Casa de grelhados no Eataly ganha novo menu

Polvo grelhado com batata doce e cebolinha, um das novidades do Brace

Polvo grelhado com batata doce e cebolinha, um das novidades do Brace

Faz quase nove meses que o Eataly abriu suas portas em São Paulo e, pelo visto, navega sem muitos sobressaltos pela crise econômica que chacoalha o país. Ok, não há mais as enormes filas que congestionaram as portas do local por três meses, e vários produtos tiveram uma boa elevação no preço. Algumas massas frescas, que custavam em torno de R$ 38/kg na abertura da loja (veja aqui) hoje são vendidas a R$ 69/kg – já as massas secas italianas continuam ao redor dos R$ 13, porém com variedade reduzida. Mas no geral o grande mercado de produtos italianos é um sucesso e seus restaurantes continuam cheios. Há duas semanas ganharam a companhia de uma risoteria, veja só.

Também tem massa no menu: ravioli de queijo taleggio e ricota, nozes e figos na brasa, com molho de ervas

Também tem massa no menu do Brace, como esse ótimo ravioli de queijo taleggio e ricota, nozes e figos na brasa, com molho de ervas.

O êxito se aplica também ao restaurante mais diferenciado do complexo, o Brace. No amplo e envidraçado salão, quase isolado no último andar do Eataly, a estrela é a grelha da cozinha, comandada pela talentosa chef Ligia Karazawa (Brace, aliás, é o italiano para brasa). A casa é a única que não fica aberta direto (a não ser aos sábados e domingos), e mesmo assim vive cheia.

Wagyu macio: herança cultural da chef na brasa do brace

Wagyu macio: herança cultural da chef na brasa do brace

A boa notícia é que a chef não se acomodou no sucesso e está introduzindo novos itens ao cardápio a partir de hoje. Como o polvo grelhado com batata doce e cebolinha que abre esse post. Outra novidade saída da brasa é o wagyu, corte de kobe beef servido com folhas frescas (sugiro também legumes na brasa).

bruschettaNas entradas, as novas sugestões são os crostini di mare, ou seja brusquetas de pão rústico coberto com ricota com ervas, salmão defumado e mel da florada nativa.

Quer pegar leve? Encare essa mussarela de búfala gordinha, com pesto fresco

A salada La Piemontese vem acompanhada de cubos de queijo de cabra empanado e amêndoas. Gostei mais da prosaica mussarela de búfala, bem gorda e macia, com pesto tradicional e mix de tomates (foto acima).

bonetUma das novas sobremesas é um aveludado bonet de cacau e amaretto, com mousse de caramelo e sorvete de frutas vermelhas. Mesmo não sendo fã de sobremesas à base de chocolate, essa me catou pelo estômago e comi tudo (que surpresa, não é mesmo?).

A chef Ligia Karasawa, num raro momento longe da grelha

A chef Ligia Karasawa, num raro momento longe da grelha

Como eu disse, o novo menu estreia hoje e será amplamente testado no carnaval. Mas a chef ainda vai manter alguns pratos do primeiro cardápio.

Brace – Eataly, Av. Juscelino Kubitscheck, 1489, 2º andar, Vila Nova Conceição, tel. (11)  3279-3323, www.bracebaregriglia.com.br

UN, um ótimo destino para os fãs de comida japonesa

O ótimo sushi de vermelho, com limão cravo, criação do chef Tadashi Shiraishi no novo UN

O ótimo sushi de vermelho, com limão cravo, criação do chef Tadashi Shiraishi no novo UN

Dica boa pra esse feriadão: depois uma longa temporada fora do Brasil, o chef Tadashi Shiraishi voltou ao país e abriu na última terça uma nova casa, o UN (prefixo de unmei, que significa destino em japonês). Aliás, um belíssimo restaurante, com projeto moderno, quase brutalista, com iluminação baixa, equilibrado pela madeira e pelo pé de bambu no meio do salão. O ambiente combina muito com a noite e, com efeito, a casa só abre para o jantar, de segunda a sábado – este o único dia da semana em que o UN serve almoço.

