 3 minutos. Adicione o camarão e pronto!

Receita pro Natal: torta maravilha de frutas vermelhas

com acucarSabe aquelas tortas lindas que a gente vê em vitrines e parecem impossíveis de fazer em casa? Pois é, algumas são mesmo – melhor comprar pronta e se jogar no doce. Porém, resolvi meter as caras pra fazer um torta de frutas vermelhas usando uma massa de outra receita (aqui) e o creme pâtissière que uso no recheio do bolo naked de morango (aqui). E não é que deu certinho? Ficou uma belezura, gostosa e leve. Aliás, perfeita para servir no Natal e deixar boquiaberta até aquela sua tia especialista em maionese. Prometo que a receita parece muito mais difícil do que ela é: são três etapas, mas todas simples de fazer. Bora?

Torta de frutas vermelhas

frutasIngredientes:
(massa)
150 g de manteiga sem sal, macia.
150 g de açúcar demerara
1 ovo grande
230 g de farinha de trigo
1 colher de chá de fermento em pó
1 colher de café de essência de baunilha

Modo de fazer
Unte e polvilhe farinha em uma forma redonda ou pirex de 25 cm de diâmetro. Pré-aqueça o forno a 200oC. Bata vigorosamente a manteiga e o açúcar até ficar cremoso. Bata o ovo cuidadosamente, com a essência de baunilha. Misture bem a farinha peneirada e o fermento, mas sem bater, até obter uma massa macia e levemente pegajosa.
Coloque a massa no pirex (ou forma), espalhando com as mãos enfarinhadas, para que as beiradas da forma também sejam revestidas com a massa. Não deixe muito espessa, se sobrar massa tudo bem – melhor do que a torta ficar grossa e pesada. Espete a massa com um garfo algumas vezes e leve à geladeira por meia hora para dar mais firmeza à massa. Depois, leve ao forno e deixe assar. Depois de uns 20 minutos, dê uma olhada: se estiver “inchada”, fure novamente com garfo. Retire do forno quando a massa estiver totalmente cozida (uns 40 minutos) e deixe esfriar.

sem acucar(creme)
500 ml de leite integral
½ fava de baunilha ou 1 colher de chá de essência
5 gemas
125 g de açúcar
25 g de farinha de trigo
25 g de amido de milho
150 ml de creme de leite fresco
2 colheres de açúcar

Modo de fazer
Aqueça o leite com a baunilha até ferver. Tire do fogo (retire a fava) e deixe esfriar um pouco. Numa batedeira, bata as gemas com açúcar até ficarem cremosas. Junte a farinha de trigo e o amido, batendo a mistura. Daí aos poucos adicione o leite à mistura de gemas, batendo cuidadosamente à mão.
Leve esse creme ao fogo baixo e mexa sem parar (usei um fouet). Mexa até a mistura engrossar e ferver – quando as bolhas começam a estourar na superfície do creme. Deixe cozinhar por mais um minuto, mexendo vigorosamente, sem parar. Cuidado para não passar do ponto, senão vira um pudim!
Despeje sobre um refratário raso, alise bem e cubra com um filme plástico, bem rente ao creme (o filme colado à superfície do creme evita a formação de película de nata e não gruda). Leve à geladeira para esfriar.
Quando o creme estiver frio, retire da geladeira. Bata o creme de leite fresco na batedeira, adicionando açúcar aos poucos, até ele ganhar consistência de chantilly. Reserve. Leve o crème gelado à batedeira, bata um pouco, para amaciá-lo. Daí, com uma espátula, misture um pouco do chantilly, até incorporar bem. Cuidado aqui: se colocar muito chantilly, a mistura ficará excessivamente cremosa e quando você cortar a torta ele desaba (acredite, já aconteceu comigo).

cima(cobertura)
300 g de frutas vermelhas (preferencialmente framboesa, amora e alguns blueberries pra completar a cobertura – cogitei até colocar morangos, mas não rolou)
Açúcar de confeiteiro (opcional)

