É caro comer no Eataly?

internaHoje finalmente abre em São Paulo a primeira filial brasileira do Eataly, complexo gastronômico que já tem outras 28 unidades pelo mundo. Os números impressionam: investimento de R$ 40 milhões, 4,5 mil m2 de área, 19 pontos de alimentação (sendo 8 restaurantes), cervejaria, sala de aula, 5 laboratórios e quase 8 mil produtos à venda, de carré de cordeiro a conserva de cebolinha italiana, de focaccia assada na hora a atemoia, de vinhos e cervejas a bules e livros de receita. É tanta coisa que hoje passei 4 horas lá dentro, saí meio aturdido e certamente não provei nem vi metade. Mas vi algo que até então não havia aparecido: os preços.

Tagliatelle com ragu de carne cozido por 8h: a massa é meio pesada, mas o ragu vale a bocada

Tagliatelle com ragu de carne (R$ 42), cozido por 8h: massa pesada, mas o ragu valeu.

Quer dizer, parte deles. Praticamente todos os produtos nas gôndolas e prateleiras trazem as plaquinhas com os preços. Já nos pontos de alimentação, ontem à noite os menus ainda eram um mistério. Havia degustações de pratos e porções para os convidados, mas nenhum funcionário sabia (ou podia) informar quanto custaria de verdade a partir de hoje, quando abre para o público. (UPDATE: agora já temos os menus todos aqui, com preços)

Pizza Verace TSG, com mozzarella de búfala: massa exemplar

Pizza Verace TSG, com mozzarella de búfala: massa exemplar

Ainda assim, consegui apurar que uma pizza (que dá folgadamente pra duas pessoas) custará entre R$ 25 e R$ 42, assim como as massas individuais (a mais cara custa R$ 46). Deu pra sentir que comer no Eataly não será barato, mas também está longe de ser caro. Já fazer compras é outra história.

massasO que vale a pena comprar no enorme mercado? Antes de tudo, massas. Há uma imensa variedade de massas secas italianas, de formatos insuspeitos, com preço médio de R$13. As massas frescas são muito boas e mais baratas do que muito supermercado da cidade.

 

pasta1Comprei um saboroso plin de carne e verdura (sim, provei ele cru mesmo e quase repeti…) por R$ 38 o quilo (ou R$ 3,80/100g).

focacciasOutra compra certeira ali são os pães e focaccias, feitos na padaria local. Provei um pão de figo matador e uma focaccia doce surpreendentemente fofa e aerada. Fiquei babando nas focaccias de linguiça e de abobrinha, mas, né? Já havia consumido carboidrato pro resto do mês de maio e deixei pra outra visita. Ah, ontem todas focaccias custavam R$ 21,90/kg, mas hoje deve haver variação de preço por sabor.

Produtos da tradicional Il Cioccolato Venchi, de 1878. O quilo dos bombons vai de R$ 29 a R$ 39.

Produtos da tradicional Il Cioccolato Venchi, de 1878. O quilo dos bombons vai de R$ 29 a R$ 39.

pimentasOutros itens, em contrapartida, ameaçam mais sua carteira. A peixaria exibe vistosos frutos do mar, mas a plaquinha desencoraja: polvo por R$ 82/kg, lulas por R$ 56/kg e assim por diante. A área de horti frutis é exuberante: legumes, verduras e frutas que parecem artificiais de tão bonitos, numa variedade impressionante, como a já citada atemoia (uma “prima” da fruta do conde, tão docinha que quase desisti de tomar um gelato de chocolate Venchi; ok, mentira minha). Tem até cerejas frescas em maio, gordinhas e suculentas! (Sim, custam R$ 99/kg, mas, ei, estamos looonge da época de cerejas, né?).

Área de queijos e embutidos, onde eu quase aluguei um quartinho

Área de queijos e embutidos, onde eu quase aluguei um quartinho

carneA vitrine do açougue também é caprichada, com preços que podem variar de R$ 29,90/kg do lombo suíno a R$ 99/kg o carré de cordeiro. Pra um jantar especial vale o investimento. Pro dia a dia, nem pensar. Apenas fuja de alguns exageros, como um pote de chips de mandioquinha por R$ 22, ou 250 g de castanha de caju por R$ 40,40. Gaste com queijos (a burrata cremosa é de morrer devagarinho) ou no setor de frios e salumeria – onde, aliás, eu poderia alugar um quartinho e morar.

Alô, fãs de Nutella: aqui tem um balcao exclusivo, que serve brioches, crepes e outras guloseimas com essa iguaria

Alô, fãs de Nutella: aqui tem um balcao exclusivo, que serve brioches, crepes e outras guloseimas com essa iguaria

fachadaÉ muito diferente do Eataly de Nova York, onde 11 em cada 10 brasileiros batem ponto quando viajam, inclusive eu? Sim e não. A versão paulistana é mais verticalizada e blocada, mais “shopping center”, do que aquela série de “puxadinhos” colados (e charmosíssimos) que formam o Eataly de NY. Os americanos também tem maior variedade de alguns itens, como queijos, indiscutivelmente. Mas o preço está próximo, ainda mais depois da alta do dólar – em setembro, comprei um vidro de creme de pistache em NY por US$ 12 (na época dava uns R$ 25, com o dólar a R$ 2,40). Ontem vi o mesmo produto no nosso Eataly por R$ 40; ou seja, com preço equivalente.

queijosVocê deve ir ao Eataly? Mas é claro que sim. E várias vezes, com tempo pra passear por toda aquela maravilha de produtos e comidas, com muita curiosidade, com fome e com dinheiro. E, pela muvuca que se formou ontem apenas com convidados, vá munido também de muita paciência, pois hoje aquilo vai entupir.

Eataly Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 1.489, Vila Nova Conceição, tel. (11) 3279-3300. Horários: a loja funciona de segunda a segunda, das 8h às 23h; os restaurantes abrem de segunda a quinta, das 11h30 às 15h e das 18h30 às 23h; sextas das 11h30 às 15h e das 18h30 às 24h; sábados das 12h às 24h, domingos e feriados, das 12h às 23h.