02chef tadashi

O chef Tadashi Shiraishi finaliza o salmão tataki no balcão.

Bem, o que importa mesmo é a comida que sai da cozinha e do balcão (este bem iluminado), e aí o UN diz realmente a que veio. Depois de trabalhar com grandes nomes da cozinha japonesa em São Paulo, como Tsuyosi Murakami (do Kinoshita), o chef Shiraishi passou três anos como sushi chef do Nobu (do renomado chef Nobu Matsuhisa) de Mykonos, na Grécia, e de St. Moritz, na Suíça. Voltou a São Paulo para abrir o UN, ao lado dos sócios Alex Terada e Luigi Cardoso, onde pratica uma cozinha precisa e autoral, em alguns casos com ingredientes pouco comuns à culinária nipônica.

03 olhete jalapenoÉ o caso do delicioso Hamachi Jalapeño (R$ 27), uma provocativa união de sashimi de olhete, jalapeños frescos e molho à base de shoyu e yuzu. Parece muito ardido, mas os jalapeños são banhados antes para suaviza-los, e o acento crítrico do molho equilibra tudo.

04atumA pimenta, aliás, está presente em vários itens do menu. Como nesse atum tataki (R$ 30) com ponzu e molho de jalapeños, aqui um pouco mais sutil do que no prato anterior, mas igualmente equilibrado.

05salmao tataki cópiaA versão de Shiraishi para o salmão tataki (R$ 28) ganha molho de su missô com karashi (mostarda japonesa). Não se assuste: a combinação é delicada e chega a ser aveludada.

06cevicheA experiência na Grécia também aparece em alguns itens do cardápio, como esse refrescante ceviche de peixe branco (R$ 38) com pepino, tomate cereja, cebola roxa, coentro e molho de shoyu com yuzu. Japão meets Mediterrâneo.

07saladaAté as saladas têm um apelo mais marcante no UN, como essa spicy tuna (R$ 39) com molho picante e texturas bem construídas. Ah, não estranhe o tamanho na foto: todas essas porções que fotografei são de degustação servida no soft opening. O serviço do salão é a la carte, mas em breve abrirá o primeiro andar, onde será servido apenas menu-degustação.

08quinuaDa cozinha saem sugestões interessantes, como o donburi de barriga de porco, missô de nozes e batata doce (R$ 48) e o “risoto” de cogumelos e legumes (R$ 45, na foto) feito com quinua no lugar do arroz (há também a versão com frutos do mar, por R$ 59).

09trio chouxE quem disse que restaurante japonês não tem sobremesa boa? (sempre faço essa perguntinha batida quando quero falar bem de um doce, né?) O chef Shiraishi também discorda dessa lenda e pra isso trouxe um especialista em sobremesas, o chef Felipe Tadao, para cuidar dessa seção. E não é que ele me manda uma das guloseimas que mais gostei quando fui ao Japão? Choux cream! Aliás, um trio de choux (R$ 20), recheados com creme, matchá com caramelo e doce de leite com nozes e açúcar mascavo. Fechou com chave de ouro.

10bartender2Ah, importante! Como praticamente só abre a noite, o UN ganhou um belo reforço na coquetelaria, que fica a cargo do barman Matheus Cunha (na foto, à frente). Em 2014, ele ganhou o campeonato Vive La Revolution, promovido pela vodca Grey Goose, com o drinque Comandante, receita que está presente na carta do UN.

11drinqueEu tomei outra criação de Cunha, o festivo land of fruits: cachaça, suco de abacaxi cozido, maracujá, óleo de laranja, angostura e xarope de amêndoas. Falando assim parece um exagero, mas o coquetel é gostoso, fresco e, por que não, divertido. Aliás, o UN não tem carta de vinhos. E pra que, com tantos ótimos saquês servidos ali? Kampai!

UN – R. Padre João Manuel, 1050, Jardins, tel. (11) 3060-9513, www.un-restanrante.com