Montagem
Desenforme a massa já assada, com cuidado pra não quebrar. (se perceber que a massa está frágil e quebradiça, monte a torta na forma mesmo e sirva assim mesmo!). Recheie com o creme até a borda, alisando bem para a superfície ficar nivelada. Daí, decore com as frutas vermelhas, colocando uma a uma e afundando de leve, como se grudasse a frutinha ao creme. Quando a torta estiver totalmente coberta pelas frutas, você já pode servir. Se quiser, polvilhe com uma peneira o açúcar de confeiteiro, como se “nevasse” sobre as frutas. Está pronta para servir. Porém, mantenha resfriada o quanto puder, pra não desandar o creme. Feliz Natal!

 

Aperol Spritz: receita do drinque mais refrescante da vida

aperolOk, eu me rendo ao calor e a esse tempo abafado. Tenho resfriado até cabernet sauvignon pra não parecer vinho quente de quermesse. O que tem rolado muito em casa é Aperol Spritz. Ok, está longe de ser uma novidade, mas estou pra ver drinque mais refrescante, versátil e fácil de preparar. E nem venha com o mimimi “Ah, mas nem sei onde compra Aperol…” Qualquer supermercado (Pão e Açúcar, Carrefour, Walmart, Zaffari, Extra) tem. A garrafa custa uns R$ 30 e rende vários drinques. E só juntar com água gasosa e espumante (eu prefiro brut, mas fiz uma receita com Chandon Riche demi sec ou com Chandon Passion e o toque adocicado foi muito bem-vindo).  Bora fazer?

Aperol Spritz

Ingredientes
3 doses de espumante
2 doses de Aperol
1 dose de água com gás
1 rodela de laranja
gelo

Modo de fazer
Em um copo alto e largo, coloque o espumante, seguido do Aperol e do gelo. Complete com a água gasosa e adicione a rodela de laranja. Nossa, que difícil, hein?

Receitas fáceis de panqueca de maçã verde e pão de queijo com tapioca

Screen Shot 2014-11-14 at 12.00.22 PMOntem participei de uma aula diferente, organizada pela Le Creuset (a famosa marca francesa de panelas de ferro esmaltado e utensílios coloridos): como fazer guloseimas de café da manhã. A aula aconteceu no restaurante Capim Santo e foi ministrada pela própria chef Morena Leite. “O café da manhã é uma das refeições mais importantes lá em casa; é quando eu tenho tempo de ficar à mesa com minha filhinha”, contou a chef. Bem, entre tigelas, frigideiras e vasilhas, eu e outros blogueiros/jornalistas preparamos três receitas, muito rápidas e práticas. Vou dar duas aqui: a panqueca de maçã verde com iogurte e o pão de queijo com tapioca. Mão na massa!

 

Bancada colorida com esse monte de Le Creuset

Bancada colorida com esse monte de Le Creuset

Panqueca de maçã verde com iogurte
(rendimento: 10 porções)

Ingredientes
1 pote de iogurte natural
2 ovos
2 colheres de sopa de manteiga amolecida
2 colheres de sopa de açúcar
½ colher de sopa de raspas de limão
1 xícara de chá de farinha de trigo
1 colher de sopa rasa de fermento em pó
1 maçã verde ralada (com casca, sem sementes)
1 pitada de sal

Modo de fazer
Em uma tigela, misture o iogurte com os ovos. Acrescente a manteiga, o açúcar, as raspas de limão, a maçã ralada e mexa bem.
Aos poucos, incorpore a farinha de trigo, fermento e sal, até obter uma massa homogênea. Se estiver mole demais, coloque um pouco mais de farinha de trigo (mas não exagere, senão fica massuda).
Aqueça uma frigideira (a nossa era Le Creuset, mas pode ser qualquer uma antiaderente) untada com um fio de óleo ou uma colher de chá de manteiga. Despeje pequenas porções da mistura, para formar um círculo “gordinho”.
Aguarde alguns minutos até que comece a dourar e desgrudar do fundo da frigideira para virar e dourar do outro lado. Um truque: quando a massa começa a fazer bolhinhas, é hora de virar. Sirva a panqueca com mel, xarope de bordo, nutella ou docd de leite, guarnecida com frutas picadas.

 

IMG_7280Pão de queijo com tapioca
(rendimento: 28 porções)

150 ml de leite
100 g de tapioca granulada
200 g de polvilho doce
50 ml de azeite de castanha do Pará
150 g de queijo Serra da Canastra ralado
3 ovos
5 g de sal (ou o quanto basta)

 

Modo de fazer
Primeiro, hidrate a tapioca no leite por uns 15 minutos, ou até que os grãos assimilem o líquido. Misture os ovos, o sal, o queijo e o polvilho. Adicione o azeite e mexa até obter a massa homogênea.

Com a véia Katsuki, preparando as guloseimas

Com a véia Katsuki, preparando as guloseimas

Ela deve ter a consistência para você fazer bolinhas com as mãos. Caso esteja ainda mole, coloque um pouquinho mais de polvilho ou leve à geladeira por meia hora, para a massa firmar.
Unte levemente uma assadeira com manteiga (sem excesso, senão o pão de queijo absorve a gordura) e vá fazendo bolinhas com as mãos untadas e colocando na assadeira, mantendo uma distância razoável umas das outras (não se esqueça que o pão de queijo cresce). Asse em forno médio pré-aquecido por uns 20 minutos, ou até dourar. Está pronto!

 

Capim Santo – R. Ministro Rocha Azevedo, 471, Jardins, tel. (11) -3068-8486, ww.capimsanto.com.br
Le Creuset Brasilhttp://www.lecreuset.com.br

Como fazer em uma hora uma torta finlandesa de blueberry

blueberry1 cópiaMustikkapiirakka: o nome é quase impronunciável, mas o sabor é instantaneamente reconhecido como uma delícia por qualquer pessoa. Trata-se de uma torta de blueberry (ou mirtilo) tradicional da Finlândia. Achei a receita razoavelmente simples e decidi me arriscar – e ficou muito boa mesmo. Os ingredientes são bem fáceis de achar. O açúcar demerara é o menos comum da lista, mas você pode comprar em grandes supermercados ou em casas de produtos naturais – ou usar o açúcar branco mesmo. Então, bora fazer a torta finlandesa e arrasar na hora de servir.

 

IMG_7045Mustikkapiirakka (ou torta finlandesa de blueberry)

Ingredientes:
(massa)
150 g de manteiga sem sal, macia.
150 g de açúcar demerara
1 ovo grande
200 g de farinha de trigo
1 colher de chá de fermento em pó
1 colher de café de essência de baunilha

(recheio)
400 g de blueberries frescos (lavados e escorridos)
250 ml de iogurte grego regular (nada de light) ou sour cream
50 g de açúcar demerara
1 ovo
1 colher de chá de essência de baunilha

FullSizeRenderModo de fazer
Unte e polvilhe farinha em uma forma redonda ou pirex de 25 cm de diâmetro. Pré-aqueça o forno a 200oC. Bata vigorosamente a manteiga e o açúcar até ficar cremoso. Bata o ovo cuidadosamente, com a essência de baunilha. Misture bem a farinha peneirada e o fermento, mas sem bater, até obter uma massa macia e levemente pegajosa.
Coloque a massa no pirex (ou forma), espalhando com as mãos enfarinhadas, para que as beiradas da forma também sejam revestidas com a massa. Espete a massa com um garfo algumas vezes e leve ao forno por 10 minutos.
Enquanto isso, misture bem numa tigela açúcar, iogurte, ovo e baunilha (eu coloquei uma colherinha de chá de maisena, pra ajudar a firmar logo). Tire a forma do forno, espalhe os blueberries por ela, distribuindo bem, e depois despeje a mistura por cima.
Leve ao forno novamente por uns 30 a 45 minutos (até que o creme esteja mais firme). Desligue o forno mas deixe a torta lá dentro até que a superfície se firme (são mais uns 10 minutos). Formas de vidro são ótimas para você ver se a massa não está assando demais (a minha quase acontece isso).
Retire do forno e deixe esfriar. Pode servir sem acompanhamento ou com sorvete ou creme (bati um chantilly e dei uma leve polvilhada com canela em pó para dar aroma.)

Bolo de gengibre e especiarias: receita moleza

IMG_9968Sábado investi numa nova receita: bolo de gengibre da Gramercy Tavern. Não tenho certeza se o restaurante nova-iorquino realmente servia esse bolo (no menu atual não consta), mas deveria: o doce tem massa macia, cheia de especiarias, bem aromática, e cor terrosa, caramelada, quebrada pelo açúcar polvilhado por cima. E é MUITO fácil de fazer. Só uma dica: prepare o bolo no dia anterior ao que for servi-lo (ou 12 horas antes). O açúcar se assenta com mais sutileza e as especiarias se destacam melhor. Acabou em menos de 24 horas lá em casa.

 

IMG_9970Bolo de gengibre e especiarias da Gramercy Tavern

Ingredientes:
1 xícara de cerveja Guinness stout (ou outra marca de stout)
1 xícara de melaço de cana (quanto mais escuro melhor)
½ colher de chá de bicarbonato
2 xícaras de farinha peneirada
1 ½ colheres de chá de fermento em pó
2 ½ colheres de sopa de gengibre fresco moído
1 colher de chá de canela em pó
1/3 colher de chá de cravo em pó (se não tiver, moa no processador)
1/3 colher de chá de noz-moscada em pó
3 ovos grandes
3/4 xícara de açúcar mascavo
3/4 xícara de açúcar refinado
¾ xícara de óleo vegetal
Açúcar de confeiteiro para finalizar

FullSizeRenderModo de fazer:
Pré-aqueça o forno a 200ªC. Unte uma forma de bolo com furo no meio e espalhe farinha de trigo, tirando o excesso. Usei uma forma grande, pois a massa tende a crescer. Aliás, prefira uma forma que permita deixar a base do bolo pra cima quando for desenformado, porque a parte de cima dele tende a dar uma afundada quando assa – então é melhor que isso fique por baixo na hora de servir.
Numa panela, misture a cerveja e o melaço e até ferver. Ferveu? Remova do fogo, misture bem o bicarbonato e deixe esfriar.
Misture numa tigela grande os ingredientes secos (farinha, fermento, cravo, canela, noz-moscada). Na batedeira, bata os ovos com os açúcares até ficar uma creme homogêneo. Continue batendo e adicione o óleo, o melaço fervido e o gengibre.
Adicione esse mistura aos ingredientes secos, usando um fouet ou espátula, até que fique tudo bem combinado.
Despeje a massa na forma. Bata uma vez o fundo da forme na pia ou mesa, pra tirar bolhas, e leve ao forno. Deixe assar entre 40 e 50 minutos. Faça o teste do palito até sair quase seco, com algumas migalhas úmidas. Tire e deixe esfriar um pouco. Depois, desenforme num prato largo e deixe esfriar completamente.
Não coloque o açúcar de confeiteiro com o bolo ainda quente ou morno – o açúcar começa a derreter e “mancha” sua obra (o apressado aqui fez isso). Deixe pra finalizar pouco antes de servir. Se quiser, pode acompanhar o bolo com chantilly com algumas raspas de limão.

 

Bolo de cenoura com especiarias, meu primeiro na batedeira nova!

Captura de Tela 2014-10-12 às 22.58.07Olá, amiguinhos! Depois de longas férias, viajando muito, volto a esse querido espaço pra falar dos restaurantes, das viagens e de… receitas! Sim, comprei minha famigerada batedeira da KitchenAid em Nova York – e valeu muito a pena (falarei disso depois no post sobre NYC). Hoje finalmente inaugurei a dita cuja com um receita indicada pelo querido amigo Rodrigo Cantarelli, do Recife. Trata-se de um bolo de cenoura e especiarias, com toques cítricos, do site Be Nice, Make a Cake. Apesar dessa cara de bolo inglês, ele não é pesado, muito menos seco: a massa leva laranja e muita cenoura ralada, o que a deixa molhadinha, macia mesmo. E a cobertura não é nada enjoativa – até porque leve limão. Vamos aprender? Continuar lendo

Gelatina Arco-Íris: gostinho colorido de infância

arco-irisDesde que meu amigo pernambucano Messias me mostrou essa receita, fiquei um pouco obcecado em fazer – mas confesso que tinha preguiça pelo trabalho e pelo tempo. Mas parecia tão linda… Assim, ontem resolvi  mandar ver na Gelatina Arco-Íris. Na verdade, é uma receita simples, porém trabalhosa e demorada mesmo: demanda paciência. Mas pode ser divertido brincar com cores e sabores. Só uma conselho: veja se sua geladeira está retinha mesmo. Descobri que a minha não estava e o doce ficou meio tortinho. Mas bonito e com gostinho de infância.

 

Gelatina Arco-Íris

Ingredientes
5 pacotes de gelatina de sabores e cores diferentes: comprei de tutti-frutti (azul), limão (verde), abacaxi (amarelo), laranja (cor de laranja) e morando (vermelho). Quase coloquei um 6º, de uva (roxo), mas não caberia na forma.
Leite condensado
Leite de coco
Água fervente e água fria

Modo de fazer
Unte uma forma de pudim com óleo (isso é importante, pois serve para desenformar com facilidade). Num recipiente, misture o pacotinho inteiro de uma gelatina azul a 150 ml de água fervente. Dissolva bem e misture em seguida com 150 ml de água fria. Despeje metade da gelatina dissolvida na forma e leve ao freezer por 10 a 12 min.
Misture a outra metade da gelatina azul com duas colheres de sopa de leite condensado e duas colheres de sopa de leite de coco. Quando a gelatina na forma estiver firme, tire do freezer e despeje essa mistura CUIDADOSAMENTE sobre a gelatina já gelada (se você despejar muita quantidade de uma vez, pode vazar na camada transparente abaixo). Volte ao freezer por mais 15 min.
E assim segue com todas as cores: dissolva a gelatina em água fervente e fria; despeje metade na forma; deixe 10 min no freezer; misture a outra metade com leite condensado e leite de coco; despeje sobre a camada transparente; deie 15 min. no freezer.
Quando terminar a camada cremosa da última cor, e ela já tiver passado pelos 15 min. no freezer, coloque a forma na geladeira por no mínimo 4 horas (deixei a noite toda). Cubra com um prato grande, vire e desenforme. Está pronta.
Dicas: 1) coloque na forma primeiro a cor que você quer que fique por cima quando desenformar; 2) quanto mais alta a forma, mais cores cabem, porém não exagere porque o doce começa a ficar pesado e desaba; 3) respeite bem os tempos de freezer (10 min/15min), mas se achar que ainda a camada está mole deixe mais um ou dois minutos; 4) se não encontrar gelatina de laranja, compre de maracujá e coloque um pouquinho do pó de morango nela pra dar a cor alaranjada; 5) e PRINCIPALMENTE: verifique se sua geladeira está retinha, senão o doce fica meio torto (humpf!).

Receita pra arrasar: camarões gregos ao forno

camaroes 2Achei essa receita navegando pela internet, quase sem querer, e resolvi fazer no almoço de hoje: camarões gregos ao forno. E não poderia ser mais fácil. Não é exatamente barata, já que vai camarões grandes e queijo feta, mas rende para 4 pessoas e tem um sabor marcante. E é só assado! Venha conferir.

Camarões gregos ao forno

Ingredientes
De 500 a 700 g de camarões grandes (já limpos, sem casca)
1 kg de tomates bem maduros
1 xícara de cebolas cortadas em cubos
3 dentes de alho bem picados
1 colher de sopa de gengibre picado
2 pimentas dedo-de-moça (sem sementes e fatiada em tirinhas)
120 g de queijo feta (se quiser, substitua por queijo de cabra)
1 colher de chá de orégano seco
2 colheres de hortelã picada
Azeite extra-virgem
Sal e pimenta

Modo de preparar
Aqueça 4 colheres de sopa de azeite em uma frigideira grande. Coloque a cebola picada e, um minuto depois, o alho, o gengibre e metade da pimenta. Tempere com sal e pimenta e refogue por uns 5 a 8 minutos, até que a cebola fique macia. Mas não deixe passar muito: diminua o fogo se notar que está ficando escura. Desligue o foto e reserve.
Numa panela, ferva água. Coloque ali os tomates e deixe uns 4 minutos. Retire e resfrie os tomates em uma bacia de água gelada. Com uma faca, faça uma cruzinha no tomate e retire a pele. Tire as sementes e corte os tomates em pedaços largos. Sim, você também pode usar tomates em lata já pelados.
Aqueça o forno em 205oC. Volte com a frigideira para o fogo e coloque os tomates. Tempere com sal e pimenta, adicione a outra metade da pimenta dedo-de-moça e cozinhe tudo, mexendo até que a mistura esteja suculenta e os tomates, macios. Isso dá uns 10 minutos. Despeje tudo em uma assadeira.
Numa bowl, tempere os camarões com 2 colheres de azeite de oliva, sal e pimenta. Misture bem para que todos camarões fiquem temperados. Arrume os camarões por cima da mistura de tomate e cebola refogados na assadeira. Espalhe queijo feta esfarelado por cima dos camarões e polvilhe com o orégano.
Leve ao forno por cerca de 15 minutos. Quando perceber que o tomate está borbulhando, o queijo derreteu e os camarões estão bem rosados, o prato está pronto. Retire, deixe descansar por uns 3 minutos e espalhe a hortelã picada por cima. Sirva acompanhado de arroz ou batatas.

Já comeu uma bijajica? Aprenda a fazer!

bijajica5Empolgado com a sobremesa do menu de Santa Catarina do restaurante Brasil a Gosto ainda no ano passado, peguei a receita com a chef Ana Luíza Trajano das bijajicas com compota de maçã verde e creme de natas. Um tipo de bolinho de chuva bem turbinado. Hoje finalmente fiz e olha só como ficou. Manda ver na receita abaixo.

Para a bijajica
3 ovos
500 g de polvilho azedo
150 g de açúcar
1 colher de sopa de canela em pó
1 colher de sopa cheia de fermento em pó
100 ml de leite
800 ml de óleo para fritar

Para o creme de nata
400 g de nata
1 fava de baunilha
50 g de açúcar

Para a compota de maçã
800 g de maçã verde
300 g de açúcar
suco de 2 limões
2 unid. de canela em pau
3 unid. de cravo
300 ml de água

bijajica6Bijajica: misture o polvilho com o açúcar e a canela. Bata os ovos na batedeira até ficarem com textura leve e sem cheiro forte de ovo. Então adicione a mistura de polvilho. Aos poucos, coloque o leite até chegar a uma textura macia da massa, porém firme e seca. Finalize com o fermento em pó. Modelar a massa em rosquinhas de aproximadamente 25 g. Frite em óleo não muito quente, para que a massa não fique crua. Finalize com açúcar de confeiteiro e canela.
Compota de maçã: descasque as frutas, tire as sementes e corte em 8
gomos. Deixe na água com suco de limão para não escurecer. Em uma panela, faça um caramelo escuro com o açúcar e então adicione a água, o suco de limão, a canela e o cravo. Quando o caramelo estiver dissolvido, coloque as maçãs e deixe cozinhar por 10 minutos, devendo ainda ficar firmes.
Creme: coloque a nata em uma panela e esquente com a fava de baunilha e o açúcar, até fazer uma infusão, por 15 minutos. Eu ainda dei uma engrossadinha com um pouco de maisena dissolvida no leite. Resfrie e sirva gelado.
Para montar: coloque o creme de nata por baixo, a compota de maçã, as bijajicas quentes. Polvilhe com açúcar de confeiteiro e umas pitadas de canela. Se quiser, finalize com farofa de paçoca (ou paçoca esfarelada). Rende 10 porções.